quarta-feira, 20 de janeiro de 2021

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Alimentos, o dever de pagar e o direito de receber

O sentido jurídico do termo alimentos constitui, em síntese, qualquer quantia paga a título de provisão, assistência ou manutenção a uma pessoa, por outra que é obrigada, por força da lei, a prover suas necessidades. Pela sua amplitude, importância e, principalmente, por envolver a questão da prisão civil como instrumento para que o devedor efetue o pagamento dos alimentos de forma correta, o tema tem provocado debates doutrinários e jurisprudenciais.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008


Alimentos, o dever de pagar e o direito de receber

Alessandra Abate*

O sentido jurídico do termo alimentos constitui, em síntese, qualquer quantia paga a título de provisão, assistência ou manutenção a uma pessoa, por outra que é obrigada, por força da lei, a prover suas necessidades. Pela sua amplitude, importância e, principalmente, por envolver a questão da prisão civil como instrumento para que o devedor efetue o pagamento dos alimentos de forma correta, o tema tem provocado debates doutrinários e jurisprudenciais.

As necessidades de prestação de alimentos devem alcançar não só a subsistência material do alimentado, mas também de habitação, educação, vestuário, lazer etc. Ou seja, os alimentos englobam tudo o que é necessário para o sustento daquele que tem o direito de recebê-los. Ainda assim, devem ser fixados mantendo sempre o equilíbrio entre necessidade e possibilidade, na proporção das necessidades de quem irá recebê-los e também dos recursos de quem irá pagá-los.

Os alimentos podem ser devidos em razão do parentesco, em razão da dissolução do casamento ou da dissolução da união estável.

No caso da relação de parentesco, o direito à prestação de alimentos é recíproco entre pais e filhos, é extensível a todos os ascendentes, atingindo inicialmente os mais próximos. Na falta de ascendentes, cabe a obrigação aos descendentes, respeitando-se sempre a ordem da sucessão, e podendo, então, recair sobre os irmãos capazes - germanos (filhos de mesmos pai e mãe) ou unilaterais.

Os pais separados, judicialmente ou de fato, bem como os divorciados têm, ambos, a obrigação de alimentar seus filhos na proporção dos seus recursos, respeitando as condições financeiras de cada um.

Já com relação à dissolução do casamento ou da união estável, é possível fixar determinado valor a ser pago por um dos cônjuges ao outro, a título de alimentos. Vale destacar que tanto o homem como a mulher podem ser obrigados a prestar alimentos conforme a possibilidade de um e necessidade do outro.

Não será devida a pensão alimentícia a quem estiver empregado e tiver condições de manter-se. Serão devidos alimentos mesmo àquele que tenha dado causa à separação. Porém, nesse caso, serão fixados tão somente para a subsistência mínima do alimentando. Com um novo casamento ou união estável do credor, bem como na hipótese de este ter comportamento indigno em relação ao devedor, cessará o dever de prestar alimentos.

O Código Civil (clique aqui), em sentido contrário à doutrina e à jurisprudência mais moderna, estabeleceu que o direito aos alimentos é irrenunciável. É possível que o dever de pagar não exista momentaneamente, o que não significa a renúncia ao direito de receber, podendo o alimentando requisitá-los quando for necessário. E as prestações alimentícias não podem ser penhoradas nem cedidas.

É possível o ajuizamento da chamada ação revisional de alimentos para que seja diminuído ou aumentado o valor fixado da prestação alimentícia havendo mudança na necessidade e/ou na possibilidade do pagamento.

_________________

*Advogada





__________________

Atualizado em: 1/10/2008 14:45

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Italo Bondezan Bordoni

Italo Bondezan Bordoni

Informativo Migalheiro desde 2019
Gustavo Binenbojm

Gustavo Binenbojm

Informativo Migalheiro desde 2005
Sóstenes Marchezine

Sóstenes Marchezine

Informativo Migalheiro desde 2021
Ricardo Alves de Lima

Ricardo Alves de Lima

Informativo Migalheiro desde 2020
Gilberto Bercovici

Gilberto Bercovici

Informativo Migalheiro desde 2007
Carla Domenico

Carla Domenico

Informativo Migalheira desde 2011
Cesar de Lima e Silva

Cesar de Lima e Silva

Informativo Migalheiro desde 2019
Giselle Farinhas

Giselle Farinhas

Informativo Migalheira desde 2017
Roberto Rosas

Roberto Rosas

Informativo Migalheiro desde 2015

Publicidade