sábado, 24 de outubro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

A VII Conferência Nacional da OAB (I): Memória da luta contra a intolerância e a opressão

Marco Túlio Cícero (106-43 a.C.), o mais eloqüente dos oradores romanos, disse muito bem que a História é "a testemunha dos tempos, luz da verdade, vida da memória, mestra da vida e mensageira da antiguidade" (De Oratore, 2, 9, 36). Uma outra acepção, também de fonte romana, nos ensina: "Historia magistra vitae".

segunda-feira, 16 de junho de 2008


A VII Conferência Nacional da OAB (I):

Memória da luta contra a intolerância e a opressão

René Ariel Dotti*

Marco Túlio Cícero (106-43 a.C.), o mais eloqüente dos oradores romanos, disse muito bem que a História é "a testemunha dos tempos, luz da verdade, vida da memória, mestra da vida e mensageira da antiguidade" (De Oratore, 2, 9, 36). Uma outra acepção, também de fonte romana, nos ensina: "Historia magistra vitae".

Nos dias 7 a 12 de maio de 1978, portanto, há trinta anos, realizou-se em Curitiba a VII Conferência Nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, coordenada pelo presidente da seccional, Eduardo Rocha Virmond, e com o patrocínio do Conselho Federal, liderado por Raymundo Faoro. O evento reuniu mil e quinhentos participantes, entre advogados e estudantes de Direito, que tiveram a oportunidade de acompanhar os debates em torno de 47 teses e assistir palestras e conferências dos mais renomados causídicos e mestres. Uma notável cobertura da imprensa nacional e local já prenunciava os novos tempos que adviriam logo em seguida, com a Emenda Constitucional nº. 11, de 13 de outubro de 1978 (clique aqui), e a Anistia (Lei nº. 6.683, de 28/8/1979 - clique aqui). A EC declarou revogados todos os Atos Institucionais que, mutilando a Carta Política liberal de 1946, imprimiram as marcas autoritárias na Constituição de 1967 (clique aqui) e na chamada Emenda nº. 1, de 17 de outubro de 1969 (clique aqui). O eufemismo não escondia a natureza jurídica e institucional desse documento legislativo: era, na verdade, uma nova Constituição, que não era chamada pelo verdadeiro nome somente para não desgastar o conceito do regime militar que passou a governar o país a partir de 1º de abril de 1964.

Fiel às suas origens históricas, a Ordem dos Advogados imprimiu na VII Conferência Nacional duas homenagens póstumas para abrir as comemorações cívicas: ao maior constitucionalista do Século XIX, José Antonio Pimenta Bueno - o Marquês de São Vicente (1803-1878) e a Hugo Simas (1883-1941), desembargador do Superior Tribunal de Justiça do Estado do Paraná. Em sua posse, ocorrida no ano de 1933, ele disse alto e bom som: "Não nasci para o servilismo, como aqueles senadores que carregaram nos ombros o corpo de Augusto, ou beijaram os pés do Imperador Domiciano". (Dos Anais da VII Conferência da OAB, 1979).

Os profissionais do Direito e da Justiça nascidos a partir dos anos 60s e a juventude acadêmica de hoje precisam ter referenciais significativos para compreender a grande transformação ocorrida entre o período do Estado autoritário até a chegada do Estado Democrático de Direito, e também a resistência heróica dos advogados brasileiros contra a ditadura militar e seus múltiplos atos de exceção.

Os cinco Atos Institucionais, a partir de 9 de abril de 1964 até 13 de outubro de 1978, produziram extraordinários e irreversíveis danos à continuidade do processo democrático brasileiro, como veremos adiante. (Segue)

__________________





*Advogado do Escritório Professor René Dotti









_____________

Atualizado em: 13/6/2008 10:48

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS

Milena Donato Oliva

Migalheira desde 2020

Fernando Guido Okumura

Migalheiro desde 2020

Bruno Meneses Lorenzetto

Migalheiro desde 2013

Sérgio Gerab

Migalheiro desde 2019

Anderson Schreiber

Migalheiro desde 2020

Letícia Arenal

Migalheira desde 2015

Rosana Chiavassa

Migalheira desde 2015

Raquel Mansanaro

Migalheira desde 2019

Flavio Goldberg

Migalheiro desde 2020

Publicidade