segunda-feira, 30 de novembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Débitos tributários

Município de São Paulo institui programa para transação de débitos tributários

Os acordos firmados com base na lei municipal poderão consistir no pagamento de débitos limitados até o valor de R$ 510 mil reais para as dívidas tributárias e não tributárias.

sexta-feira, 27 de março de 2020

t

No contexto da crise acarretada pela pandemia do coronavírus, foi publicada a lei municipal 17.324/20 que instituiu a "Política de Desjudicialização no âmbito da Administração Pública Municipal Direta e Indireta", estabelecendo condições para que sejam realizadas transações entre contribuintes e a Administração Pública Municipal, Direta e Indireta, para fins de a quitação de débitos tributários e não tributários.

Resumidamente, os acordos firmados com base na referida Lei poderão consistir no pagamento de débitos limitados até o valor de R$ 510 mil reais para as dívidas tributárias e não tributárias, em parcelas mensais e sucessivas, não se aplicando aos acordos já firmados em PPI - Programas de Parcelamento Incentivado, que são regidos por legislação própria.

Destaca-se que, em relação aos débitos de natureza tributária, a legislação municipal prevê as seguintes modalidades de transação: (i) proposta individual ou por adesão na cobrança da dívida ativa; (ii) adesão nos demais casos de contencioso judicial ou administrativo tributário; (iii) adesão no contencioso administrativo tributário de baixo valor.

Da mesma forma que nos programas de parcelamento, a celebração e homologação da transação implica na confissão irretratável do débito e renúncia ao direito sobre o qual se funda a defesa ou recurso interposto no âmbito administrativo ou judicial. Por sua vez, a proposta de transação não suspende automaticamente a exigibilidade dos créditos por ela abrangidos nem o andamento das respectivas execuções fiscais como ocorre nos programas de parcelamento (artigo 151, VI, do CTN), sendo possível, contudo, a suspensão do processo executivo por convenção das partes (artigo 313, II, do CPC).

Acrescenta-se, por fim, que nos termos da lei, o Poder Executivo municipal deverá regulamentar as modalidades de transação nos próximos 180 dias contados da data de sua publicação, dia 18 de março de 2020.

Os profissionais do escritório Araújo & Policastro Advogados estão à disposição para dar maiores detalhes acerca das novas modalidades de acordo previstas na legislação municipal, bem como para auxiliar os contribuintes interessados em transacionar com o Município de São Paulo.

_____________________________________________________________________

*Sylvio Fernando Paes de Barros Jr. é advogado do escritório Araújo e Policastro Advogados.

*Fernanda Botinha Nascimento é advogada do escritório Araújo e Policastro Advogados.

*Gabriel da Costa Manita é advogado do escritório Araújo e Policastro Advogados.

*Helena Soriani é advogada do escritório Araújo e Policastro Advogados.

 

Atualizado em: 26/3/2020 14:37

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Ricardo Penteado

Migalheiro desde 2008

Luis Felipe Salomão

Migalheiro desde 2014

Allan de Oliveira Kuwer

Migalheiro desde 2020

Lilia Frankenthal

Migalheira desde 2020

Vanessa Mollo

Migalheira desde 2019

Ronaldo de Jesus

Migalheiro desde 2019

Gustavo Binenbojm

Migalheiro desde 2005

Guilherme Alberge Reis

Migalheiro desde 2020

Letícia Baddauy

Migalheira desde 2020

Júlio César Bueno

Migalheiro desde 2004

Publicidade