domingo, 25 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

125° Exame da Ordem

de 20/3/2005 a 26/3/2005

"Estou indignada! Hoje, 22/3 estava marcado para sair o resultado da OAB - 2ª fase e pela 2ª vez, foi adiado! Agora para o dia 29/3 (clique aqui). É um absurdo... onde está o respeito pela classe...?"

Carmen Raquel Ferraz Borsoi - Grupo Bimbo - 22/3/2005

"Bom dia, gostaria de pedir a ajuda deste poderoso rotativo para desvendar o mistério do exame 125° da OAB/SP, que por duas vezes foi adiado o resultado. Antes da OAB/SP se preocupar com treineiros, deveria se atentar com sua capacidade operacional, para que se cumpra os prazos estabelecidos pela própria Seccional, pois desse resultado depende a realização profissional de muitos bacharéis, que desde já conhecem a verdadeira OAB/SP. Esta atitude da Ordem caracteriza o desrespeito da Ordem para com o futuro advogado, a mesma Ordem que espera que os juízes respeitem os advogados, não respeita seu futuro associado."

Police Monteiro, Leopoldi, Monteiro Advogados - 22/3/2005

"Caros doutores, clamo pela atenção dos senhores a fim de protestar acerca das medidas tomadas pela OAB/SP quanto ao Exame de Ordem nº 125, haja vista, a divulgação do resultado da segunda fase do respectivo exame ter sido adiada por duas vezes consecutivas, com a simples e vaga informação dando como motivo problemas operacionais. Ressalta-se que foram mais de 22.000 inscritos, cada qual, pagando por sua inscrição a quantia de R$ 130,00 a fim prestar o referido exame, sendo o mesmo preparado por uma conceituada fundação especializada na formulação dos mais importantes concursos do país e examinado por uma banca pré-convocada para que corrijam as provas de segunda fase, já que as leituras dos cartões de respostas da primeira fase são feitas por computador. Nós operadores do direito, sempre prezamos pela obediência dos prazos a que nos são impostos, no fato em questão, o motivo de problemas operacionais é muito vago para ser apresentado pela OAB, sendo que há uma entidade responsável, tanto pela formulação do exame, quanto pela divulgação dos resultados. Será que tanto a entidade como a OAB tiveram problemas operacionais? O que são problemas operacionais? Será que as provas foram corrigidas? O que será que aconteceu? Ninguém sabe, nem mesmo a comissão responsável sabe, pois já foi tentado esclarecimento via telefone. Enquanto isso, nós bacharéis de direito, ficamos no aguardo sem saber o que está acontecendo, sendo que com a atual notícia de que o resultado só será divulgado dia 29/3/2005, nós estamos à mercê da OAB, uma vez que o critério de avaliação é bem subjetivo e por ouro lado já estamos próximo do exame subseqüente, sendo assim aos reprovados, restariam apenas um mês para se recuperarem e correrem atrás do prejuízo, a fim de serem aprovados novamente na primeira fase do exame o qual acumula matéria de cinco anos de Universidade dividido em cem questões. Será que é justo? Sem contar que provavelmente, as pessoas que recorrerem do resultado só terão a resposta do recurso às vésperas ou até depois do prazo de inscrição para o próximo exame, fato este que já aconteceu anteriormente, segundo relatados de pessoas que já prestaram o digníssimo exame. Sendo assim, utilizo o digníssimo veículo de informação para que divulgue este protesto, bem como a desorganização que se encontra esta comissão da OAB, que na minha opinião deve ser totalmente reformulada."

Jorge da Silva Araújo - 23/3/2005

Nota da Redação - Atendendo o pedido dos migalheiros, a Redação entrou em contato hoje pela manhã com a OAB/SP, que informou ainda não ter concluído a correção das provas. É compreensível a ansiedade dos bacharéis, por outro lado parece que há bom senso da Ordem em analisar com mais cautela os exames, ainda mais diante do alerta (clique aqui) feito por alguns examinandos de que a prova de Tributário era extremamente rigorosa.

- 23/3/2005

"Em que pese o respeito que se deve ter à opinião desse poderoso rotativo, a ponderação feita no Migalhas 1.132 acerca da divulgação do resultado do 125º exame de ordem é, no mínimo, curiosa. Afinal, estamos nós ou não, simples mortais, sujeitos ao cumprimento de prazos estabelecidos em lei? Se estamos (o que me parece óbvio), temos a prerrogativa de, diante da impossibilidade de cumpri-los, informar ao pretenso julgador que, por "razões operacionais", precisamos de prazo adicional para fazê-lo? Acredito que não. Ansiedade sentíamos no dia 15/3, data em que deveria ter saído o esperado resultado. Hoje, o sentimento que permeia o peito do candidato é de frustração... Ou pior ainda, de impotência."

Daniel Bellini - escritório Advocacia Piauhylino Monteiro - 23/3/2005

"Faço minhas as palavras dos ilustres colegas do escritório Police Monteiro, Leopoldi, Monteiro Advogados e esclareço que a prova de Direito Tributário Ponto 2 não estava difícil, ou era rigorosa. Ela continha erro conceitual, isto é, a Fazenda ganhou e o processo subiu pelo artigo 475 do CPC. Na melhor doutrina isso não existe. Para falar a verdade, não existe em lugar nenhum. Se isso não bastasse, o Edital é claro: os recursos que poderiam ser arguidos em Direito Tributário são: Apelação, Embargos e Agravo. A OAB deveria anular as Provas de Direito Tributário Pontos 1 e 2, e assumir desde logo, os problemas que aconteceram no Exame. Não há desdouro algum nisso, pelo contrário."

Maria Auxiliadora Milat Gomes - 23/3/2005

"Concordo plenamente com a nobre colega Maria Auxiliadora Milat Gomes, quanto à prova de direito tributário pontos 1 e 2. Se fizermos uma análise sem demasiadas minúcias já encontraremos erros drásticos como o específico artigo 475 CPC, descrito pelo ponto 2. Como pode a OAB, órgão de suma importância à sociedade não corrigir erro tão grave e provar que a justiça parte de dentro de sua casa?! Pelo menos é isso que espera os candidatos que prestaram esta prova. A anulação seria o mais correto, e com toda a certeza, este ato seria visto não apenas pelo meio jurídico como ato de humildade e prevalência do correto e de que a OAB tem o porquê zelar pelo ilustre nome que carrega."

Amanda Marson - 23/3/2005

"Em que pese todo o empenho da OAB/SP para que justiça se cumpra na correção do 125º Exame, há que se observar que o Exame 125º, ponto 2, Tributário, precisa e deve ser ANULADO, uma vez que contém um enunciado ilógico e um conteúdo que não consta do edital. Se este for o motivo da demora na correção, louve-se a OAB pelo empenho na tomada da decisão mais correta, conforme opinião de examinandos, advogados, professores e outros operadores do Direito."

Myrian Morales - 24/3/2005

"Caros migalheiros, pelo o que se sabe, prazos foram criados para serem cumpridos... Se não vão conseguir cumpri-los, por que cria-los? A OAB-SP deveria ao menos ter a noção do prazo que levaria para corrigir as provas e aí sim estabelecer a data correta para divulgação dos resultados. Imagina que fácil seria se nos advogados pudéssemos redigir petição ao Juiz esclarecendo: "Excelência, sinto muito, mas não tive tempo suficiente para terminar a peça contestatória e vou apresentá-la, se possível, na próxima semana". A OAB-SP tem o dever de dar o bom exemplo no cumprimento dos prazos se quiser no futuro protestar a respeito de qualquer descumprimento de prazo por parte do Poder Judiciário. Sinceramente, não existe desculpa."

Guilherme Joffily - 24/3/2005

"A nova gestão da OAB/SP pregou durante toda a sua campanha eleitoral trabalhar pela transparência e moralidade. Pois bem! Infelizmente srs., para aqueles que tiverem um resultado satisfatório, terão que desembolsar R$ 130,00 para fazer a inscrição para o 126º exame, e após recorrer, se for o caso. Paira a dúvida: se recorro e sou aprovado, eles devolvem meu dinheiro? Resposta: não, nos termos das cláusulas prescritas no edital. Vejam o cronograma. Resultado - 29/3. Inscrições - 1/4 a 8/4. Resultado dos recursos - só Deus sabe, pois acredito que nem a OAB tem como se comprometer."

Handerson Araújo Castro - 24/3/2005

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram