terça-feira, 19 de janeiro de 2021

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Cortesia com o chápeu alheio

Mais uma vez, o Brasil se vê frente a frente com um problema envolvendo nossos vizinhos sul-americanos. Depois das querelas e dos prejuízos causados pela Bolívia à Petrobras, e os arrufos e fanfarronices do Hugo Chávez da Venezuela, nem bem eleito o ex-bispo católico Fernando Lugo, novo presidente do Paraguai, já começa a querer renegociar o que foi pactuado e assinado com Itaipu.

segunda-feira, 5 de maio de 2008


Cortesia com o chapéu alheio

Sylvia Romano*

Mais uma vez, o Brasil se vê frente a frente com um problema envolvendo nossos vizinhos sul-americanos. Depois das querelas e dos prejuízos causados pela Bolívia à Petrobras, e os arrufos e fanfarronices do Hugo Chávez da Venezuela, nem bem eleito o ex-bispo católico Fernando Lugo, novo presidente do Paraguai, já começa a querer renegociar o que foi pactuado e assinado com Itaipu.

Este contrato havido entre o Paraguai e o Brasil tem um prazo até 2023 para ser renegociado. E o mandatário paraguaio já quer, num ato pra lá de populista, "roer a corda" e impor novas regras. Segundo sua alegação, em função de hoje o dólar estar meio desvalorizado, o Paraguai está tendo um grande prejuízo. Pergunto: Por que quando esta mesma moeda estava valendo pelo menos o dobro do que hoje ninguém se manifestou a favor ou contra uma mudança no contrato? O Paraguai por motivos óbvios ficou calado e o Brasil honrando o contrato, ficou no prejuízo. Agora que a situação é outra começam a choradeira e as acusações contra o "imperialismo" brasileiro.

Itaipu é hoje responsável por 19% da energia consumida no Brasil e 91% do consumo paraguaio. Mas praticamente todo o investimento na obra ficou a cargo de nosso país e o investimento dos nossos vizinhos seria pago em 40 anos, com a venda da energia aos brasileiros. Será que para a revisão desse contrato os valores investidos não deverão ser atualizados também? E o Paraguai, o que fará com os 50% da energia a que tem direito se não tem como consumi-la?

Acho os nossos vizinhos um povo muito simpático, já cheguei a escrever um artigo, pelo qual até fui criticada ao defendê-los na questão da guerra do Paraguai, mas, como dizia minha avó, o que é tratado não é caro e contratos têm de ser respeitados, não se mudando as regras do jogo durante a partida. Só espero que o nosso maior governante, visando o seu sonho de liderança na América Latina, não ceda a mais este reclamo do vizinho fazendo cortesia com o chapéu alheio. Pois, se isto vier a acontecer o pobre e endividado do consumidor brasileiro é quem deverá, mais uma vez, pagar a conta e, desta vez, será a de luz.

_________________




*Advogada do escritório Sylvia Romano Consultores Associados










______________

Atualizado em: 28/4/2008 11:51

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Justiliana Sousa

Justiliana Sousa

Migalheira desde 2020
Júlio César Bueno

Júlio César Bueno

Migalheiro desde 2004
João Ibaixe Jr

João Ibaixe Jr

Migalheiro desde 2019
Ricardo Alves de Lima

Ricardo Alves de Lima

Migalheiro desde 2020
Miguel Reale Júnior

Miguel Reale Júnior

Migalheiro desde 2003
Celso Cintra Mori

Celso Cintra Mori

Migalheiro desde 2005
Guilherme Alberge Reis

Guilherme Alberge Reis

Migalheiro desde 2020
Flávia Pereira Ribeiro

Flávia Pereira Ribeiro

Migalheira desde 2019
Carla Louzada Marques

Carla Louzada Marques

Migalheira desde 2020
Letícia Baddauy

Letícia Baddauy

Migalheira desde 2020
Stanley Martins Frasão

Stanley Martins Frasão

Migalheiro desde 2002

Publicidade