terça-feira, 20 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Greve

de 20/6/2010 a 26/6/2010

"Indago: o Presidente do Tribunal não se acha revestido ou competente para reconhecer a greve, os seus riscos, a gravidade e as consequências maléficas (Migalhas 2.410 - 18/6/10 - "Prazos e greve")? Acaso ele não foi estagiário ou militou como advogado? Só pode ser. Convido-o a visitar um (só um) dos foros regionais, para sentir o drama e dificuldades com as enormes filas, inclusive nos malditos PAB's, que a categoria (Advogados e Estagiários) está enfrentando."

José Aparecido de Salles - advogado - 21/6/2010

"Atuo junto à Procuradoria de Habeas Corpus e, nessa semana por conta da greve dos serventuários da Justiça - classe da qual, com orgulho, sou oriundo - os processos estão rareando (Migalhas 2.413 - 23/6/10 - "Greve do TJ/SP" - clique aqui). Em se tratando de processos urgentes, não dar seguimento a habeas corpus é o mesmo que fechar pronto socorro de hospital. Urge que as partes cheguem rapidamente a um acordo, é o que esperamos."

Ivan Agostinho - Procurador de Justiça/SP - 23/6/2010

"Mas 'greve' em tempo de Copa do Mundo é muita coincidência (Migalhas 2.413 - 23/6/10 - "Greve do TJ/SP" - clique aqui). Quem adivinha quando vai terminar?"

Sonia Cartelli - 23/6/2010

"Lamentável que a Ordem dos Advogados em nosso estado, tendo a oportunidade de denunciar a falta de transparência dos gastos do judiciário, bem como a sua falta de independência em relação ao executivo, continue, a exemplo do que fez em 2001 e 2004, tachando de radicais os servidores grevistas, que até agora não tiveram sequer uma contraproposta plausível para iniciar uma negociação (Migalhas 2.413 - 23/6/10 - "Greve do TJ/SP" - clique aqui). Gostaria de saber a razão pela qual os representantes políticos da OAB/SP, tão altivos e eloquentes quando se trata de criticar quem luta por salário, se omitem em relação à direção do Tribunal."

Rodrigo Ricoy Dias - 24/6/2010

"O poder judiciário de Mato Grosso está em greve desde 3/5/10. Para agravar ainda mais a crise do judicário no Estado, falta o preenchimento de desembargadores no Tribunal de Justiça. As vagas preenchidas são de apenas 2/3. Sabe qual a solução encontrada? A redução das câmaras julgadoras temporariamente. O concurso dos magistrados foi suspenso liminarmente até uma conclusão do CNJ. Como fica a prestação jurisdicional?"

Milena Iwashita - 24/6/2010

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram