Encerrado

  • Data: 9/10
  • Horário: 9h às 17h40
  • Local: Av. Angélica, nº 2510 – cjs. nº 31 a 34 – Higienópolis - São Paulo/SP

Market overview

O Ministério Público do Trabalho - muitas vezes atuando em conjunto com a fiscalização do Ministério do Trabalho (DRT) - tem sido implacável na fiscalização das condições de trabalho nas empresas, sejam elas pequenas, médias ou grandes. Como decorrência dessas fiscalizações, tem sido comum a imposição da assinatura do TAC - Termo de Ajustamento de Conduta - como forma de evitar a interposição de ação civil pública. Esse instrumento, por sua vez, impõe aos empresários pesadas multas em caso de descumprimento, além de determinarem que severas condições de mudança devem ser implantadas. Muitas vezes, entretanto, a assinatura dos TAC's é efetivada por excesso de pressão por parte dos órgãos de fiscalização, onerando sem necessidade o empreendimento.

Por que participar deste evento

Este seminário proporcionará aos participantes um delineamento dos aspectos legais com visão detalhada e dos meandros das intervenções de natureza trabalhistas. Serão apresentados sob o ponto de vista prático o enfrentamento das questões legais e processuais e a forma adequada de analisar a adesão ou não ao termo de ajustamento de conduta, de forma a orientar a direção do empreendimento sobre a necessidade ou não de adesão, bem como sobre a prática correta e legal do empresário nesse contexto.

Público-alvo

Empresários, executivos de empresas, profissionais da área de departamento pessoal, recursos humanos e advogados de empresas em geral, além de sindicatos patronais.

Programação

8h40 às 9h - Credenciamento

9h às 10h

Os procedimentos fiscalizatórios

Delegacia Regional do Trabalho - DRT e Fiscalização do trabalho

  • Poderes do fiscal;
  • Direitos e deveres da empresa fiscalizada e de seus prepostos;
  • Entrega de documentos e prazos;
  • Documentos e informações solicitadas pelo agente fiscal que não estão em poder da empresa fiscalizada, mas de uma segunda empresa envolvida: o que fazer;
  • Consequências da falta de entrega dos documentos e informações requeridos pelo agente fiscal.

Atuação do Ministério Público do Trabalho e os procedimentos preparatórios.

10h às 10h10 - Perguntas e comentários

10h20 às 10h30 - Networking Break

10h30 às 11h50

- Ismenia Evelise Oliveira de Castro
Fundadora do De Castro Sociedade de Advogados, Advogada militante, negociadora Sindical, parecerista, autora de artigos publicados em revistas técnicas, palestrante sobre temas relacionados a relações trabalhistas, especializada em Direito do Trabalho pela PUC-COGEAE/SP. Detém mais de 10 anos de atuação na área trabalhista e contratual, tendo atuado a frente do contencioso e consultivo de empresas atuantes no ramo aeronáutico, petróleo e gás, call center, tecnologia da informação, construção pesada e de grande porte, alimentos, indústria de entretenimento e fonográfica, fabricação de telhas de concreto, trade marketing e merchandising, logística, telecomunicações, metalurgia, comercio, concessionarias de serviços públicos, entre outras.

Os termos de ajustamento de conduta e as relações de trabalho - aspectos práticos e processuais de um TAC.

Principais aspectos trabalhistas que demandam os procedimentos investigatórios e de ajustamento de conduta TAC:

1. Não recolhimento dos depósitos para o FGTS;

2. Terceirização da mão de obra (cooperativas pessoas jurídicas, empresas de terceirização, entre outros);

3. Jornada de trabalho;

4. Descumprimento das condições mínimas aceitáveis no ambiente de trabalho;

5. Descumprimento das normas de segurança e saúde ocupacional;

6. Inobservância das cotas para deficientes físicos;

7. Discriminação racial;

8. Assédio moral e sexual, entre outros.

Eficácia de título executivo judicial;

O não cumprimento e suas consequências;

Apresentação de cases.

11h50 às 12h - Perguntas e comentários

12h às 13h30 - Almoço

13h30 às 14h30

Ação civil pública

  • Conceito de ação civil pública e suas consequências;
  • Legitimidade para propositura da ação civil pública;
  • Inclusão dos diretores e administradores no pólo passivo da ação;
  • Obrigações de fazer e não fazer;
  • Efeitos e alcance das decisões das ações civis públicas;

Decisões judiciais sobre o tema.

14h30 às 14h40 - Perguntas e comentários

14h40 às 15h50

- Jefferson Ferreira Tenca
Advogado e consultor jurídico e sócio da Consultoria A. Lopes Muniz, graduado pela Universidade de Osasco, pós-graduado pela mesma universidade em Direito Processual e Direito Civil, Responsável pelo contencioso trabalhista, civil e tributário de empresas do ramo da construção civil, coordenou a área trabalhista e segurança do trabalho do Condomínio Centro Empresarial empresa do grupo BUNGE e consultivo e contencioso trabalhista e tributário da Reckitt Benckiser. Responsável pela implantação de projetos especiais em multinacionais, visando apuração, revisão e redução de passivos, atuou como advogado prestando assessoria consultiva para diversas empresas do ramo de construção civil, transportes e produtos de consumo.

As responsabilidades das empresas e dos administradores

  • Aplicação de sanções civis e penais, previstas no termo de ajustamento de conduta e nas ações civis públicas;
  • Obrigações de fazer/ obrigações de não fazer;
  • Multas e indenizações;

Decisões judiciais sobre o tema;

Apresentação de cases.

15h50 às 16h - Perguntas e comentários

16h10 às 16h30 - Networking Break

16h30 às 17h30

Consequências criminais

Parâmetros criminais sobre as consequências de uma visita e atuação de uma fiscalização trabalhista e do MPT;

  • Tipificação de fraudes;
  • Crimes que podem ser cometidos pelo particular nas situações de:
    • Fiscalização trabalhista;
    • Inquérito civil perante o MPT.
  • Crimes que podem ser cometidos pelo auditor fiscal do trabalho;
  • Crimes que podem ser cometidos pelo Procurador do Trabalho;
  • Crimes que podem ser cometidos no curso de uma relação de trabalho;

Decisões judiciais sobre o tema.

17h30 às 17h40 - Perguntas e comentários

Coordenação acadêmica

- Mauro Scheer Luís
Bacharel em direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, com formação em PNL – Programação Neurolinguística – pela Sociedade Brasileira de Programação Neurolinguística (SBPNL), tendo participado de cursos e treinamentos de formação executiva na Alemanha e na Inglaterra. Cursou módulos de especialização em: direito tributário no IBET – Instituto Brasileiro de Estudos Tributários, instituto complementar à USP; de direito societário na Fundação Getúlio Vargas/SP e de excelência gerencial pela FAAP. Cursando MBA em empreendedorismo e inovação pela B.I. International / Berkeley University of California. (Estados Unidos), Babson Executive Education (Estados Unidos) e Shanghai Jiao Tong University (China). Membro da Ordem dos Advogados do Brasil (Secção São Paulo), da AASP – Associação dos Advogados de São Paulo e da APET – Associação Paulista de Estudos Tributários; autor de diversos artigos. Foi membro da comissão de cooperativismo da OAB-SP, participa do comitê de planos de saúde da OAB/SP e é presidente da Comissão de Sociedades de Advogados da OAB de Santo André/SP. Participa de reuniões de comitês técnicos na Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos (Amcham) e da Câmara Brasil-Alemanha (AHK). É advogado sócio-fundador de sociedade de advogados, coordenador acadêmico de instituição de ensino executivo e presidente de grupo empresarial.

Observações

*Inclusos : material de apoio (certificado, crachá e apostila), almoço e dois networking break.

*A confirmação da realização do curso está sujeita a quórum mínimo; no caso de cancelamento, todo e qualquer valor pago a título de inscrição será devolvido, porém não nos responsabilizamos por gastos com passagens aéreas, traslados, hospedagem ou qualquer outra despesa.

*Horário sujeito a alterações.

Realização

  • Central Prática Educação Corporativa

__________

INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES

TELEFONE

(11) 3257-4979

e-mail

contato@gruposmax.com.br

ou

Clique aqui

Publicado quarta-feira, 3 de setembro de 2014