sexta-feira, 4 de dezembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Sociedade limitada unipessoal permitida no Brasil

Frequentemente vemos sociedades em que a pluralidade de sócios somente se explica para que não haja confusão patrimonial entre sociedade e sócios, ou melhor, o empresário invariavelmente convida alguém de sua confiança para integrar a sociedade, normalmente conferindo um valor irrisório ao capital social da sociedade, apenas para enquadrar-se aos requisitos da legislação até então vigente.

sexta-feira, 25 de outubro de 2019

Imagem relacionadaDesde a vigência da legislação que trata da EIRELI - Empresa Individual de Responsabilidade Limitada, a sociedade com apenas uma única pessoa já estava englobada em nossa legislação pátria. Entretanto, o mercado até o momento não tinha conseguido aderir esse tipo societário de forma vultuosa, em razão de, entre outros requisitos, haver a obrigatoriedade de integralização de 100 (cem) salários mínimos, o que na maioria das vezes inviabilizava o negócio. 

Como se sabe, frequentemente vemos sociedades em que a pluralidade de sócios somente se explica para que não haja confusão patrimonial entre sociedade e sócios, ou melhor, o empresário invariavelmente convida alguém de sua confiança para integrar a sociedade, normalmente conferindo um valor irrisório ao capital social da sociedade, apenas para enquadrar-se aos requisitos da legislação até então vigente. Tal legislação tratava da responsabilização até o limite do valor do capital social, apenas nos casos de pluralidade de sócios ou de EIRELI, sendo que para os demais casos, os bens particulares dos sócios seriam confundidos com o da sociedade. 

Ocorre que, com intuito de dar maior liberdade ao empresariado e ao investidor estrangeiro que tem intuito de abrir sociedade no Brasil, facilitando e agilizando a formalização do mercado, o governo sancionou em 20/09/19, a lei 13.874/19 ("Lei de Liberdade Econômica"), a qual, dentre inúmeras outras novidades, altera o parágrafo primeiro do artigo 1.052 do Código Civil, permitindo que a sociedade limitada seja constituída por uma ou mais pessoas. 

Um grande avanço pode ser visto nessa alteração ao Código Civil, já que o novo tipo societário, qual seja, Sociedade Limitada Unipessoal, fica regido pelos mesmos termos da sociedade limitada que já estávamos acostumados, porém com apenas uma única pessoa, ficando clara e definida a responsabilidade limitada ao capital social, sem haver confusão entre o patrimônio da sociedade e do sócio. 

Assim, esse novo tipo societário veio para garantir que o empresário não será submetido à confusão patrimonial, quando desejar que haja apenas uma pessoa na sociedade limitada, diferentemente do que atualmente vemos no caso do Empresário Individual.   

Enfim, agora é possível abrir sua empresa com a responsabilização limitada ao valor do capital social, sem preocupar-se com a pluralidade de sócios, anteriormente obrigatória para as sociedades limitadas, bem como, sem precisar despender do valor de 100 (cem) salários mínimos para enquadrar-se na EIRELI. 

_____________________

t*Aline Awdrey Ribeiro é advogada associada do escritório Baraldi Advocacia Empresarial.

Atualizado em: 25/10/2019 11:24

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Gustavo Abdalla

Migalheiro desde 2019

Roberto Rosas

Migalheiro desde 2015

Gilberto Bercovici

Migalheiro desde 2007

Pablo Domingues

Migalheiro desde 2017

Marcelo Branco Gomez

Migalheiro desde 2020

Paulo Henrique Cremoneze

Migalheiro desde 2019

Renato de Mello Almada

Migalheiro desde 2008

Teresa Arruda Alvim

Migalheira desde 2006

Daniele Sampaio

Migalheira desde 2020

Allan de Oliveira Kuwer

Migalheiro desde 2020

Guershom David

Migalheiro desde 2020

Murillo de Aragão

Migalheiro desde 2018

Publicidade