terça-feira, 20 de outubro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

O prazo prescricional na responsabilidade contratual (ii)

Por uma lógica interna ao sistema, é acertada a decisão de se estabelecer prazo diferenciado para os casos de reparação fundada em responsabilidade contratual, sobretudo para evitar que a prescrição ocorra antes do encerramento do prazo para exigir o cumprimento do contrato.

terça-feira, 1 de outubro de 2019

Em maio passado, o STJ encerrou controvérsia que vinha provocando insegurança nas relações contratuais desde a edição do CC, no ano de 2002. Por sua grande relevância, o tema foi abordado na última edição deste boletim, ocasião em que o julgamento na Corte Superior ainda não havia finalizado.t

Prevaleceu, afinal, a tese de que a reparação civil contratual prescreve no prazo de 10 anos, não se aplicando o prazo prescricional de 3 anos previsto genericamente no Código para as ações de reparação civil. Assim, de acordo com a decisão, o prazo para pleitear judicialmente indenização variará conforme o pedido decorra de ato ilícito ou de descumprimento contratual.

Muito embora não exista diferença substancial entre as espécies de reparação civil - contratual ou extracontratual - a tese vencedora privilegia a coerência do sistema jurídico. Isso porque, no âmbito contratual, a obrigação de indenizar assume caráter acessório, tendo em vista que ela pressupõe o descumprimento de uma obrigação anterior, alusiva à prestação convencionada, para cuja obtenção a lei prevê, em regra, o prazo de 10 anos. Assim, não seria razoável que, depois de 3 anos do inadimplemento, pudesse o contratante fiel exigir apenas a própria prestação contratual descumprida e não as perdas e danos (reparação) derivadas do inadimplemento. Haveria mesmo situações em que a parte ficaria sem a prestação contratual - por ter esta se tornado impossível, por qualquer motivo - e sem a possibilidade de obter a reparação por perdas e danos, por já não mais dispor de prazo para tanto.

Assim, por uma lógica interna ao sistema, é acertada a decisão de se estabelecer prazo diferenciado para os casos de reparação fundada em responsabilidade contratual, sobretudo para evitar que a prescrição ocorra antes do encerramento do prazo para exigir o cumprimento do contrato.

__________

t*Fernando Welter é advogado do Escritório Professor René Dotti.







*José Roberto Trautwein é advogado do Escritório Professor René Dotti.

 

Atualizado em: 1/10/2019 10:44

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

É Autor Migalhas? Faça seu login aqui

AUTORES MIGALHAS

Rafael Guimarães

Migalheiro desde 2020

Rafael Raso

Migalheiro desde 2018

Heloisa Carpena

Migalheira desde 2020

Giseli Angela Tartaro Ho

Migalheira desde 2004

Scilio Faver

Migalheiro desde 2020

Caren Benevento Viani

Migalheira desde 2019

José Eymard Loguercio

Migalheiro desde 2008

Michelle Tonon

Migalheiro desde 2020

Publicidade