quinta-feira, 3 de dezembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Presidente Jair Bolsonaro sanciona, com vetos, lei que cria o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda

Nos termos da lei sancionada 14.020/20, o empregador pode acordar a redução da jornada de trabalho e salários por até 90 dias e a suspensão do contrato de trabalho por até 60 dias.

quinta-feira, 9 de julho de 2020

t

O presidente Jair Bolsonaro, na data de 6/7/20, sancionou, com vetos, o projeto de lei de conversão 15/20 para converter em lei a medida provisória 936/20.

Com isso, nos termos da lei sancionada 14.020/20, o empregador pode acordar a redução da jornada de trabalho e salários por até 90 dias e a suspensão do contrato de trabalho por até 60 dias.

Importante salientar que, de acordo com a lei, referidos prazos podem ser prorrogados, por prazo determinado e respeitado o limite temporal do estado de calamidade pública, por ato do Poder Executivo. No entanto, até o momento, referido ato não foi publicado.

No mais, as sugestões apresentadas pelos deputados e mantidas pelos senadores, referentes (I) ao acompanhamento pelo sindicato das negociações e (II) à alteração das bases salariais para negociação dos acordos foram mantidas pelo Presidente da República.

Assim, podem firmar acordos individuais trabalhadores que recebam salário igual ou inferior a R$ 2.090,00, desde que o empregador tenha auferido, em 2019, receita bruta superior a R$ 4,8 milhões, ou R$ 3.145,00, quando o empregador registrou receita bruta igual ou inferior ao valor mencionado. O empregado que recebe salário igual ou superior a R$ 12.202,12 pode firmar acordo individual em qualquer caso, independentemente da receita da empresa.

Para os empregados não enquadrados nesses grupos, exige-se negociação coletiva, salvo na hipótese de redução de jornada e salário equivalente a 25%.

Com relação aos vetos, o presidente da República, através da mensagem 377/20, apontou o que foi efetivamente vetado e apresentou suas razões para tanto.

Basicamente, sem prejuízo de outras, os vetos se referem às disposições que tratavam (a) do recebimento do seguro-desemprego por empregado que não tinha direito e/ou sua substituição pelo auxílio emergencial; (b) da desoneração da folha de pagamentos; (c) de disposições sobre PLR, que alteravam a lei 10.101/00; e (d) da aplicação da TR para atualização dos créditos trabalhistas.

_________

t*Ana Lúcia Pinke Ribeiro de Paiva é sócia advogado do Araújo e Policastro Advogados.





t*Flavia Sulzer Augusto Dainese é advogada colaboradora do Araújo e Policastro Advogados.





t*Marília Chrysostomo Chessa é advogada colaboradora do Araújo e Policastro Advogados.

Atualizado em: 15/7/2020 10:00

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Jocineia Zanardini

Migalheira desde 2020

Ronaldo de Jesus

Migalheiro desde 2019

Lilia Frankenthal

Migalheira desde 2020

Paulo Henrique Cremoneze

Migalheiro desde 2019

Daniele Sampaio

Migalheira desde 2020

Sílvio de Salvo Venosa

Migalheiro desde 2019

Pedro Dalese

Migalheiro desde 2020

Luciane Bombach

Migalheira desde 2019

Allan de Oliveira Kuwer

Migalheiro desde 2020

Gilberto Bercovici

Migalheiro desde 2007

Renato da Fonseca Janon

Migalheiro desde 2017

Publicidade