dr. Pintassilgo

Altinópolis

Voando pelo centro-norte do Estado de São Paulo me deparo com Altinópolis, pequena cidade de grande e bela natureza. Suas cachoeiras podem matar minha sede e suas grutas me encantar com tamanho mistério.

Depois de recuperado, parto para o centro da cidade. Pequeno e simples, mas simpático e acolhedor, o centro reflete nada mais que o jeito dos moradores dessa cidade, que percebem na hora a sua feição de busca e lhe dão informações antes mesmo de pedir.

Entre os filhos ilustres desta terra, está o “adotivo”, porém querido por todos, Bassano Vaccarini, famoso escultor italiano que, após a Segunda Guerra Mundial, encontrou em Altinópolis sua nova casa. Voo então à procura de sua obra e encontro um impressionante museu a céu aberto, com esculturas de uma impressão indescritível.

Após tamanha contemplação, viajo para a praça principal. Árvores, flores e bancos envolvem um delicado coreto e a placa marcando o início da comarca de Altinópolis : 25 de abril de 1965. Logo atrás, posso avistar a Igreja Matriz, no seu suave tom azul, onde seu pátio a frente é atravessado calmamente por seus moradores e suas bicicletas.

Não fica difícil achar o Fórum, a Prefeitura ou mesmo a Casa da Cultura, tudo está perto e conectado ao centro dessa aconchegante cidade.

Parto, então, novamente para a minha jornada, com a vontade de ter ficado mais, mas com a esperança de encontrar outras cidades tão acolhedoras quanto Altinópolis.

______________