terça-feira, 20 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Nordestino ou paulista?

de 3/4/2005 a 9/4/2005

"Alguns migalheiros utilizam a linguagem caipira quando querem se referir a Lula, sendo o último exemplo, o comentário sob o título "Intervenção nos hospitais do RJ". Está correto que busquem socorro no sotaque do interior de São Paulo, bem ao estilo Mazzaropi. Ainda bem, pois se pai é aquele que cria e educa, tudo que Lula é hoje, deve a São Paulo. Saído de Garanhuns-PE aos sete anos, foi em São Paulo que aprendeu a dizer "menas" e que reunião bilateral é reunião de três. Com o Dr. Sócrates, aquele da seleção de 1982, aprendeu a jogar pelada e a tomar caninha 51 (inspirado no Jânio Quadros), ao invés da Pitu nordestina. Foi por São Paulo que se elegeu deputado federal. Foi na indústria paulista que perdeu seu precioso dedo. Foi com Maluf que aprendeu a mentir e com Quércia a trair. Se tivesse conhecido Adhemar de Barros teria aprendido muito mais. Lula não diz oxente, nem eita, nem entonces. Não gosta de Luiz Gonzaga, mas de Zezé de Camargo e Luciano. Também não dança o frevo e sim o pagode paulista. Não torce pelo Sport ou Santa Cruz, mas pelo "Coríntias". Não "apriceia" sarapaté e rabada. Não reza pra Padim Ciço nem sabe quem foi Antonio Conselheiro. O seu ministério é na realidade um paulistério. Enfim, o que essa peste tem de nordestino?"

Abílio Neto - 7/4/2005

"Justas, muito justas, justíssimas, as considerações do Abílio Neto sob o título acima. Mas que azar do Nordeste, de S. Paulo e do Lula! Tanta coisa de bom para aprender em S. Paulo e o sr. Lula da Silva vai aprender com o team de "professores" citados pelo Abílio! Ninguém merece."

Alexandre de Macedo Marques - 8/4/2005

"Boa noite incansáveis redatores desse magnífico e democrático informativo eletrônico! Repudio com veemência o texto do migalheiro Abílio Neto, haja vista a indisfarçável indelicadeza com que discrimina paulistas e paulistanos, nordestinos, etc. Sua "tese" sobre um "caipira" de linguagem simplória, chamado Lula, é insensata e repleta de palavras injustas, utilizadas para abrilhantar o fosco conteúdo das linhas que escreveu, chegando o "discurso" ao ápice quando ataca - sem dó - personalidades diversas (políticos, atletas, cantores, etc), principalmente de SP, onde nosso presidente (queiram ou não, foi aclamado por maioria de votos ex vi legis por força de nosso regime democrático) se criou! Embora declare abertamente que serei "cabo-eleitoral" do "demônio de Garanhuns" se o mesmo "ressuscitar" nossas ferrovias tal qual tem bradado aos ventos, não sou Lula e muito menos PT!Sou, simplesmente, paulista (e, com orgulho, caipira, por que não?!) como todos meus "irmãos" de solo que aqui se instalaram para "ganhar o pão" (mineiros, baianos, pernambucanos - sim, no Direito pátrio nossa cidadania não é jus sanguini) e, tenho certeza, não merece fama de "estábulo" este amado Estado que sempre foi "berço" de grandes nomes da história do não menos amado Brasil, sendo inequívoco que praticamente sustentamos a nação com árduo trabalho! Trabalho que, na maioria das vezes, impossibilita alguns menos privilegiados cidadãos de estudarem! Certo de que os leitores dos quatro cantos do Mundo (sim, Migalhas é um boletim internacional - quiçá intergaláctico!) não discordarão desta humilde missiva, despeço-me com um sonoro e mineiro "CARCULE" ao Sr. (Dr.?) ABÍLIO NETO que, aliás, esqueceu (?) de revelar sua nobre origem e formação!"

Fábio F. C. Pereira Lopes – escritório Pereira Lopes Advogados - 8/4/2005

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram