quinta-feira, 22 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Pedofilia

de 4/4/2010 a 10/4/2010

"Sobre o caso da pedofilia na igreja católica, em que um padre chegou a ser punido, mas não foi preso, devido ao amparo da igreja. Como fica o judiciário nessa história? Estamos diante de um quarto poder? Abraço! PS: as notícias desse informativo são ótimas. Parabéns a todos."

Andréia Duarte - 4/4/2010

"Cara migalheira Andréia Duarte, a responsabilidade da Igreja Católica é a da salvação das almas. Por isso, diversas vezes o pecado de um sacerdote é ocultado - não para que o mal seja "escondido em conluio", mas para que a salvação das demais almas envolvidas nos processos de evangelização não seja abalada pela perda de fé causada pela fraqueza e pelo pecado de alguns dos membros da Igreja. Igreja que, aliás, como é notório, é contra a pedofilia e sempre ensinou que se trata de um desvio moral sério, e uma doença grave. Por isso, é de se aplaudir a atitude corajosa do Papa em portar-se com firmeza ante as falsas acusações de que "a pedofilia é generalizada na Igreja", quando todos sabemos que ela é, antes, muito mais presente no mundo chamado "laico". O que ocorre, cara migalheira Andréia, não é a "pedofilia" em si. Se não fosse este tema, o Papa seria atacado por outra razão. Não há precedentes na história da humanidade, do ataque que a Igreja Católica vem sofrendo nos últimos anos, independentemente da culpa de uma minoria tíbia, que se afastou de Cristo. Assim, é preciso pesquisar nos meandros das notícias veiculadas por aí, quais são as razões para o ódio secular contra a Igreja, e porque ele está se desencadeando com mais furor nestes anos. A internet está aí (pelo menos, por enquanto). Boa pesquisa."

Dávio Antonio Prado Zarzana Júnior - 5/4/2010

"Na nota do migalheiro Dávio, ficaria mais bem colocado dizermos, não 'pelo pecado de alguns dos membros da Igreja', mas sim: 'pelo crime de alguns dos membros da Igreja' - que é contra a pedofilia e sempre ensinou que se trata de um desvio moral sério (desvio moral sério, ou crime, mesmo, previsto no CP?). A comparação vaticana feita entre pedofilia e antissemitismo foi simplesmente indecente. Quando a Igreja diz que uma de suas metas seria combater a miséria, não percebe o quanto paradoxal fica sua prática do fausto em que sempre viveu, e vive, sem contar o sigilo vergonhoso que perpetra sobre seus próprios erros."

Conrado de Paulo - 5/4/2010

"Prezada Andréia, para ajudar na pesquisa que lhe foi sugerida, transcrevo uma citação bíblica: "E qualquer que escandalizar um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que lhe pusessem ao pescoço uma grande pedra de moinho e que fosse lançado no mar" - Jesus, Novo Testamento (Marcos 9:42)."

Abílio Neto - 6/4/2010

"Como diz o filósofo Marcello Pera, aquilo que importa é a insinuação, mesmo que feita à custa de um argumento grosseiro: os sacerdotes são pedófilos, portanto a Igreja não tem autoridade moral, portanto a educação católica é perigosa, portanto o cristianismo é um engano e um perigo. Esta guerra do laicismo contra o cristianismo é uma guerra campal; é preciso recuar ao nazismo e ao comunismo para se encontrar outra igual. Mudam os meios, mas o fim é o mesmo: hoje, como ontem, aquilo que se pretende é a destruição da religião. Ora, a Europa pagou esta fúria destrutiva ao preço da própria liberdade."

Dávio Antonio Prado Zarzana Júnior - 6/4/2010

"'Alguns de nós falamos do amor de Deus e fizemos mal a quem mais precisava de proteção', reconheceu Christoph Schoenborn, arcebispo de Viena, durante uma homilia dedicada às vítimas na Catedral de S. Estêvão, na capital da Áustria. As palavras de Schoenborn, próximo de Bento XVI, surgem numa altura em que se multiplicam denúncias de abusos cometidos por centenas de padres em todo o mundo. Não são apenas alguns. Ainda sobre o fato de comparar as denúncias contra os pedófilos ao antissemitismo, parece até que os explicadores dos escândalos políticos nacionais estão sendo copiados no Vaticano."

Abílio Neto - 6/4/2010

"Não se trata de um argumento grosseiro, mas sim de fatos. Nem todos os sacerdotes são pedófilos. A Igreja tem autoridade moral, para aqueles que levam ela a sério, cegamente, e ingenuamente sua pregação. A educação católica não seria perigosa se seguisse seus próprios preceitos. O cristianismo nunca foi um engano e nem um perigo, o engano e o perigo estão dentro da hipocrisia da Igreja, que prega mas não pratica o que prega (faça o que eu mando, mas não faça o que eu faço). A guerra do laicismo não é contra o cristianismo, mas sim contra a hipocrisia. Quando se fala sobre o nazismo, a Igreja sempre será, no mínimo, um ponto de interrogação. Mudam os meios, mas o fim é o mesmo: a igreja continua tal e qual como nasceu, ela acabará cooperando com a destruição da fé. O mundo pagou esta fúria destrutiva do absolutismo, tendo sempre a Igreja nos bastidores, sob a alegação da busca de pretensa liberdade. Os filósofos são utilíssimos para preencher notas de rodapé."

Conrado de Paulo - 6/4/2010

"É, mas se sabem que fizeram mal, o sabem justamente porque a Igreja os ensina a diferenciar o bem e o mal. Se há os que seguem o mal, o problema é deles. O problema é de cada árvore, e não da floresta. Não são apenas algumas as denúncias de pedofilia entre os laicos. Parece que são, mesmo, em número infinitamente superior. Ou seja, em resumo: deve-se combater a pedofilia na Igreja e fora dela, e não combater a Igreja, ou combater as pessoas que não crêem em Deus. Trata-se de combater o mal que está atacando não apenas a Igreja, mas toda a humanidade. Um dos estratagemas escolhidos pelo mal é justamente insuflar o orgulho e a soberba no laicato, para que presumam estar imunes à prática de escândalos. O problema é que a Igreja defende valores indestrutíveis do ser humano e da vida. Se ela fisicamente for abalada, a reação em cadeia pelo desprezo aos valores por ela recordados incessantemente, ao longo da história, inexoravelmente atingirá seus atacantes. E, aí, não haverá socorro espiritual. E o remorso será grande, bem maior do que o dos padres que pecaram gravemente. Quem viver, verá."

Dávio Antonio Prado Zarzana Júnior - 6/4/2010

""E o remorso será grande, bem maior do que o dos padres que pecaram gravemente. Quem viver, verá." Pecaram ou cometeram crime hediondo? A linguagem que se adequa é a do Direito Penal. Se a ICAR fosse levada aos tribunais em todo o mundo, nenhum advogado criminalista ficaria desempregado!"

Abílio Neto - 6/4/2010

"Caro Dr. Zarzana Jr, não perca seu tempo e seu saber. Pelo teor das manifestações que ensejaram seu escrito, justo e equilibrado tendo em vista a Instituição Igreja Católica, digo-lhe é um esforço em vão tentar argumentar com indivíduos movidas pelo rancor cego e proselitismo e ignóbil, religioso ou não. Resumo uma experiência pessoal, de alguns poucos dias. Um conhecido jornalista, membro do conselho editorial de um jornalão paulista e titular de uma coluna, escreveu sobre o assunto no seu espaço semanal. Com mais elegância e cultura que as desabridas migalhas cometidas no espaço, os comentários do jornalista tinham o mesmo tom. Como já havíamos trocado ideias sobre temas versados em sua coluna, enviei-lhe e-mail dizendo da minha decepção com o que havia escrito. Dizia-lhe da minha tristeza com os fatos e "também triste com a exploração que os inimigos da Igreja Católica - e são tantos, principalmente os órfãos de Marx e do sistema totalitário soviético - que não perdoam o papel da Igreja e do Papa João Paulo II no desmantelamento da "fé marxista", real na queda do império soviético. E aproveitam os alegados descaminhos de alguns membros, lamentáveis e profundamente dolorosos para todos os católicos, para ampliar a virulência dos ataques mirando a Instituição e a Fé de tantos." Dizia-lhe que "o problema não é da Igreja, embora pareça estar na Igreja. Parafraseando a famosa boutade norte americana, é o homem, estúpido." Não é um problema ôntico da Igreja como Instituição, mas de "Homens". "Certo, doloroso e estranho, por que são "Homens" investidos de um munus transcendental de valores éticos e religiosos. Mas são "Homens", pobres "Homens", que sucumbiram na incapacidade de opor sua Fé e seus compromissos com Cristo aos impulsos mais obscuros do ID e da libido mal direcionada...". "Embora não esteja em condições de desmentir os fatos ora em discussão é evidente a má fé e o revanchismo na avalanche do noticiário e na volúpia com que se transcrevem as infâmias dos tablóides ingleses e alemães...". "Os outros casos que V. qualifica, inadequadamente, como pedofilia, são exemplos de um tipo de prática educacional vigente, há até bem pouco tempo, no sistema educacional anglo-saxão e germânico. Entre outros, o castigo físico era considerado um recurso educativo e de formação de caráter, por mais estranho que pareça aos usos e costumes pós década de 60. Lembro que ter dominância do cérebro direito e, em consequência, escrever com a mão esquerda, tinha severas consequências. Bem como a enurese noturna. "Repito, caro: é o homem estúpido!" Aproveitar para tentar macular a Instituição é no mínimo desonesto." Pois bem. Ofereço, para espanto e horror, a resposta do jornalista. "CARO ALEXANDRE... ACHO QUE V. TEM RAZÃO NO QUE DIZ, ESPECIALMENTE QUANTO AO FATO QUE AQUELES ABUSOS NÃO SEXUAIS ERAM COMUNS EM ESCOLAS DA ÉPOCA, NÃO APENAS EM ESCOLAS RELIGIOSAS. OCORRE QUE FICO UM POUCO, NESSES ASSUNTOS,COMO FICO EM RELAÇÃO AO PT. HÁ IRREGULARIDADES EM TODOS OS PARTIDOS, MAS O ÚLTIMO QUE PODERIA PERMITIR ISSO ACONTECER ERA O PT, PELO MENOS NA MINHA OPINIÃO...." Caro Dr. Antonio Zarzana Jr., o último comentário que enviei ao notável jornalista. "ENTÃO, PARA V., O DESMASCARAMENTO DO FARISAÍSMO DO PT, PASSANDO DE VESTAL DOS COSTUMES POLÍTICOS A UMA QUADRILHA RAPACE, É SEMELHANTE AO DESCAMINHO DE ALGUNS MEMBROS DA IGREJA CATÓLICA? SIGNIFICA QUE NO SEU ENTENDER A IGREJA CATÓLICA, COMO INSTITUIÇÃO, TRILHOU O MESMO CAMINHO DO PT? DEU AS COSTAS ÀS SUAS CRENÇAS, PRINCIPIOS E FUNDAMENTOS? PASSOU DE DEFENSORA DE PRINCIPIOS ÉTICOS E MORAIS, ANCORADOS NA FÉ E NOS ENSINAMENTOS DE CRISTO, A INSTITUIÇÃO DE PEDÓFILOS?...." Infelizmente essa é a redução manobrada pelos inimigos da Igreja Católica. Acho, Dr. Zarzana, que devemos permanecer com o ensinamento de não desperdiçar "margaritas ante porcos". (Mateus,VII,6)"

Alexandre de Macedo Marques - 6/4/2010

"Outro detalhe está na utilização da palavra de Deus. Muitas vezes, a intenção de quem a invoca não é construtiva. No exemplo clássico, encontrado na Bíblia, o demônio cita as escrituras para tentar Jesus que, é claro, percebe e rebate com perfeição."

Dávio Antonio Prado Zarzana Júnior - 6/4/2010

"Fantástico! Começo a acreditar que quem ataca a Igreja, hoje, não leu nem Orwell, nem Huxley, nem quaisquer Encíclicas. Surpreendente. E o pior é que nem fazem ideia do que esses autores, ou os aludidos documentos, queriam dizer."

Dávio Antonio Prado Zarzana Júnior - 7/4/2010

"Não é a Igreja que nos ensina a diferenciar o bem e o mal, mas sim a consciência, que todos temos. O problema é de cada árvore de batina, e não do clero selvoso ‘in totum’. Claro que o número de pedófilos fora do clero é infinitamente maior, porque infinitamente maior é o número dos que não optaram pelo celibato (com batina). Deve-se combater a pedofilia na Igreja e fora dela, mas é uma pena que o combate só não ocorra dentro da Igreja. No máximo, transferem os transgressores criminosos para outra paróquia, para abafar os casos. Não se trata de combater quem crê, ou não crê em Deus. O ateu também tem consciência, como o crente. Trata-se de combater esse mal que ataca inclusive a Igreja, coisas que, em vez de se punir os infratores de batina, se abafa os casos. O estratagema escolhido pela Igreja é abafar os casos, enquanto que o laicato pune os criminosos com cadeia. O problema é que a Igreja defende esse tipo de comportamento escondendo os casos. A Igreja já está profundamente abalada, haja vista a debandada geral para outras crenças. Não poderia haver remorso maior que o dos padres que cometeram o sacrilégio desse crime hediondo em que consiste a pedofilia."

Conrado de Paulo - 7/4/2010

"Apenas corrigindo o nobre migalheiro Conrado de Paulo, o absolutismo não teve a Igreja Católica sempre nos bastidores, como na doutrina protestante do direito divino dos reis. Mas, falando nessa linha de pensamento, há muita gente do laicato querendo a volta do absolutismo, só que sem a religião, seja ela qual for. Um homem recebendo o poder máximo de uma nação, ou de nações. A história é curiosa, dá voltas. O laicato ataca justamente aquilo que quer implantar. Schopenhauer aplaudiria a estratégia, e choraria ao conhecer os fins. E esse poder quer ser dado a um homem que odeie as religiões. Parece até a narrativa bíblica do anticristo. Quando crianças, assistimos aos filmes "Profecia", e aprendemos que o anticristo é do mal. Pois bem. Hoje há amigos do anticristo por aí. Ainda bem que o povo é esperto, e não se deixa enganar. Porque o orgulho intelectual já está cegando muita gente pelo mundo afora."

Dávio Antonio Prado Zarzana Júnior - 7/4/2010

"Ora, caro migalheiro, a qualificação de crime hediondo de uma pessoa não desnatura todo o grupo da qual faz parte. A qualificação que você recorda remonta ao Direito Penal, cujos alicerces históricos têm total ligação com o Direito Canônico. A doutrina cristã permanece firme. Quer dizer, enquanto pessoas querem eliminar a Igreja, em razão dos crimes cometidos por pessoas - a despeito dos mesmos crimes serem abertamente mais cometidos fora da Igreja - não percebem que é a única instituição que ainda defende os valores fundamentais do ser humano na relação com o mundo espiritual. Atacando a Igreja com objetivos escusos e levianos, utilizando a realidade de abusos como pretexto para outros fins, estará sendo atacada, na verdade, toda a humanidade. É um cavalo de Tróia generalizar um grupo pelos erros de quem não segue os princípios desse grupo, de um modo geral. Fico feliz, outrossim, de saber que muitos migalheiros concordam que haveria muitos advogados criminalistas para defender a Igreja e constatar a absolvição dos sacerdotes santos que, na onda da generalização caluniosa, são vítimas da mídia hipócrita."

Dávio Antonio Prado Zarzana Júnior - 7/4/2010

"Na verdade, não existe ICAR. Existe Igreja Católica Apostólica Romana. Às vezes, porém, esta "sigla" é adotada para utilização em tom pejorativo, como se fosse uma "marca" qualquer. Mas não é."

Dávio Antonio Prado Zarzana Júnior - 7/4/2010

"Ao menos, o migalheiro que recomenda não jogar margaritas aos porcos, tem algo muito em comum com nosso presidente. Na falta de desculpa convincente, o jeito é apelar para o palavreado travestido com cacoetes de erudição."

Conrado de Paulo - 7/4/2010

"Agradeço e compreendo perfeitamente a oportuna colocação do nobre colega Alexandre de Macedo Marques, logo acima. Sua experiência ilustra duas realidades: uma, que revela os que se posicionam em cima do muro, nesse assunto. A outra, dos que fingem estar em cima do muro, mas não conseguem ficar ali por muito tempo. Principalmente em "jornalões". O caso das "pérolas aos porcos" é um pouco mais complicado, porque se ninguém nunca diz nada, parece que todo mundo está concordando com os ataques à Igreja. E isso não é verdade. Que o digam juristas de peso como Ives Gandra e outros - se é que há no Brasil algum jurista maior do que ele, hoje. É que aqui em Migalhas, rotineiramente, sou praticamente o único a defender a Igreja Católica. Sua mensagem foi, assim, de certo modo, um "alento", que não só eu agradeço."

Dávio Antonio Prado Zarzana Júnior - 8/4/2010

"A pedofilia não desnatura todo o clero. Só a banda podre. A doutrina cristã permanece firme, e ninguém pretende eliminar a Igreja, e se alguém acredita que existe alguém que queira esse alguém pode ser considerado paranóico, de carteirinha. A pedofilia ocorre em maior número fora da Igreja, porque dentre o universo das pessoas existentes na face da Terra, existem mais indivíduos que não usam batina do que aqueles celibatários de batina que cometem esse crime hediondo. Alguém já viu algum elemento do clero ir para a cadeia? Qual a punição que eles têm recebido até hoje? No máximo, mudar-se de paróquia. Apesar se ser uma instituição que ainda defende os valores fundamentais, nem todos os indivíduos de batina professam o que pregam. Conseguem ludibriar muitos incautos simplórios com a 'ameaça do fogo do inferno' (o mais risível é que, tudo isso, em pleno século XXI!). Se a Igreja não existisse, certamente haveria menos gente cometendo "pecados" (leia-se atos proibidos por lei), porque não existiria a confissão, com o ridículo "perdão" concedido pelos padres, mediante a simples recitação de alguns Pais-nossos e algumas Ave-marias. Advogado criminalista tem o dever de defender qualquer causa que decida defender, por pura decisão sua, quando não defensor público, indicado por lei."

Conrado de Paulo - 8/4/2010

"L'Osservatore Romano, periódico semi-oficial da Santa Sé, afirma que existem fortes indícios de que haja uma rede, dentro do clero, de 'adoradores de adolescentes' (sic). Se o próprio L'Osservatore publicou..."

Conrado de Paulo - 8/4/2010

"O jornal alemão 'Stern' publicou em 7/4/10 que o papa Bento 16 arquivou um processo de investigação por denúncias de pedofilia contra o criador dos Legionários de Cristo, Marcial Maciel, quando ainda era prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé. Maciel teve uma filha com uma amante e, segundo reportou o Stern, ele também 'violentou dezenas de seminaristas menores de idade'. A publicação também menciona contas de Maciel nas Bahamas. Esse é o santo papa que temos!"

Conrado de Paulo - 8/4/2010

"Sim, bem observado pelo nobre migalheiro Conrado de Paulo, realmente é santo o papa que temos. Injustamente esbofeteado por todos os lados, com calúnias e difamações a exemplo do que passou Cristo. Justamente, o papa não apenas pensa na cadeia para o padre pedófilo, porque sabe que, independentemente da pena terrena, há outra vida, na qual também haverá a realização de Justiça, só que lá a Justiça será completa. De modo que o papa procura, como já foi explicado, resguardar a salvação de toda a humanidade, e para isso não deseja estimular a divulgação de escândalos, porque esse estímulo - cujos protagonistas não seguem o que a Igreja ensina e recorda - afasta algumas pessoas da fé em Deus, que é um valor que está bem acima dos próprios erros e crimes cometidos por aí. Não adianta nada "revoltar-se contra o papa". Adianta isso sim, combater a pedofilia dentro e fora da Igreja. Na Igreja, o papa está tomando inúmeras medidas, inclusive documentais, para tanto. E fora da Igreja, o que está sendo feito... reflitamos. A pedofilia é um mal, todos sabemos. Mas há pessoas do mundo laico que a acham algo bom. E as autoridades não estão fazendo nada a respeito."

Dávio Antonio Prado Zarzana Júnior - 9/4/2010

"Tem razão, dr. Zarzana Jr. Devemos aproveitar todas as oportunidades para dar testemunho da nossa fé católica. Concordo com o senhor. Tantas vezes a Igreja Católica foi vilipendiada no espaço migalheiro e só a sua voz se ergueu para, mais que defendê-la das aleivosias, repor a verdade maculada por resquícios de um iluminismo serôdio e mal digerido. Seremos só dois, os católicos no espaço migalheiro? Quanto a "pérolas e porcos" não significam nosso silêncio. Mas utilizar o peso das palavras para flagelar o farisaísmo ateu e os "muralistas" desonestos fantasiados de "moralistas". Minhas homenagens por sua coragem."

Alexandre de Macedo Marques - 9/4/2010

""...também triste com a exploração que os inimigos da Igreja Católica - e são tantos, principalmente os órfãos de Marx e do sistema totalitário soviético - que não perdoam o papel da Igreja e do Papa João Paulo II no desmantelamento da fé marxista". Eu já sabia que o senhor da razão viria defender a ICAR com forte perturbação da sua faculdade espiritual. Talvez seja até pelo fato do papa João Paulo II não ter sido ainda beatificado. É, senhores, o processo está parado. E sabem qual a razão? Ser amigo e protetor do padre Marcial Maciel, fundador da ordem dos Legionários de Cristo, um dos mais terríveis pedófilos da igreja! Pra mim o debate chega!"

Abílio Neto - 9/4/2010

"O debate está apenas começando."

Dávio Antonio Prado Zarzana Júnior - 9/4/2010

"Independentemente da pena terrena, o padre pecador não se livrará da Justiça divina, se houver. O papa, quando tenta evitar a divulgação de escândalos, está ignorando o que a Igreja ensina e recorda. Se alguns de nós ficamos revoltados com o papa é pelo simples fato de ele não punir exemplarmente esses maus elementos, da banda podre do clero. Ninguém duvida que o papa deve estar tomando medidas a respeito, só que, até agora, nada de concreto se viu ocorrer. Já vimos muitas vezes a Igreja Católica ser vilipendiada neste espaço migalheiro, e até agora pouquíssimas vozes se ergueram para defendê-la. Isso demostra que muitos católicos não aceitam certos posicionamentos da Igreja Católica."

Conrado de Paulo - 9/4/2010

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram