sábado, 5 de dezembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Licitações - Coronavírus - MP 926/20

Com a MP a regra agora vale para todas as compras e serviços, inclusive de engenharia, necessários ao combate à pandemia.

segunda-feira, 30 de março de 2020

t

Foi publicada, no dia 20 de março de 2020, a MP 926/20 que flexibiliza regras para a aquisição de bens, serviços e insumos para enfrentar a pandemia da covid-19, com dispensa de licitação, entre outros temas.

A MP altera a lei 13.979/20, que já estabelecia medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente da pandemia do coronavírus. Com a MP a regra agora vale para todas as compras e serviços, inclusive de engenharia, necessários ao combate à pandemia.

O texto da MP autoriza, excepcionalmente, a contratação de empresa para fornecer bens, serviços e insumos, que esteja com inidoneidade declarada ou com direito de participar de participar em licitação ou contratar com o Poder Público suspenso, no caso de a empresa ser a única fornecedora de bens e serviços. Também permite a compra de equipamentos usados, desde que o fornecedor se responsabilize pelas plenas condições de uso e funcionamento do bem adquirido.

Além disso, a MP altera a referida lei prevendo que ficam dispensados de licitação os estudos preliminares quando se tratar de bens e serviços comuns. Serão admitidos projeto básico simplificado e termo de referência simplificado para aquisição de bens, serviços e insumos necessários ao enfrentamento da emergência que trata a lei. A autoridade poderá dispensar a pesquisa de preços e até autorizar a compra por um valor maior do que estimado diante de oscilações de mercado, se houver justificativa para a medida.

Nos casos de restrição de fornecedores e prestadores de serviço, a autoridade poderá contratar excepcionalmente a empresa mediante justificativa, se ela não apresentar regularidade fiscal, trabalhista e outros requisitos hoje necessários para habilitação.

É importante destacar que os pregões para aquisição de bens, serviços e insumos necessários ao enfrentamento da emergência terão os prazos reduzidos pela metade. Os recursos dos procedimentos licitatórios só terão efeito devolutivo.

Ficou dispensada a realização de audiências públicas em relação a licitação ou para um conjunto de licitações simultâneas ou sucessivas com o valor for superior a cem vezes o limite previsto no art. 23, inciso I, alínea "c" desta lei 8.666/93.

Os contratos terão duração de até seis meses, podendo ser prorrogados por períodos sucessivos, enquanto perdurar a necessidade de enfrentamento dos efeitos da situação de emergência de saúde pública. Os acréscimos e supressões poderão ser de até 50% do valor inicial atualizado do contrato.

Outro tema abordado na MP é o aumento do limite de gastos com o cartão de pagamento do governo quando utilizados para o pagamento dos serviços com dispensa de licitação. Ficando autorizados pagamentos de até R$ 150 mil para serviços de engenharia e de até R$ 80 mil para compras em geral e outros serviços.

_____________________________________________________________________

*Paula Pincelli Tavares Vivacqua é sócia do escritório Vivacqua Advogados.

Atualizado em: 30/3/2020 12:02

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Valmir Pontes Filho

Migalheiro desde 2004

Levi Rezende Lopes

Migalheiro desde 2020

Cleanto Farina Weidlich

Migalheiro desde 2007

Jeniffer Gomes da Silva

Migalheira desde 2020

Luis Felipe Salomão

Migalheiro desde 2014

Carlos Barbosa

Migalheiro desde 2019

Lilia Frankenthal

Migalheira desde 2020

Gustavo Abdalla

Migalheiro desde 2019

Fernando Salzer e Silva

Migalheiro desde 2016

Justiliana Sousa

Migalheira desde 2020

Diogo L. Machado de Melo

Migalheiro desde 2008

Publicidade