sábado, 24 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Eleições

de 11/7/2010 a 17/7/2010

"À Justiça Eleitoral, o sr. Tarso Genro, candidato do PT que disputará o governo do Rio Grande do Sul, declarou possuir bens no montante de R$ 2,972 milhões de reais. Quase três milhões. Ao povo gaúcho, em particular, e ao povo brasileiro em geral, ele tem a obrigação ética de esclarecer como conseguiu amealhar esse patrimônio. Fa-lo-á?"

Pedro Luís de Campos Vergueiro - 12/7/2010

"Para mim, as recentes demonstrações de admiração e apoio dos poderosos de sempre, pela senhora Dilma Rousseff, só tem uma interpretação. O senhor José Serra, eleito presidente da República, será um estorvo, pois virá para governar e não perpetuar estas castas e os seus escandalosos privilégios."

Eduardo Augusto de Campos Pires - 12/7/2010

"O jornal carioca 'Globo' convidou Serra, Dilma e Marina para responderem 'Por que quero ser presidente do Brasil?' Serra e Marina aceitaram responder. Dilma se recusou. Qual seria o porquê, se para ajudá-la existe um exército de assessores. Aí é que se contra o desafio: o que o Globo queria era que o candidato gravasse uma resposta de cinco minutos, sem a interferência de aspones e profissionais de mídia. O jornal queria escutar a resposta dos candidatos, não dos marqueteiros. E aí Dilma pulou fora. Serra e Marina aceitaram gravar a resposta, e o jornal publicou uma síntese do que disseram. É indesculpável a recusa de Dilma. Por isso ela tem evitado as sabatinas para as quais é convidada. Compreende-se o motivo: com respostas não preparadas ela pode se deparar com indagações consideradas incômodas. Certamente dois fatores concorreram para ela recusar: a arrogância de sempre, por parte do PT, que não considera obrigado a dar satisfação a seja lá o que for, e a extrema simplicidade da questão que suscita o identificar-se do indagado, força o candidato a mostrar a cara. E a Dilma que disputa a eleição não existe, e a verdadeira Dilma, a que realmente existe, não disputa a eleição. Ou seja: a candidata apresentada ao eleitor é uma construção da marquetagem. Foi preciso que ela deixasse de ser quem era para assumir, como já declarou Lula, o lugar de um 'outro'. Ela já não sabe quem é. Por isso mesmo não tem como enfrentar desafio tão simples. Sua resposta poderia ser muito simples e resumida: 'Quero ser presidente da República porque Lula decidiu'. E isso encerraria toda a sua dramática verdade. Quanto à Marina e ao Serra, estes não precisam se esconder. No dia 20 de abril, por exemplo, em entrevista a uma rádio de Pernambuco, estado que tem o MST mais violento do país, Dilma afirmou que jamais usaria um boné do MST, porque governo não se confunde com 'movimento social'. Em outra entrevista, então a uma rádio de Uberlândia, no dia 23 do mês passado, criticou as ilegalidades do MST e afirmou que, num eventual governo seu, elas não seriam toleradas. No dia seguinte, foi ao Sergipe e discursou com o boné do MST na cabeça. No dia 25, encontrou-se com mulheres da alta sociedade paulistana na casa do empresário Abílio Diniz e reiterou seu amor pela lei e pela ordem. Quantas caras tem Dilma? Todas as que o mercado de votos pedir. E isso significa não ter nenhuma. Por isso mesmo, é incapaz de responder: 'Por que eu quero ser presidente do Brasil?' Cinco minutos durariam uma eternidade!"

Iracema Palombello - 14/7/2010

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram