Encerrado


Conferência

Gerenciamento de Riscos Corporativos

  • Data: 19 a 21/8
  • Horário: v. programação
  • Local: Amcham Business Center - rua da Paz, 1431 – Chácara Santo Antônio - São Paulo – SP


(Clique na imagem para ver a programação em PDF)

Visto a crescente demanda mundial de grandes corporações pelo Enterprise Risk Management, o IQPC, líder mundial em conferências para altos executivos, está organizando a 2ª edição do renomado evento Gerenciamento de Riscos Corporativos. Não perca a oportunidade de participar, trocando experiências e conhecendo a fundo casos práticos de sucesso das melhores empresas do mercado em riscos corporativos.

Saiba mais sobre:

  • Identificação e definição dos fatores críticos para uma implementação de sucesso de ERM
  • Criação de matrizes de riscos e mapas de controles para tomada de decisões estratégicas
  • Alinhamento contábil através de registros e acompanhamentos estratégicos dos riscos
  • A manutenção da SOX alinhada a práticas de governança corporativa
  • Métodos de modelagem e valoração quantitativa como alavanca para novos negócios e criação de valor
  • Apresentação de um modelo inovador de governança de riscos em segurança da informação
  • Uso de derivativos como mecanismo de gestão de fluxo de caixa
  • Análise de riscos legais e danos potenciais para a reputação empresarial

1º DIA19/8 - Terça-feira

7h50 Recepção, entrega da documentação e café

Tutorial Prático

8h30 - Início

10h30 - Término

Principais desafios e benefícios da incorporação do conceito de Enterprise Risk Management na gestão empresarial – Estudo de caso Petrobras. O objetivo deste workshop é detalhar a experiência da Petrobras na estruturação de seu modelo de ERM e como as diferentes áreas envolvidas interagem superando desafios em busca de uma gestão cada vez mais ágil e estratégica. Chegar a um nível de alta maturidade em gestão de riscos não é tarefa simples, muito pelo contrário, é necessário estar continuamente superando desafios cruciais envolvendo os controles e processos dentro e fora da estrutura corporativa.

  • História e estrutura de ERM na Petrobras
  • Fundamentos para a definição da política corporativa de gestão de riscos da companhia
  • Desafios na integração entre gestão de riscos das áreas de negócio e a gestão integrada
  • Importância da comunicação interna e apoio constante da alta direção
  • Fatores críticos, desafios mais comuns e como superá-los
  • Uma visão para o futuro do ERM na companhia

-Antonio Gomes Moura
Gerente Corporativo de Riscos PETROBRAS

10h30 Networking coffee break

11h Abertura da conferência pelo Presidente de Mesa

-Oswaldo Basile
Presidente AUDI BRA – INSTITUTO DOS AUDITORES INTERNOS DO BRASIL

11h10 A importância de ter um modelo eficaz de registro e acompanhamento dos riscos visando seu monitoramento permanente e um melhor alinhamento estratégico

Esta palestra demonstrará como a Comgás vem realizando sistemicamente seus inputs e acompanhamento dos riscos corporativos de forma eficaz, obtendo maior segurança, agilidade e atuação estratégica preventiva.

  • O modelo Comgás de ERM (2 bases: Operacional e Estratégica)
  • O pipeline do sistema – input dos dados, acompanhamento e tomada de decisão
  • Integração dos resultados com a auditoria visando o alinhamento contábil

-Ubiratan Zaccaro Conesa
Superintendente de Auditoria COM GÁS

12h Desafios e estratégias para uma eficiente integração da Gestão de Riscos com a Auditoria Interna

A aplicação da conscientização do Código de Conduta Ética aos funcionários, terceirizados e parceiros como planejamento na gestão de riscos corporativos e de trabalhos de auditoria interna.

  • A avaliação do ambiente ético corporativo
  • Efetivação do planejamento de auditoria interna com base na potencialidade dos riscos de fraudes
  • Como priorizar a inteligência no desenvolvimento dos trabalhos de auditoria preventiva

-Carlos Alberto Muneratti
Diretor KRO LL

12h50 Almoço

14h20 Implantação do Processo de Gestão de Riscos e estratégias para tratamento e manejo dos riscos operacionais através de uma matriz de vulnerabilidade–perda esperada

A intenção desta palestra é demonstrar como a Boehringer-Ingelheim vem realizando sua gestão de riscos operacionais, tendo como base importante na avaliação dos mesmos a criação de uma matriz de vulnerabilidade-perda esperada e suas estratégias de contenção. Adicionalmente será apresentado um dos aspectos mais importantes para a gestão de riscos da empresa: a gestão estratégica e a metodologia de análise de riscos no transporte de carga e avaliação de provedores.

  • Conceito de perigo, risco e riscos operacionais
  • Método de análise de risco utilizado
  • Implantação do processo passo-a-passo
  • Estratégias de manejo
  • Benefícios da gestão de riscos
  • Gerenciamento de riscos no transporte de cargas
  • Método de avaliação dos provedores (operadores logísticos, transportadores, etc.)

-Mauro Baier de Carvalho
Site Security Officer, CES BOEHRINGER INGELHEIM DO BRASIL

15h10 Caso Brasil Telecom: como a prática em governança de gestão de riscos corporativos favoreceu a manutenção da SOX

A adoção de práticas de boa governança, de valorização à ética e de transparência contínua tem não somente ampliado a percepção de valor da companhia por parte do mercado, como também reduzido o fator de risco de governança da Brasil Telecom na avaliação de analistas. Nesse contexto, a Brasil Telecom aderiu à prática de gestão de riscos corporativos que culminou na visão integrada dos riscos da companhia, na governança do risco em segurança da informação, na racionalização da estrutura de controles para manutenção da certificação SOX e no alinhamento da estratégia de negócio às decisões que envolvem riscos e oportunidades.

  • A condução da governança corporativa na Brasil Telecom
  • A estrutura de governança em riscos corporativos: dinâmica, instrumentos, comitê de riscos e política
  • Governança de riscos em segurança da informação: um modelo inovador
  • A governança da estrutura racionalizada de controles internos: os novos desafios após o AS-5

-Fábio Moser
Vice-Presidente de Governança e Negócios Corporativos BRASIL TELECOM

16h Networking coffee break

16h30 Planos de contingência como estratégia para melhorar a continuidade dos negócios

O objetivo da palestra é apresentar a metodologia utilizada por ISAGEN, empresa de geração e comércio de energia, para a implementação dos planos de contingência nas centrais de geração, adaptada de acordo com as melhores práticas mundiais em continuidade de negócios. Estão inclusas as etapas de análise de cenários, ações de contingência e recuperação além da simulação de cenários mais críticos mediante um programa de realidade virtual.

  • Modelo de continuidade de negócios
  • A estrutura de gestão de riscos na Isagen
  • Análise de cenários e valoração dos riscos
  • Definição de ações do plano de contingência
  • Simulação de resposta aos cenários de perda

-Luís Fernando Botero
Especialista em Gestão de Riscos ISAGEN

17h20 Segurança da Informação e conformidade através da superação de desafios e riscos envolvendo processos, controles internos e compliance

O objetivo desta palestra é demonstrar como a Visanet vem gerenciando os riscos de infra-estrutura e segurança da informação, tendo como base importante a experiência em compliance ao PCI (Payment Card Industry Security Standards), programa criado pelas Bandeiras para suportar e agilizar a implementação dos Padrões de Segurança nos processos e infra-estrutura dos serviços internos e externos.

  • Gestão de riscos de TI na Visanet
  • A experiência em compliance ao PCI
  • Desafios e obstáculos na gestão de segurança da informação

-Sérgio Cloves
Gerente de Segurança da Informação VISANET

18h10 Encerramento do 1º dia da conferência

2º DIA – 20/8 - Quarta-feira

8h30 Recepção e café

Workshop A

9h Início

10h10 Coffee break

11h30 Término

Gestão de Riscos em momentos críticos (Crisis Management. Gestão de Crise tornou-se um assunto relevante a ser discutido por muitas companhias atualmente. Os desastres em potencial que nós enfrentamos hoje, indicam que as companhias devam considerar perda de capital humano, imagem, mercado, comunicações e relacionamento com terceiros como temas complexos. Seu principal objetivo é identificar funções denegócios críticas, impactos e estratégias para garantir a continuidade das operações, oferecendo transparência aos acionistas e clientes. A gestão de Continuidade dos Negócios possibilita também a identificação de métodos de proteção de imagem, comunicações eficientes, resposta rápida e coordenada ao incidente, visando a proteção da organização e de todos os envolvidos durante um evento.

  • Gerenciamento de crise
  • Resposta ao incidente e comunicação durante a crise
  • Análise de impactos
  • Cadeia de valor
  • Conscientização e cultura
  • Risk assessment

-Roberto Zegarra
Líder da Prática de BCM MARSH AMÉRICA LATINA

11h40 Abertura do 2º dia da conferência pelo Presidente de Mesa palestra internacional

11h45 Fatores críticos de sucesso na implementação de um ERM em uma empresa petroleira: Caso Ecopetrol

O sucesso da implementação de um sistema de gestão integrado de riscos depende da capacidade de uma organização em adaptar as teorias à sua realidade e necessidades. Esta apresentação descreve o processo, obstáculos e desafios da Ecopetrol ao longo da estruturação e personalização de um ERM a sua medida, de acordo com sua cultura, objetivos estratégicos e contexto organizacional como empresa integrada do setor petroleiro.

  • Por que um ERM para Ecopetrol? Motivações para sua implementação
  • Mudança do enfoque: de uma visão estratégica para uma aproximação bottom-up
  • Passo-a-passo da implementação do ERM
  • Desafios e fatores críticos de sucesso no processo

-Alexandra Arango
Chefe de Unidade de Gestão de Riscos (E), Vice-presidência Financeira ECOPETROL

12h35 Almoço

14h Gestão ambiental em grandes empreendimentos para minimizar impactos e riscos ambientais - Caso Programa Cultivando Água Boa

A gestão dos aspectos e impactos ambientais contribuem de forma significativa para minimização dos riscos ambientais corporativos das organizações.

Neste contexto será abordada a situação atual do planeta, com o aquecimento global/mudanças climáticas, problemática com a utilização da água, e também a situação ambiental regional/local. Serão apresentados os conceitos, metodologias e resultados de um programa de gestão ambiental que se estabelece além das fronteiras legais ou mitigadoras de impactos ambientais e que possibilita exercer um papel protagonista na busca da sustentabilidade, condizente com contexto global, de aumento dos níveis de responsabilidade social e ambiental, exigidos atualmente das organizações.

  • Problemática global e regional
  • Responsabilidade socioambiental das empresas e posicionamento da Itaipu
  • Modelo de gestão ambiental da Itaipu
  • Programas e Ações Socioambientais

-Nelton Miguel FrIedrich
Diretor de Coordenação e Meio Ambiente ITAIPU BINACIONAL

14h50 Gestão de riscos em um mercado altamente competitivo e em constante mudança

Tendo em vista a competitividade do mercado de telecomunicações e busca constante pela vantagem competitiva tendo como foco principal a qualidade da prestação de serviços, a intenção desta palestra é demonstrar como são identificados os riscos e de que maneira ocorre a avaliação e seleção dos mesmos para tomada de decisões estratégicas.

  • Desafios e pontos críticos em uma análise de risco de mercado (casos práticos comuns)
  • Identificação, avaliação e seleção dos riscos visando otimizar a tomada de decisão
  • Comparação e integração dos riscos internos e externos: uma visão global dos riscos de mercado

-Floriano Paulino Costa Neto
Diretor de Gestão de Riscos TELEFÔNICA

15h40 Networking coffee break

16h10 Seleção de parceiros estratégicos, controle e mitigação dos riscos como base fundamental na gestão de riscos em terceirização

Melhores práticas na gestão de risco de gestores de redes, agentes de arrecadação, empresas de coleta de valores, empresas de call center e escritórios de cobrança.

  • Os pontos que serão abordados serão os voltados ao processo de credenciamento, monitoramento, manutenção e plano de continuidade de negócios.
  • Melhores práticas para seleção do parceiro estratégico
  • Modelos e controles utilizados para mitigação de riscos sobre pessoas, processos e sistemas das empresas terceirizadas

-Abner Oliveira Rosa
Superintendente de Gerenciamento de Risco BANCO LEMON

17h Gestão de Riscos Reputacionais – Como garantir e proteger a imagem da organização.

O objetivo desta palestra é demonstrar como as organizações vêm estruturando programas de compliance no intuito de prevenir-se contra riscos reputacionais ao realizarem negócios através da contratação de serviços, parcerias, fusões, aquisições, joint-ventures entre outras formas de associação.

  • A estruturação de departamentos de Compliance com foco em risco reputacional
  • A lei americana FCPA e seus desdobramentos no Brasil
  • Métodos e ferramentas de pesquisa, análise e monitoramento de riscos
  • Avaliação de resultados e recomendações de apoio à tomada de decisão

-Pyter Stradioto
Gerente de Compliance AES Eletropaulo

17h50 Encerramento do 2º dia de conferência

3º DIA – 21/8 - Quinta-feira

8h30 Recepção e café

Workshop B

9h Início

10h10 Coffee break

11h30 Término

Entenda o impacto das principais normas e padrões brasileiros e internacionais na gestão de riscos corporativos: um guia prático sobre o atual cenário da ISO 31000 e da NBR 15999:1-2007

O objetivo deste workshop é traçar um panorama sobre o atual cenário da gestão de riscos corporativos e como as normas e padrões impactam o mercado.

Em especial será apresentando o atual cenário da ISO 31000: General guidelines for principles and implementation of risk management e a NBR 15999:1-2007 norma brasileira que tem como foco o código de prática de gestão de continuidade de negócios (GCN). Como membros atuantes do comitê internacional da ISO 31000 e nacional da NBR 15999:1-2007, a ABNT apresentará o que cada norma representa na gestão de riscos, tendo como base os principais desafios às organizações assim como ferramentas e modelos para implementá-las.

  • Gestão de riscos e principais normas no Brasil e no cenário internacional
  • O atual cenário da ISO 31000
  • O impacto da NBR 15999:1-2007, Norma Brasileira de Gestão de Continuidade de Negócios
  • Ferramentas e modelos para implementação

-Adolpho Costa

-Fernando Nery
Membros da Comissão de Estudo Temporária para Gestão de Riscos ABNT – ASOCIAÇÃO BRASI LEIRA DE NORMAS TÉCNICAS

11h30 Abertura do 3º dia da conferência pelo Presidente de Mesa

11h35 Uso de derivativos na gestão de risco de fluxo de caixa e operações de tesouraria

A Vale vem utilizando derivativos como um de seus mecanismos de gestão de fluxo de caixa, assim como na customização de instrumentos financeiros de tesouraria. A apresentação tem por objetivo contextualizar o papel dos derivativos na atuação da gestão de risco corporativo da Vale.

  • Histórico da utilização de derivativos e gestão de risco na Vale
  • Papel atual dos derivativos como instrumento de gestão de risco e tesouraria na Vale
  • Desafios e obstáculos de uma gestão de tecnologia da informação

-André Werner
Gerente de Gestão de Risco de Mercado - América do Sul e Central VALE

12h25 Aspectos jurídicos envolvidos na identificação e gestão do risco em operações de fusão e aquisição.

O objetivo da apresentação é abordar a importância, nas operações de fusão e aquisição, da auditoria legal na identificação dos riscos envolvidos, bem como os diversos mecanismos contratuais existentes para ajudar a mitigar e gerir tais riscos.

  • Auditoria legal (Due Dilligence)
  • Mecanismos contratuais
  • Declarações, indenização e garantias (escrow e outras garantias reais e pessoais)

-Gyedre Oliveira
Sócia SOUZA, CESCON AVEDISIAN , BARIEU E FLESCH ADVO GADOS

13h15 Almoço

14h40 Criação de valor no setor de geração de energia através da atuação da área de riscos no planejamento estratégico e desenvolvimento de novos negócios

Apresentar quais são os principais riscos do setor de geração de energia e quais são as políticas e procedimentos adotados pela Duke para monitorar, quantificar e mitigar estes riscos. Descrever como a área de gestão de risco está estruturada na Duke Energy e sua importância na criação de valor para a empresa bem como a sua atuação na área de planejamento estratégico e novos negócios.

  • Gestão de risco no setor de geração de energia (o risco hidrológico)
  • Estrutura da área de Risco na Duke Energy e suas principais políticas e Procedimentos
  • A criação de valor através da gestão do risco
  • A atuação da área de risco no planejamento estratégico e no desenvolvimento de novos negócios

-Eduardo Rossetti Lopes
Gerente de Risco e Portfolio DUKE ENERGY

15h30 Métodos da valoração quantitativa de riscos para modelagem de sistemas minimizando a vulnerabilidade e impacto no planejamento financeiro

A administração de riscos nas organizações deve transcender da identificação e definição de mecanismos para se proteger contra perdas inesperadas, buscando equilíbrio na relação entrada/saída, minimizando o impacto ocasionado pela volatilidade das variáveis no planejamento financeiro e para promover a criação de valor para os acionistas. O Grupo ISA tem avançado na implementação de seu sistema para gestão integrada de riscos, passando de uma valoração qualitativa dos mesmos na qual se determinam freqüências, impactos e vulnerabilidades, para uma valoração quantitativa, na qual se agregam técnicas de modelagem de sistemas, ferramentas matemáticas, estatísticas e de econometria, com o objetivo de quantificar os riscos, estimar a vulnerabilidade associada a eles e o impacto que terão no planejamento financeiro.

  • Gestão integral dos riscos na ISA
  • Análise qualitativa dos riscos
  • Valoração quantitativa de riscos
  • Estimativa da utilidade em riscos (EaR) e fluxo de caixa em risco (CFaR)

-Juan Felipe Múnera Yepes
Coordenador de Gestão de Riscos INTERCONE XIÓN ELÉCTRICA S.A. – ISA

16h20 Networking coffee break

16h50 PAINEL - Risk Management para o Futuro: Como quebrar os paradigmas internos visando uma gestão integrada dos riscos corporativos

Pontos a serem discutidos:

  • As dificuldades para a criação e manutenção de uma cultura de gestão de riscos integrada às rotinas da organização
  • A integração eficaz dos processos de auditoria interna, gestão de riscos, compliance e outras atividades de governança corporativa

Moderador:

-Artur Neves
Diretor Adj. Governança Corporativa BRASIL TELECOM

Participantes:

-Welington Oliveira Soares
Superintendente de Auditoria Interna SISTEMA USIMINAS-COSIPA

-Adalberto Reis
Assessor de Auditoria e Sistemas de Segurança da Informação SERASA

-Antonio Gomes Moura
Gerente Corporativo PETROBRAS

-Eduardo F. Damião
Gerente de Riscos de Seguros ODEBRECHT - OCS

18h Encerramento da Conferência

Investimento

*Indicação do Portal Migalhas recebem 10% de desconto! Mencione o código 12286MIG para receber seu desconto.

Até 4/7

-R$4.830,00 Evento Completo
-
R$4.160,00 Conf + 2 módulos
-
R$3.480,00 Conf + 1 módulo
-
R$3.295,00 Conferência
-R$795,00 Módulo Work. (cada)
-
R$795,00 Módulo Tutorial

**15% de desconto para inscrições e pagamentos efetuados até 4/7

Após 4/7

-R$5.380,00 Evento Completo
-R$4.685,00
Conf + 2 módulos
-R$3.990,00
Conf + 1 módulo

Realização

  • IQPC Brasil - International Quality & Productivity Center

__________

INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES

TELEFONE

(11) 3164-5600

e-mail

atendimento@iqpc.com

ou

Clique aqui

 

 

Publicado sexta-feira, 13 de junho de 2008