domingo, 25 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Gramatigalhas

de 28/3/2010 a 3/4/2010

"Mesmo sabendo que há óbito, a 'pessoa' se torna 'coisa' e por isso não existe mais gênero feminino ou masculino. Mas vejo inúmeras petições, sentenças, acórdãos mencionando: 'a de cujus' quando se refere a uma pessoa falecida do sexo feminino. Gostaria de saber se é correto usar 'a de cujus' ou se é possível usar somente 'o de cujus' não importando o sexo da pessoa que morreu. Obrigada!"

Claudia Silva - 30/3/2010

"Caro dr. esse Gramatigalhas publicou:

'O leitor Aguinaldo Silveira envia a seguinte mensagem ao Gramatigalhas : 'Na edição de 23/1/09, este informativo publicou o seguinte trecho: 'Assim, enquanto não houver desfecho para o imbróglio (que agora está no STF, e lá pode sopitar ao sabor das circunstâncias), há uma fragrante inconstitucionalidade na composição da Corte, uma vez que não estão sendo respeitadas as proporcionalidades dos quintos.' O certo, no caso, é fragrante inconstitucionalidade ou flagrante inconstitucionalidade'. '

Minha dúvida é: Esse leitor não deveria ter utilizado o demonstrativo 'esse' (uma vez que está se dirigindo ao próprio Gramatigalhas) e não o demonstrativo 'este' informativo, como o fez?"

Delfim S. Teixeira - 31/3/2010

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram