sábado, 24 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Migalhas da Copa

de 13/6/2010 a 19/6/2010

"Felicito o nosso exigente diretor pela escolha inteligente (Migalhas 2.406 - 14/6/10 - "Migalhas da Copa - 1" - clique aqui). O nome do mestre Roberto Benevides permite à família migalheira o ensejo de saborear deliciosos comentários sobre os segredos da Copa."

Lázaro José Piunti - advogado - 15/6/2010

"Nesse primeiro texto o Benevides perfumou muito o Dunga, que responde por um selecionado sem muita criatividade (Migalhas 2.406 - 14/6/10 - "Migalhas da Copa - 1" - clique aqui)!"

Abílio Neto - 15/6/2010

"Sobre futebol, Copa e os surtos de doentio fanatismo boleiro e/ou nacionalismo fajuto que acomete péssimos cidadãos, cito o Clóvis Rossi (Migalhas 2.406 - 14/6/10 - "Migalhas da Copa - 1" - clique aqui). Escrevendo sobre o tema lembrou ele Samuel Johnson e a boutade 'nacionalismo é o último refúgio dos canalhas'. E concluía 'recuso-me a ser canalha a cada 4 anos.' Para terminar! que boçalidade a campanha contra o Dunga! Recuso-me a acreditar que seja motivada pela não convocação de um boleiro, obscuro até 6 meses atrás. Que além de não provado como atleta de alto nível vem apresentando um perfil de personalidade perigosamente imatura. Para não dizer coisa mais pesada, embora não menos verdadeira. Na realidade, a certos indivíduos é profundamente incômodo valores como lealdade, responsabilidade, disciplina, hierarquia, espírito de sacrifício... Enfim tudo o que causa repulsa ao Brasil de Lula e cumpinchas."

Alexandre de Macedo Marques - 15/6/2010

"Graaaaaande aquisição do Migalhas (Migalhas 2.406 - 14/6/10 - "Migalhas da Copa - 1" - clique aqui). Estava com saudades do tempo do Benevides no Estadão. Parabéns a todos e boa Copa! Abraços,"

Carlos Roberto Moreira Ferreira - consultor - 15/6/2010

"A má vontade com o técnico Dunga, que eu pensei fosse só da imprensa esportiva, é compartilhada também por esse importante rotativo, o que acho lastimável (Migalhas 2.408 - 16/6/10 - "Logro"). Apesar da inexperiência como técnico ao assumir a poderosa esquadra canarinho, Dunga mostrou que, além de predestinado, é iluminado ao vencer quase todos os torneios que o Brasil participou sob seu comando, tendo, inclusive, num dos jogos, aplicado uma sonora goleada sobre a Argentina, em Rosário. Quanto ao jogo de ontem, é mais difícil jogar com pernas de pau (como a Coreia do Norte), que não joga e nem deixa jogar, do que com adversários consagrados que também partem para o jogo. Que culpa tem o Dunga de Kaká, além de voltar de uma recente contusão, ainda não está no melhor da forma dele? Não podemos desprezar que a jogada do segundo gol, conforme confessou Elano, foi jogada extremamente ensaiada pelo Dunga, provavelmente, nos treinos fechados que a imprensa tanto criticou. Respeitemos nosso craque e agora técnico que, como poucos profissionais da bola realmente tem orgulho cívico de defender as cores da nossa pátria. Para mim, ganhando ou perdendo, nessa Copa Dunga terá sempre a minha admiração, por isso a defesa que faço nesse espaço mesmo sem procuração para aqui o representar. Saudações a todos os Migalheiros,"

Sérgio Luis Durço Maciel - advogado - 16/6/2010

"Sim, nos sentimos ludibriados com o jogo 'morno' de ontem, mas a sensação é de que ainda devemos ficar felizes, pois outras seleções consideradas favoritas ao título estão tropeçando em suas estreias (Migalhas 2.408 - 16/6/10 "Logro").  A verdade é que está tudo indefinido e não há favorito algum!"

Célia Regina Sala - advogada - 16/6/2010

"Estou contigo Sérgio Luiz Durço Maciel (Migalhas 2.408 - 16/6/10 - "Logro"). Tem pessoas que pensam saber mais que o técnico. Mas, ganhando ou perdendo, não acho certo desprezar quem está no posto de comando, justamente em defesa da nossa bandeira, na frente da batalha, jogo é jogo uns ganham outros perdem. Embora eu tente me guiar pelos desígnios dos signos, posto que não vejo outra ordem mais certa para um homem se orientar nesse mundo, não vislumbro de que lado estão os astros. Por isso aposto minhas fichas no Dunga e seja lá o que Deus quiser. A sorte está lançada, como disse Cesar ao atravessar o Rubicão."

Eldo Dias de Meira - advogado - 17/6/2010

"Eis uma das atividades mais agradáveis de se realizar: comentar futebol em Copa do Mundo (Migalhas 2.410 - 18/6/10 - "Migalhas da Copa - 2" - clique aqui). Pra todo lado que se olha é possível escolher sobre qual pitaco queremos deixar repousar nossa atenção. Há respeitáveis comentários em estrito apoio ao Dunga como também há quem critique desde o padrão do futebol adotado pelo treinador até a escolha de suas roupas (estas, de gosto realmente um tanto duvidável). No caso particular destas migalhas, antes de nosso jogo contra a Costa do Marfim, é interessante notar com que certeza o comentarista trata da dificuldade que o Brasil irá enfrentar diante dos africanos. Chega até a induzir algum convencimento de que os comentários feitos tenham algum fundamento de validade, na medida em que são redigidos com referências e comparativos em jogos passados, e até mesmo invocando-se a 'escola do futebol brasileiro'. Ora! Fazer previsão de jogo futuro (com a Costa do Marfim) tomando por base jogo passado (com a Coreia do Norte) é o mesmo que fazer previsão da bolsa valores da próxima semana com base nos índices da semana passada. Em outras palavras: pretender traçar um perfil do que irá acontecer no jogo de domingo a partir do jogo de terça-feira significa, apenas, não dizer nada que sirva para algum proveito. Com todo respeito que é devido à famigerada experiência do comentarista, certo é que comentar jogo corresponde a brincar com devaneios dos mais variados possíveis... 'jogo é jogo'. Por exemplo, basta que o trio de arbitragem deixe de marcar um impedimento a favor de um gol brasileiro no início do jogo para que nenhuma palavra do comentarista tenha validade. O que significa dizer que a Costa do Marfim é 'uma Coreia do Norte muito, muito melhorada'? Não significa nada, pois o jogo ainda nem aconteceu. Basta que o time africano 'acorde' num daqueles dias que as coisas não funcionam para que o Brasil deite e role na partida. O que quero dizer com isso? Quero dizer que é um paraíso exercer a função de comentarista de futebol, pois é permitido dizer qualquer coisa, de qualquer modo, sob qualquer ótica, sem nenhum fundamento, com alegações quaisquer e, principalmente, sem responsabilidade de acertar em nada. Há poucas horas atrás os comentaristas afirmavam que a Alemanha era a sensação da Copa por ter 'enfiado' 4 gols na Austrália. Que beleza, não? Conseguiram perder da Sérvia, e desperdiçando um pênalti. E os comentaristas? Agora estão a refazer os comentários. Enfim, feliz de quem ganha pra falar de futebol."

Thiago Spaulussi Gonçalves - 18/6/2010

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram