sábado, 28 de novembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

INTEGRALIDADE E PARIDADE: dois pontos críticos da Reforma Previdenciária

Sinésio Cyrino da Costa Filho

Os servidores da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios detentores de cargo efetivo, quando amparados por Regime Próprio de Previdência, contribuem sobre a totalidade da sua remuneração, diferentemente do que ocorrem com os trabalhadores da iniciativa privada, com os servidores não detentores de cargo efetivo e com os que, detentores de cargo efetivo, não estejam amparados por Regime Próprio de Previdência, que contribuem sobre o valor da sua remuneração, observado o teto de, atualmente, R$ 1.869,34 (hum mil, oitocentos e sessenta e nove reais e trinta e quatro centavos).

terça-feira, 27 de janeiro de 2004


INTEGRALIDADE E PARIDADE: dois pontos críticos da Reforma Previdenciária

 

Sinésio Cyrino da Costa Filho*

 

Os servidores da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios detentores de cargo efetivo, quando amparados por Regime Próprio de Previdência, contribuem sobre a totalidade da sua remuneração, diferentemente do que ocorrem com os trabalhadores da iniciativa privada, com os servidores não detentores de cargo efetivo e com os que, detentores de cargo efetivo, não estejam amparados por Regime Próprio de Previdência, que contribuem sobre o valor da sua remuneração, observado o teto de, atualmente, R$ 1.869,34 (hum mil, oitocentos e sessenta e nove reais e trinta e quatro centavos). Conseqüentemente, aos primeiros garante-se a integralidade dos proventos da sua aposentadoria (parágrafo 8º do art. 40 da CF) e aos últimos são garantidos benefícios limitados ao teto da contribuição. O critério, pois, para fixar os benefícios de ambos, é o mesmo: toma-se como limite o valor sobre o qual houve a contribuição ao respectivo Regime Previdenciário.

 

Para garantir a manutenção dos valores dos benefícios ao longo do tempo, a Constituição assegura aos primeiros que os proventos da sua aposentadoria sejam revistos na mesma proporção e na mesma data em que houver a modificação da remuneração dos servidores em atividade (parágrafo 3º do art. 40 da CF), o que convencionou chamar- se de paridade. Aos últimos, a Constituição assegura o reajustamento dos benefícios para preservar-lhes, em caráter permanente, o valor real dos proventos da aposentadoria, conforme critérios definidos em lei (parágrafo 4º do art. 201 da CF).

 

Acontece que a Proposta de Emenda Constitucional - PEC nº 67/2003 - em trâmite no Senado Federal, segundo o que entendemos, retira a integralidade e a paridade dos atuais servidores ativos que não possuam direito adquirido. Explico. O art. 7º da PEC nº 67/2003 garante a integralidade para os atuais servidores, condicionada ao preenchimento, cumulativo, das seguintes condições: sessenta anos de idade, se homem, e cinqüenta e cinco de idade, se mulher; trinta e cinco anos de contribuição, se homem, e trinta anos de contribuição, se mulher; vinte anos de efetivo exercício no serviço público; e dez anos de carreira e cinco anos de efetivo exercício no cargo em que se der a aposentadoria. A paridade, por sua vez, na forma do art. 8º da PEC nº 67/2003 é remetida à lei. Deixa, portanto, de ser uma garantia constitucional. Torna-se virtual. Conclusão, a integralidade sem paridade é efêmera, pois só ocorre no momento da concessão da aposentadoria e só persiste enquanto não houver um reajustamento da remuneração dos servidores da ativa.

 

Resta, portanto, aos servidores públicos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios detentores de cargos efetivos e amparados por Regime Próprio de Previdência, dar continuidade a luta, através de manifestações públicas, de discussões em fóruns políticos e científicos sobre o tema e das suas entidades associativas e sindicais, para que a paridade seja mantida como uma garantia constitucional, materializando, por conseqüência, a integralidade, sob pena do surgimento de infindáveis querelas judiciais após a transformação da presente PEC em Emenda Constitucional.

 

______________

 

* Auditor Fiscal da Previdência Social e Professor de Direito Previdenciário

 

 

 

 

 

__________________

Atualizado em: 9/12/2003 10:02

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Carolina Amorim

Migalheira desde 2020

Carla Louzada Marques

Migalheira desde 2020

Ricardo Alves de Lima

Migalheiro desde 2020

Lenio Luiz Streck

Migalheiro desde 2005

René Ariel Dotti

Migalheiro desde 2006

Levi Rezende Lopes

Migalheiro desde 2020

Daniele Sampaio

Migalheira desde 2020

Valmir Pontes Filho

Migalheiro desde 2004

Leonardo Quintiliano

Migalheiro desde 2019

Celso Cintra Mori

Migalheiro desde 2005

Gisele Nascimento

Migalheira desde 2017

Publicidade