sábado, 5 de dezembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

A classe média foi para o brejo e, com ela, irá a sociedade

Em qualquer sociedade, a classe média sempre foi a que permitiu que a cultura e a criatividade florescessem, pois por situar-se entre a classe alta e a baixa, seu acesso a ambas permitiu uma dualidade que trouxe um conhecimento maior da realidade. Por incorporar diferentes modos de vida, esta classe desenvolveu mais o questionamento e a crítica, pois não teve a pretensão de uma, nem a ignorância da outra.

sexta-feira, 3 de agosto de 2007


A classe média foi para o brejo e, com ela, irá a sociedade

Sylvia Romano*

Em qualquer sociedade, a classe média sempre foi a que permitiu que a cultura e a criatividade florescessem, pois por situar-se entre a classe alta e a baixa, seu acesso a ambas permitiu uma dualidade que trouxe um conhecimento maior da realidade. Por incorporar diferentes modos de vida, esta classe desenvolveu mais o questionamento e a crítica, pois não teve a pretensão de uma, nem a ignorância da outra.

Neste momento em que todas as pesquisas e as tendências estão apontando para o empobrecimento da classe média, além do fato econômico e das naturais conseqüências que uma queda de padrão acarreta, a maior preocupação se dá em termos da qualidade de vida, o que terá grande reflexo na questão cultural e da criatividade de toda a civilização.

O rico, em sua grande maioria, só está preocupado com o consumo e a diversão; o pobre, coitado, luta cotidianamente pela sua sobrevivência; e a classe média, com o seu grande potencial de consumo, permite que o rico fique cada vez mais rico e que o pobre continue vivendo às duras penas.

Esta realidade é muito perversa, mas de certa forma vem permitindo a sobrevivência de todas as categorias sociais. Não estou pensando em uma melhor divisão das riquezas, tirando dos ricos para dar aos pobres como um Robin Hood transloucado e populista, mas em uma situação que possibilite aos pobres condições de seu crescimento intelectual para, depois, acontecer naturalmente um crescimento econômico.

A classe média, pejorativamente chamada de "novos ricos" resume bem a realidade de quem um dia já foi pobre e conseguiu melhorar o seu padrão, graças ao esforço, capacidade, persistência e, obviamente, ao fator imponderável da sorte. No entanto, essa mesma classe média hoje é penalizada com os impostos que mantêm o setor político com todas as benesses dos seus cargos, além de permitir ao governo retornar às classes baixas o muito pouco que oferece em termos de segurança, educação e saúde aos cidadãos que, ludibriados por esta elite política, o mantém no poder.

E o que irá acontecer no futuro com o empobrecimento da classe média ? Os ricos levarão ainda muito tempo para ficar pobres; e os pobres, a longo prazo, ficarão mais desprovidos ainda, uma vez que o consumo da classe média não existirá mais. Paralelamente, os políticos deverão manter-se no poder explorando não mais a classe média, mas a dos miseráveis, terreno fértil para a dominação.

E, nessa nova realidade, a cultura, a inteligência e a criatividade desaparecerão, pois a educação nunca floresceu nos extremos econômicos da civilização. E, assim, teremos uma sociedade formada somente por dominantes e dominados - sociedade esta que jamais terá condições de questionar absolutamente nada. Será um novo período de trevas, onde somente o poder e a ignorância prevalecerão.

____________________


 

*Advogada do escritório Sylvia Romano Consultores Associados

 


 



 

_______________

Atualizado em: 2/8/2007 14:19

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Júlio César Bueno

Migalheiro desde 2004

Ricardo Trajano Valente

Migalheiro desde 2020

Celso Wanzo

Migalheiro desde 2019

João Ibaixe Jr

Migalheiro desde 2019

Ricardo Penteado

Migalheiro desde 2008

Paulo Henrique Cremoneze

Migalheiro desde 2019

Lenio Luiz Streck

Migalheiro desde 2005

Gustavo Santiago Martins

Migalheiro desde 2019

Gustavo Binenbojm

Migalheiro desde 2005

Publicidade