quarta-feira, 21 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Eleições

de 9/5/2010 a 15/5/2010

"Somos nós, os contribuintes, os maiores patrocinadores das campanhas políticas. Reportagens da semana passada na mídia confirmam: as empreiteiras respondem por 68% das doações a grandes partidos. Trocando em miúdos: quase 70% da verba arrecadada por PT, DEMO, PSDB e PMDB para fazerem suas campanhas milionárias vêm justamente das empreiteiras que fecham os maiores negócios com o Governo. A lista das principais empresas doadoras coincide com a lista dos que recebem, daqueles que ajudaram a eleger, vultosas quantias na casa dos milhões, e até de bilhões, às vezes. E de onde o Governo tira o dinheiro para pagar pelos serviços dessas empresas? Do nosso bolso, caríssimo patrício."

Iracema Palombello - 9/5/2010

"As eleições se aproximam, aflorando os debates e as paixões partidárias. Será mais uma oportunidade em que - apesar de um inegável desprestígio de boa parte de nossa classe política -, se renovarão as esperanças. Todavia, não podemos perder de vista que o verdadeiro poder é o poder econômico e não o poder político. Para saber quem manda é preciso saber quem está levando vantagem, ou seja, é preciso saber qual o poder econômico privado que está por trás. O poder econômico é quem controla o poder político. Quem definirá o próximo presidente da República é o capital financeiro. Alguma dúvida?"

Armando Bergo Neto - OAB/SP 132.034 - 11/5/2010

"Leio em Migalhas o que diz a migalheira Iracema Palombelo: sábias palavras, e acrescento: os bilhões pagos a políticos desonestos, do mensalão em Brasília; ao Maluf, que até agora, pelo visto só foi punido pelo que não pode mais viajar para o exterior, por exemplo Paris, para não ser preso etc.etc. Enfim, nós somos os otários: quousque tandem? Diria Cicero."

Olavo Príncipe Credidio – OAB/SP 56.299 - 11/5/2010

"O resultado dessa farra de larápios é a calamidade que se instalou em S. Paulo após a revisão da Lei de Zoneamento e a permissão do aumento do gabarito dos edifícios. A ocupação do solo urbano de S. Paulo é um crime contra a urbe e contra o homem. Maluf, Pita e Marta Suplicy entregaram a cidade aos bandidos da especulação imobiliária. Espigões de 20 ou mais andares em regiões já saturados por um trânsito carregado, de carros e pessoas, é um crime. Na base do 'me dá um dinheiro aí' de uma Câmara Municipal movida a indecentes interesses pecuniários. Não por acaso uma empresa fantasma dos especulares imobiliários é o maior doador de dinheiro para a reeleição dos vereadores paulistanos. E o pior é que o Prefeito Kassab, que no seu início pareceu uma esperança de um novo enfoque no trato da qualidade de vida urbana e respeito à qualidade de vida na urbe torna-se, a cada dia, refém da malta de vereadores que recebe o vil metal em pagamento de suas consciências. Hoje é dominada pelos interesses imobiliários e das seitas da ignóbil 'Teologia da Prosperidade', eficaz meio de se apropriar da poupança dos mais humildes e néscios. Principalmente da especulação imobiliária. O prefeito já ensaia um namoro tipo 'dois pra cá, dois pra lá' com os predadores. A hipocrisia que permite edifícios de 20 ou mais andares, mediante um módico pagamento, é uma infâmia. É dramático como os 'representantes do povo', que deviam zelar pelos interesses da urbe e seus moradores, são cooptados pela gorjeta. Sou testemunha de uma dessas calamidades. Entre Vila Nova Conceição e Moema existe um bairro chamado Vila Uberabinha. Remanescente de uma era em que toda esta região era de chácaras, caracterizava-se por sobrados e ruas estreitas. Os prédios ao redor da Vila Uberabinha eram, em sua maioria, de 6 a 12 pisos. Nos últimos 10 anos a Vila Uberabinha está sendo destruída e nas ruas estreitas pululam as torres de 20 ou mais andares. Tem mais. Os especuladores, vendendo o charme e status da vizinha famosa, batizaram a ex-modesta e charmosa Vila Uberabinha para Vila Nova Conceição. Apenas para lembrar. A dama do 'relaxa e goza' nos últimos dias de sua gestão, aproveitou a maioria petista na Câmara Municipal, fez uma permuta com uma construtora, uma 'joia da coroa' da sua inepta gestão. Uma quadra inteira no coração de V. Nova Conceição, onde está instalado um Colégio Estradual, por um terreno num distante subúrbio de S. Paulo. A reação dos moradores e da Promotoria Pública conseguiram que a Justiça declarasse nulo 'o negócio'. E assim a nau de insensatos em que tranformou vai. 'La nave vá'. Enquanto o isso alguns desocupados e praticantes do chamado jornalismo esportivo, pôem fogo no país por que o Dunga, fiel ao seu pensamento e esquema de trabalho, não convocou o Neymar. Apenas um habilidoso boleiro, com todas as caracteristicas de adolescente de personalidade algo discutível. Vamos dar tempo ao tempo para ver se ele se transforma num atleta digno de vestir a camisa canarinho."

Alexandre de Macedo Marques - 13/5/2010

"Depois de o Ministério Público Eleitoral ter emitido parecer pedindo ao TSE a cassação do programa e a aplicação de multa por suposta prática de campanha antecipada, foi o maior corre-corre no QG do PT. Na avaliação do MP, ao comparar a atual administração de Lula com o governo anterior, o PT utilizou o horário gratuito de 10 de dezembro de 2009 para promover a candidatura de Dilma. E voltou a repetir a dose recentemente. No programa anterior, Dilma ainda era ministra da Casa Civil. A ação foi proposta pelo DEM e pelo PSDB. O jurídico do PT rebateu dizendo que a comparação entre as duas gestões é 'método importante de fomento da discussão política no seio da sociedade'. Refeitos do susto, os petistas mostram-se otimistas. Apesar das dificuldades iniciais, os petistas contam com outro trunfo para virar o jogo da sucessão. Acreditam que quando Lula começar a pedir votos tudo vai mudar. A seu ver, Dilma acha que: 'Na verdade, o presidente em nenhum momento deixou de estar presente na campanha'. Mas, de acordo com alguns especialistas em pesquisa, dois terços do eleitorado já definiram seu voto e ainda está em jogo a opção de cerca de 43 milhões de eleitores. Políticos experientes costumam dizer que a eleição só engrena a partir do início do programa eleitoral gratuito na televisão, em agosto. É nessa tradição que se fia a campanha de Dilma. O PT parece contar com isso."

Iracema Palombello - 13/5/2010

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram