sábado, 31 de outubro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

CVM Publica Instrução Sobre Debêntures Padronizadas

Marcelo Del Vigna

A Comissão de Valores Mobiliários - CVM - publicou em 13 de fevereiro de 2004 a Instrução Normativa n° 404 que estabeleceu normas para registro e negociação de debêntures padronizadas.

segunda-feira, 24 de maio de 2004

CVM Publica Instrução Sobre Debêntures Padronizadas 

 

Marcelo Del Vigna*  

 

A Comissão de Valores Mobiliários - CVM - publicou em 13 de fevereiro de 2004 a Instrução Normativa n° 404 que estabeleceu normas para registro e negociação de debêntures padronizadas.

 

Com objetivo de desenvolver um mercado para títulos privados de renda fixa, esta instrução estabeleceu um modelo de debênture capaz de cativar investidores pela sua simplicidade e uniformidade.

 

I - O Que é a Debênture

 

A debênture é um título de dívida emitido apenas por sociedades anônimas. É muito utilizado para tomar empréstimos de longo prazo junto ao público investidor, pois seu custo financeiro é mais baixo que o juro normalmente cobrado em empréstimos bancários. Além disto, também pode ser utilizada em captações para auxiliar o capital de giro da sociedade.

 

II - O Que é a Debênture Padronizada

 

A debênture padronizada continua tendo as mesmas características acima descritas, porém possui uma série de cláusulas e condições que são obrigatórias para sua emissão. Ou seja, a companhia que se interessar em emitir uma série de debêntures poderá escolher entre a padronizada ou a sem especificação.

 

III - Cláusulas e Condições

 

Os modelos de debêntures constantes na ICVM 404/04 se diferenciam substancialmente pela forma de rendimento que adotam, podendo ser:

  • IGP-M1  + Juros;
  • Taxa DI2 ;
  • Dólar Norte Americano + Juros;
  • Taxa pré-fixada.
  • Cupom zero 

Além disto, as cláusulas padrões mais importantes são: 

  • Valor nominal unitário de R$ 1.000,00;
  • Espécie subordinada ou sem preferência;
  • Local de Pagamento pela Emissora
  • Causas específicas de vencimento antecipado;
  • Previsão de arbitragem para solucionar conflitos.

Já o registro obrigatório para distribuição de debêntures padronizadas foi simplificado. Ele poderá ser obtido em até 5 (cinco) dias úteis do requerimento. Para tanto, é necessário: 

  • Que a companhia aberta emitente esteja com seu registro atualizado perante a CVM e que tenha distribuído publicamente títulos nos últimos 5 (cinco) anos;
  • Que a documentação necessária esteja completa e atualizada;
  • Revisão do prospecto pela bolsa ou entidade do mercado de balcão organizado;
  • Relatório de agência que classificou o risco da emissão;
  • Admissão das debêntures no mercado primário. 

IV - Vantagens para o Mercado de Capitais e para o Público Investidor

 

A debênture padronizada não poderá ser emitida no mercado privado. Assim, toda negociação deverá ocorrer em mercados públicos que proporcionem transparência e eficiência nas transações (Ex. Bolsa de Valores). E, para manter a liquidez e interesse do público, um formador de mercado (nos moldes da ICVM 384/03) deverá ser contratado.

 

Além disto, para facilitar o relacionamento com os investidores, o Agente Fiduciário (representante dos debenturistas perante a companhia) deverá ser uma instituição financeira.

 

Assim, a ICVM 404/04 assegurou o acesso dos investidores e o desenvolvimento de um mercado pleno de títulos de dívidas emitidos por companhias abertas.

 

VI - Vantagens para as Empresas Emissoras

 

As sociedades que receberão os investimentos passam a ter mais uma ferramenta para reduzir a sua vulnerabilidade frente às flutuações do mercado financeiro internacional, pois foi criada uma possibilidade de captação de recursos de longo prazo no mercado nacional. Tudo feito de modo rápido, prático e transparente.

 

Como exemplo podemos citar a possibilidade de aproveitar rapidamente "janelas de oportunidades". A distribuição de lotes suplementares de debêntures poderá ser anunciada com até 1 (um) dia de antecedência no boletim oficial do mercado público

 

Sobre a responsabilidade dos agentes envolvidos, a presente instrução deixa claro que a concessão do registro para emissão dos títulos não impede uma futura medida indenizatória ou punitiva. E ainda considera aplicáveis as leis e normas que regulam as ofertas públicas de valores mobiliários (Ex. Leis das S/A's e ICVM 400/03).

 

_____________________

 

1IGP-M: Índice Geral de Preços do Mercado, apurado e divulgado pela Fundação Getúlio Vargas.

2DI: Depósitos Interfinanceiros de um dia, calculados e divulgados pela CETIP - Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos.

 

__________________________

 

*Advogado do escritório Manhães Moreira Advogados Associados

 

 

 

 

 

 

 

 

 

____________________

Atualizado em: 18/5/2004 14:12

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Roberto Rosas

Migalheiro desde 2015

Flávia Pereira Ribeiro

Migalheira desde 2019

Abel Simão Amaro

Migalheiro desde 2004

Vantuil Abdala

Migalheiro desde 2008

Marília Lira de Farias

Migalheira desde 2020

Stanley Martins Frasão

Migalheiro desde 2002

Allan de Oliveira Kuwer

Migalheiro desde 2020

René Ariel Dotti

Migalheiro desde 2006

Selma Ferreira Lemes

Migalheira desde 2005

Jeniffer Gomes da Silva

Migalheira desde 2020

Carla Domenico

Migalheira desde 2011

Guilherme Alberge Reis

Migalheiro desde 2020

Publicidade