quarta-feira, 25 de novembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Gestão tributária em tempos de covid-19

Empreender e obter sucesso, no Brasil, nunca foi tarefa para amadores!

quarta-feira, 19 de agosto de 2020

t

Há inúmeras exigências regulatórias e fiscais que, se não forem bem orquestradas, levam o business plan de qualquer organização à ruína.

A gestão tributária, assim como a financeira, administrativa e operacional, é importante segmento dentro da governança empresarial, que contribui para o sucesso do negócio.

Recentemente, todas essas linhas de gestão foram colocadas à prova.

A crise sanitária, ocasionada pela covid-19, exigiu (e exige) austeridade nas decisões, visando à diminuição de custos; à identificação de ativos; à adaptação da forma de execução da atividade; e, muitas vezes, à atuação em novos nichos de mercado.

Diminuir os custos que não se mostram indispensáveis e usufruir das postergações do pagamento de tributos ofertadas pelos entes federativos, é lugar comum no que se refere à preservação do caixa.

Sob este novo panorama, a administração tributária dos ativos e passivos tem o condão de facilitar o enfrentamento da crise e, em muitos casos, alavancar a atividade empresarial.

Atualmente, para que as empresas possam desempenhar as suas atividades, há regras sanitárias preventivas determinando a entrega de EPI's e produtos de higienização aos funcionários, impactando, inclusive, em alterações no layout na estrutura física, bem como na implementação de novas rotinas. De outra banda, o trabalho remoto, fortemente utilizado com o início da Pandemia, também exigiu que as organizações investissem na aquisição de softwares para viabilizar o home office.

Em decorrência dessa nova realidade, todo esse investimento pode refletir numa diminuição da base de cálculo sobre a qual há a incidência tributária, fazendo com que a empresa pague, ao fim e ao cabo, menos tributos.

Ou seja, a adaptação da forma de trabalho reflete numa oportunidade de diminuir a carga tributária, sob um novo olhar do que é, agora, indispensável para a execução da atividade.

Além disso, a Pandemia também exige do governo outras formas de quitação de débitos fiscais, para dar fôlego aos contribuintes. Em resposta, há medidas tramitando na Câmara (PERT/covid-19) que preveem a possibilidade de se utilizar créditos fiscais reconhecidos em processo judicial para fazer frente aos débitos tributários.

Tal medida, se utilizada devidamente, poderá diminuir o grau de endividamento da empresa e melhorar o seu valuation.

Não há dúvidas, então, da importância de as empresas questionarem as incidências tributárias ilegais e inconstitucionais a que estão submetidas.

De mais a mais, nunca foi tão necessário olhar para dentro de casa e verificar se não há pagamento indevido ou a maior de tributos nos últimos cinco anos passíveis de recuperação.  Trata-se de dinheiro oculto que pode ser vertido ao caixa da empresa.

Por fim, é sabida a capacidade do brasileiro de inventar e de se reinventar. Durante a crise, o que se percebe é a adequação das organizações para viabilizar o seu resultado positivo.

Várias empresas atacadistas (e de outros segmentos) deram início à venda ao varejo via e-commerce, adaptando o custo de representação com o de logística. Outras organizações, que tinham como escopo a confecção de peças de vestuário da moda, aderiram novos produtos ao seu portfólio para atender a hospitais e clínicas de saúde, ampliando a sua atividade operacional. Empresas que entregavam as suas mercadorias apenas aos seus clientes, estenderam a sua operação de logística para atender a demanda de terceiros, otimizando o seu ativo e extraindo a máxima rentabilidade dele.

Ou seja, com praticamente o mesmo custo, há muitos exemplos de empresas que viram novas oportunidades de negócio através da reestruturação de suas operações fiscais e societárias, suportando os efeitos negativos da crise, e mais, obtendo resultados muito maiores do que os esperados para um período tão caótico.

Em tempos de covid-19, é necessário ajustar as velas e buscar, muitas vezes através de mares antes não navegados, o sucesso e a perenidade da organização empresarial.

A gestão tributária responsável é importante veículo para atingir esse objetivo.

_________

t*Bruna Nakamura Moser é advogada Tributarista, sócia da área Tributária e Societária do escritório Pasquali & Poffo Advogados Associados.

Atualizado em: 19/8/2020 08:54

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Sílvio de Salvo Venosa

Migalheiro desde 2019

Anna Carolina Venturini

Migalheira desde 2014

Ricardo Alves de Lima

Migalheiro desde 2020

Júlio César Bueno

Migalheiro desde 2004

Sérgio Roxo da Fonseca

Migalheiro desde 2004

Cleanto Farina Weidlich

Migalheiro desde 2007

Ronaldo de Jesus

Migalheiro desde 2019

Carlos Barbosa

Migalheiro desde 2019

Fernando Salzer e Silva

Migalheiro desde 2016

Maria Berenice Dias

Migalheira desde 2002

Vanessa Mollo

Migalheira desde 2019

Flávia Pereira Ribeiro

Migalheira desde 2019

Publicidade