Novo CPC

9/6/2010
Antonio B. Sarmento

"Bem colocada a questão do dr. Credidio, no momento em que se festeja a possibilidade de ter um novo código de processo civil, que traria esperanças de tornar a justiça mais célere, e não tardia e falha, como a vê o dr. Credidio (Migalhas 2.403 - 9/6/10 - "Código de Processo Civil" - clique aqui). Mas, tratando-se de um manual de práticas, o CPC, velho ou novo, não é por si só uma garantia de mudança. Na verdade, por mais técnico que seja o documento, será aplicado conforme as visões humanas e os 'operadores do direito' não mudarão suas filosofias (?) e seus usos, que todos sabemos, mais procuram artifícios que razões, já que a lei é vencer, vencer, vencer. O CPC velho, se bem aplicado, com isenção e cautela, não pode ser culpado daquilo que resulta do que se esconde nos corações dos homens. Quem sabe, novos advogados e juízes, modificados em suas falhas e vicissitudes não surtiriam melhor efeito na aceleração dos procedimentos judiciais? E, por falar em novo CPC, o que nele foi modificado para acelerar a democratização da justiça? Sem necessariamente criar sovietes para 'ajudar' os juízes a julgar as questões suscitadas por movimentos populares..."

Envie sua Migalha