domingo, 25 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Gramatigalhas

de 3/4/2005 a 9/4/2005

"Ao ler o texto abaixo, achei estranho o uso da vírgula antecedendo etc: como esta abreviatura vem do latim ET COETERA (e outras coisas), não seria errado esta vírgula antes do E? Paralelamente, pelo significado E OUTRAS COISAS, se estamos nos referindo a números, não seria mais correto utilizar "E ASSIM POR DIANTE"? Estas observações partem de um aprendizado com o escritor Nestor de Holanda em sua obra "A ignorância ao alcance de todos" Grato pela orientação," 

8) Sob outro aspecto, em oportuna observação, lembra Luiz Antônio Sacconi que, por um lado, "atualmente usa-se o ponto também na separação de casas decimais: 15.245, 289.493, 1.648.396, etc."; por outro lado, "os números que identificam o ano não costumam ganhar ponto: 1979, 1947, 1900, 1822, etc."

José Carlos - 7/4/2005

"Prezados Senhores, li, recentemente, num livro de Gramática, na parte relativa à regência verbal as seguintes frases: "José não tarda a chegar"  e "José tarda em chegar". O autor do livro diz que as frases têm o mesmo significado. Gostaria de saber se está correto ou se realmente faltou o advérbio "não" na segunda frase. Agradeço o esclarecimento, se possível."

Isaias Sampaio Lima Filho - Justiça Federal de São Paulo - 7/4/2005

"Por favor, uma questão de ordem: Ordem dos Advogados do Brasil, Secção de São Paulo. Isto é, secção com c e ç. Seção é outra coisa. Muito obrigado. (Migalhas 1.142 - 6/4/05)."

Antonio Cândido Dinamarco, OAB-sp. 32673 - 7/4/2005

"A respeito da migalha do Dr. Antonio Cândido Dinamarco, com o perdão pela ignorância, gostaria de saber que outra coisa é SEÇÃO?"

Clauber Luiz - 8/4/2005

"Quando se envia uma carta a um órgão ou empresa, aos cuidados de uma pessoa específica, devemos usar "Prezados Senhores", como se estivéssemos nos dirigindo a todos os responsáveis da entidade ou "Prezado Senhor", pois a carta está sendo dirigida a uma única pessoa? Foi me suscitada esta dúvida e a resposta colocará fim a uma discussão entre setores da minha empresa. Grata."

Karina Barcelos - 8/4/2005

"Ainda aturdido pela infausta notícia (numa semana que primou por más novas, morrendo Papas e Príncipes, entre tantas outras) encontrei, já nos prolegômenos de Migalhas 1.143, prova cabal do epigrafado: passou sem revisão (sublata causa, tollitur efectus) um terrível imperativo "saiba", na terceira pessoa (você), dentro do "Migaliteramento" (rectius, Migaliteração) formulado na segunda pessoa singular (tu), misturando "sentires" com um subseqüente (logo, dependente) "saiba", em lugar de "sabe". Quem sabe (agora é indicativo) o trânsfuga revisor não aceitaria um pedido de volta ao aprisco, do qual poderia incumbir-se o Departamento de Assuntos Diplomáticos desse planetário (adjetivo ressucitado pela mídia nos funerais vaticanos) rotativo?"

Paulo Penteado de Faria e Silva Junior - 8/4/2005

"Sr. Redator, O prezado colega Antonio Cândido Dinamarco não tem razão. OAB Seção de São Paulo está correto. Em se tratando de subdivisão, como é o caso, tanto faz secção ou seção, sendo esta a variante que há muito já se firmou, empurrando a outra à obsolescência."

José Geraldo Horta da Silva - 8/4/2005

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram