segunda-feira, 23 de novembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Nepotismo partidário

Alexandre Alkmim Teixeira e Luís Carlos Gambogi

Se existem dois conceitos que se repelem são eles o de República e o de nepotismo. A República, sob o ponto de vista teórico, se contrapõe à monarquia. A Republica se notabiliza por coibir privilégios, a monarquia por reconhecê-los. Na República, todo poder emana do povo, na monarquia emana do sangue ou da tradição.

sexta-feira, 31 de agosto de 2007


Nepotismo partidário

Luís Carlos Gambogi*

Alexandre Alkmim Teixeira**

Se existem dois conceitos que se repelem são eles o de República e o de nepotismo. A República, sob o ponto de vista teórico, se contrapõe à monarquia. A Republica se notabiliza por coibir privilégios, a monarquia por reconhecê-los. Na República, todo poder emana do povo, na monarquia emana do sangue ou da tradição.

Na República as leis devem refletir a vontade popular, na monarquia clássica expressa a vontade do rei. Ora, como o termo nepotismo ingressa no terreno da linguagem para designar uma forma de privilégio (influência que parentes do Papa exerciam na administração eclesiástica), infere-se que, ainda que moralmente censurável em qualquer hipótese, sob o ponto de vista jurídico é admissível que o nepotismo possa estar legalizado nas monarquias.

Contudo, é insustentável que se queira compatibilizá-lo, sob a óptica jurídica, com o conceito de República; qualquer forma de nepotismo, inclusive o nepotismo partidário, não encontra receptividade na Constituição do Brasil. Dizia Milton Campos que a República se caracteriza como o governo dos simples, dos comuns, ou seja, dos que ascendem em razão do mérito e, não, da herança genética ou do DNA partidário.

Expandir o número de cargos comissionados nos termos em que se faz em nosso País para que sejam providos por figuras partidárias, se foge do razoável, ofende o espírito republicano de nossa carta constitucional. Dizia Pe. Antônio Vieira que "os que governam não são espelho da república; não é assim, senão ao contrário. A República é o espelho dos que governam".

A questão do nepotismo partidário não é simples em se tratando de assuntos públicos, ligados ao Estado. Dizia Nietzsche que "este desejo de não ver o que se vê, este desejo de não ver como se vê, é quase a condição essencial para todos os que são em qualquer sentido partidários: o homem de partido torna-se necessariamente um mentiroso"

Essa recente complicação da ANAC e a própria nomeação, dentre outras, da senhora Denise Abreu, embora emblemática, traz à tona apenas uma pequena parte do gravíssimo problema. A questão central está na expansão generalizada de cargos comissionados, fato que está a demonstrar a necessidade de se dar ao inciso V do art. 37 da nossa Constituição (clique aqui) o seu verdadeiro sentido e alcance. Dispõe a referida norma que "as funções de confiança, exercidas exclusivamente por servidores ocupantes de cargo efetivo, e os cargos em comissão, a serem preenchidos por servidores de carreira nos casos, condições e percentuais mínimos previstos em lei, destinam-se apenas às atribuições de direção, chefia e assessoramento".

Vê-se que estamos diante de uma norma que requer uma lei complementar que a regulamente. Regulamentada a matéria, a própria Justiça, provocada pelo Ministério Público ou por qualquer cidadão mediante o manejo de uma ação popular, poderá conter a explosão de cargos comissionados e os seus provimentos arbitrários.

Do contrário, teremos que engolir a expressão de Rotas Paul, presidente da Venezuela quando da proclamação da República no Rio de Janeiro. "Acabou-se a única república que existia na América: o Império do Brasil."

______________________

*Doutor em Direito pela Faculdade de Direito da UF/MG, advogado do escritório Gerson Boson e Alkmim Advogados Associados

**Doutorando em Direito da Faculdade de Direito da USP, advogado do escritório Gerson Boson e Alkmim Advogados Associados

 

 

 

 

 

 

 

 

________________

Atualizado em: 30/8/2007 15:07

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Roberto Rosas

Migalheiro desde 2015

Carla Louzada Marques

Migalheira desde 2020

Luis Felipe Salomão

Migalheiro desde 2014

Guershom David

Migalheiro desde 2020

René Ariel Dotti

Migalheiro desde 2006

Vanessa Mollo

Migalheira desde 2019

Miguel Reale Júnior

Migalheiro desde 2003

Almir Pazzianotto Pinto

Migalheiro desde 2003

Guilherme Alberge Reis

Migalheiro desde 2020

Publicidade