domingo, 25 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Sudene

de 6/3/2005 a 12/3/2005

"FHC foi quem acabou com a Sudene. Agora, Severino quer ela de volta. Ele disse que vai pressionar o Senado para que o projeto que recria a Sudene seja posto em pauta imediatamente. Severino alega que o MST tem falhas terríveis, pediu mudança no programa de reforma agrária do governo. A importância da SUDENE para o desenvolvimento do Nordeste nos últimos quarenta anos é um fato incontestável. Os grandes projetos que modernizaram a agricultura e a indústria nordestina sempre contaram com a participação da SUDENE e, sem ela, dificilmente seriam realizados. O valor dos 3.058 projetos aprovados pela SUDENE nesses quarenta anos somaria hoje um total de 68,4 bilhões de reais, ou R$ 22.367.560 por unidade - com uma participação prevista do FINOR de 30,4%, ou R$ 20,8 bilhões. Estes investimentos gerariam 680.000 empregos, ou 222 empregos por unidade produtiva. O rombo causado pelo festival de fraudes transamazônicas na Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia, a Sudam, no período de 1994 a 1999, ultrapassa R$ 2 bilhões, e foi a causa de seu fechamento. As denúncias de desvios de recursos na Sudam levaram o ex-presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA) a renunciar ao mandato. Ao invés de acabar com a corrupção que imperava na Sudam e colocar os culpados na cadeia, o presidente Fernando Henrique Cardoso resolveu extinguir o órgão."

Conrado de Paulo - 8/3/2005

"Dr. Conrado de Paulo, um abraço. Da janela do meu apartamento avisto o majestoso prédio da SUDENE e fico triste pelo que foi e que hoje é: um elefante grande e vazio (a Justiça do Trabalho está prestes a ocupá-lo). Mas como no caso da SUDAM, as fraudes terminaram por extinguir a autarquia.  Os seus superintendentes sempre foram nomeados por políticos de carreira e isto sempre foi decisivo para que o trato da coisa pública não fosse feito com a devida seriedade. Há casos de fraudes de políticos do Ceará e de Pernambuco, beneficiados com dinheiro em projetos escandalosos que foram abafados, e algumas dessas pessoas continuam em grande evidência no cenário político brasileiro. Um dos poucos superintendentes que deixou a sua marca de honradez e honestidade na SUDENE foi um general do nosso Exército (é difícil lembrar o nome de um Administrador íntegro), mas esse durou pouco tempo. De modo que concordo com o Sr quando diz que a entidade foi muito importante para o desenvolvimento do Nordeste, embora hoje em dia só se justifica a sua reabertura se os mecanismos de combate às fraudes forem aperfeiçoados: falo da impossibilidade de colocar alguém ligado aos políticos pra comandá-la; do uso de modernas técnicas de auditorias que impeçam as fraudes contábeis; de auditores que não se corrompam, e de uma Justiça que não falhe. Do contrário será continuar jogando o dinheiro público no bolso de algumas quadrilhas. Não é um trabalho fácil."

Abílio Neto - 10/3/2005

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram