quinta-feira, 22 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Paulo Coelho

de 27/3/2005 a 2/4/2005

"Em relação a Paulo Coelho comungo com seus defensores uma vez que se o mundo inteiro o lê, por quê não também o Brasil? Bons são os "intelectuais nacionais" que só vendem livros, alguns poucos volumes em seus meios e se mordem de inveja. Aliás, como sempre, no Brasil será preciso que Paulo Coelho morra primeiro, para ao após, ser reconhecido em sua pátria."

Sebastião Roberto de Souza Coimbra - 28/3/2005

"Que me perdoem as coelhetes, mas qualidade em literatura é fundamental! Colocaram até o Gramsci no rolo, esquecendo que o italiano preocupou-se com o tema visando entender os mecanismos ideológicos de dominação que conduzem os dominados a consumirem o que aliena, isto é (sem trocadilhos), lixo. Aliás, tema atualíssimo como comprova o próprio Coelho, Gasparetto, e outros autores de auto-ajuda. Toda essa polêmica me faz lembrar do doutor Karl Marx (sim, era advogado) que fumava charutos fedidos da pior qualidade, simplesmente porque não tinha capital para comprar melhores. Daí dizer que o doutor Marx fazia isso porque compartilhava do tipo de charuto fumado pelo lupem, vai uma grande distância. Ou então, dizer que o doutor Vladimir Ulianov (também advogado) mandava santinhos para sua mãe porque no fundo era cristão e queria valorizar os ensinamentos dos santos, vai mais que uma dose de vodka. Lênin mandava santinhos, segundo ele, porque tinha mais o que fazer do que tentar converter a sua mãe. Criticar o oportunista Coelho, significa preservar a excelência que um dia queremos que todos possam desfrutar, como só se obtém ao ler Euclides, Lobato, Veríssimo, Amado ou, então, a maioria dos colaboradores de "Migalhas". Por que, não?"

Armando Rodrigues Silva do Prado - 28/3/2005

"Eu mostrei à minha empregada, muito afeita à leitura, o trecho selecionado por Migalhas (1.131 – 21/3/05) do novo livro de Paulo Coelho. Ela fez o seguinte comentário: "poderia dar um bom enredo de filme pornô, mas é muito enjoado. Da primeira vez a moça achou que foi uma droga, depois ficaram três dias apenas contemplando o mar. Só isso?" Agora entendo, o Paulo Coelho entrou no Migalhas pela mesma janela que entrou a Cicarelli, a janela do humor  (do lado quente ou morno do ser). Saudações."

Abílio Neto - 29/3/2005

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram