domingo, 25 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Governo Lula

de 4/7/2010 a 10/7/2010

"Vocês sabiam que os cubanos, que inventaram a bolsa-família antes de FHC, concluíram que esse tipo de ajuda é um péssimo exemplo para as crianças que veem os pais ganhando dinheiro do Estado sem fazer nada e assim logo adquirem o vício da ociosidade remunerada. Tanto que as autoridades cubanas decidiram mudar a coisa, depois que uma pesquisa constatou que arranjar um emprego e trabalhar é a sétima prioridade dos jovens do país. Há anos havia no Brasil as famosas frentes de serviço que socorriam os nordestinos nos períodos de seca. Legiões de homens e mulheres eram alistadas e recebiam dinheiro e comida do governo. Em contrapartida, trabalhavam na construção e recuperação de estradas, açudes e outras obras públicas em toda a região. Mesmo assim eram criticadas por casos de corrupção e por sofrerem a influência do coronelismo. Essas frentes não viciavam nem humilhavam o cidadão. E nem criavam uma legião de parasitas vivendo em simbiose com os cofres públicos. A malha rodoviária do país está em frangalhos. Assim como os portos, as escolas e os hospitais públicos. Acabaram as ferrovias, que a Europa e os Estados Unidos continuam construindo. E as poucas obras viraram o imenso bolo com a qual se banqueteiam as empreiteiras, quase sempre escolhidas por processos viciados. Está na hora de o governo repensar esse assistencialismo demagógico. Vamos dar dinheiro e comida a quem necessita. Mas em troca de algum trabalho. O Brasil precisa disso. Do contrário, já se pode vislumbrar muito bem para onde um país em que grande parte de seus habitantes esquece aquilo que o companheiro Raul Castro chamou – repetimo – de necessidade vital de trabalhar. E o maior risco é o de nos transformarmos pelo voto numa ditadura democrática como a do companheiro Hugo Chávez."

Iracema Palombello - 5/7/2010

"E o 'inesperado' aconteceu no Nordeste. Represas e açudes se desmancharam. A verdade é que 57% das verbas para prevenção de catástrofes desse tipo foram gastos na Bahia, para favorecer o candidato do governo para governador. Claro que não explicarão também por que apenas 14% das verbas preventivas foram destinados aos estados de Alagoas e Pernambuco. Na próxima cena, Lula, para proteger votos da Dilma, vai gastar mais de R$ 2 bi para consertar aquilo que poderia ter sido evitado (e que ensejará propinas para certos privilegiados). Não é à toa que, recentemente, Lula blasfemou que 'os impostos no Brasil têm que ser altos sim, do contrário não temos Estado'. Só não disse que os impostos que recolhe são gastos para pagar a folha de milhares de pelegos empregados, nos desvios de verbas públicas, e se esqueceu de dizer também que a catástrofe se armava nos últimos sete anos quando gastaram R$ 8 bilhões em propaganda oficial, sem contar os gastos de empresas estatais. Êta paisinho da carochinha!"

Iracema Palombello - 6/7/2010

"Realmente, Iracema, a autoridade pública pagava legiões de famintos e sedentos, pagava-lhes meio salário mínimo por mês e ainda ficavam à espera de receber por dois ou três meses. Mas, enquanto isso, trabalhando no sol a pino e passando fome e sede, comprova que essas frentes de emergência eram um tipo de assistência de muito valor humanitário que realmente mereciam ser elogiadas e copiadas!"

Abílio Neto - 6/7/2010

"Agora só falta o Lula mandar devolver o juiz para o Evo, como fez com aquele pugilista cubano, que ele mandou devolver pro Fidel."

Joel Geraldo Coimbra - 6/7/2010

"Ao declarar que na Guiné Equatorial se come manteiga francesa, esqueceu-se o sr. Celso Amorim de dizer que, gratuitamente, dela (da manteiga) se fartou no café da manhã no hotal 5 estrelas onde estava hospedado. Sem dúvida alguma não saberá dizer se manteiga francesa é encontrada nas casas da grande maioria dos habitantes do país ou se é democraticamente servida nas prisões para onde são levados os presos políticos. Mas, certamente, a manteiga francesa é encontrada nas luxuosas mansões do ditador Mbasogo na França."

Pedro Luís de Campos Vergueiro - 7/7/2010

"O funâmbulo 'noço líder dos povos da floresta' adora fantasiar-se. Uma vez é pianista, outra fotógrafo, marinheiro; ora boleiro, outra profeta ou qualquer coisa adequada ao exercício de 'reizinho' de história em quadrinhos. Para a sua atual tomada de ares e prova de outras 'águas', armou um passeiozinho de confraternização com alguns das piores espécimes de ditadores da África. Para a 'tournée' o funâmbulo adotou a fantasia de 'homem de negócios'. 'Tudo são negócios', proclama o descarado baixinho do Itamarati. Ah! não esqueçamos que o 'cara' tem a aprovação de cerca de 80% dos ouvidos em pesquisas de opinião. É caso de perguntar-se, de novo: 'que país é este?'"

Alexandre de Macedo Marques - 7/7/2010

"Para quem gosta de vinho, que fique com água na boca ao saber do que rola no Planalto. Em 2002, por ocasião do 42° aniversário de Palocci, o marqueteiro Duda Mendonça presenteou Lula com uma garrafa de vinho tinto francês Romanée Conti, safra 1997, que valia R$ 6.000 (hoje custa R$ 15 mil). Desde então, o presidente não toma qualquer outro vinho que não seja o Romanée Conti, um dos mais caros do mundo. A produção anual é de escassas 6.000 garrafas. Portanto, privilégio de poucos. Pelo visto, nosso presidente aprendeu rapidinho a ter bom gosto. Quem diz que nosso cacique-mor não tem lá suas regalias?!"

Conrado de Paulo - 8/7/2010

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram