terça-feira, 20 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Artigo - Bruno seria um psicopata? Você convive com um psicopata?

de 1/8/2010 a 7/8/2010

"Não gostei de ler esse artigo no Migalhas (Migalhas 2.442 - 3/8/10 - "Frio e calculista" - clique aqui). Já basta o sensacionalismo midiático. Especular, como fez o Prof. Luís Flávio Gomes, não ajuda - pode, isto sim, conduzir mais pessoas a condenar alguém sem conhecimento do processo."

Karlin Olbertz - 3/8/2010

"Não concordo com o texto do Prof. Luiz Flávio Gomes, ao comparar suposto comportamento do goleiro Bruno à características comuns aos psicopatas (Migalhas 2.442 - 3/8/10 - "Frio e calculista" - clique aqui). O que ele realmente disse ou pensa somente seu advogado sabe, e não creio que a imprensa de um modo geral seja uma fonte confiável. Sua suposta tranquilidade e calma também podem ser fruto de sua certeza da inocência (não de ser inocentado, que é outra coisa). Não se pode falar em gratuidade da violência, pois se ele for realmente o autor do crime, estava visando a proteção de seu patrimônio. Por fim, teríamos que incluir o ex-jogador Pelé no rol de psicopatas, pois também ele teve sérias dificuldades em assumir uma paternidade que estava comprovada (até por DNA), lutando contra o óbvio até o final da vida de sua filha."

Simone Rosa dos Santos - 3/8/2010

"Desde uma dissecação amiúde sobre o 'status' psiquiátrico de Bruno, a minha curiosidade 'in casu' se prende à sabedoria da frase atribuída à Cícero: 'ut sementem feceris, ita et metes' (Migalhas 2.442 - 3/8/10 - "Frio e calculista" - clique aqui). Além das previsões legais e processuais vigentes aqui ou no Irã, me pergunto qual seria a pena devida por Bruno e os seus (dele)? Concordo com os questionamentos do Professor Luiz Flávio Gomes na medida em que nós, operadores do Direito precisemos atuar, de qualquer forma, em casos bárbaros como este, que até por ação da mídia sensacionalista se tornam frequentes notícias do nosso cotidiano. Sendo Bruno psicopata ou não, salvo melhor juízo, o indivíduo é um produto do meio. Daí nos prevenirmos, a partir desta (e inúmeras outras menos divulgadas) cruel lição da melhor maneira de afastarmos, como sociedade, de resultados tétricos como este. Cordialmente,"

André Graeff Riczaneck - OAB/RS 52.394 - 4/8/2010

"Eu também discordo do texto sobre a psicopatia (Migalhas 2.442 - 3/8/10 - "Frio e calculista" - clique aqui). Esta havendo uma banalização. Tanto nos meios internáuticos, na mídia televisiva e nas novelas. Acredito que os psiquiatras não estão gostando nada disso, afinal, não é tão simples assim o diagnóstico dessa patologia. Como disse Freud, é preciso cuidado com a psicologia selvagem, aquela que o senso comum determina ou carimba."

Arlete dos Santos Travasso da Costa - 4/8/2010

"Chega de banalizar o perfil psicopata (Migalhas 2.442 - 3/8/10 - "Frio e calculista" - clique aqui). O psiquiatra forense Daniel Martins de Barros critica o uso LEIGO dessa definição de transtorno mental e diz : rotular suspeitos não ajuda a resolver crimes bárbaros. A vulgarização da palavra psicopata é um desserviço para a sociedade, a psiquiatria, a justiça, todo mundo. Antes, nas novelas, havia o mocinho e o bandido. Hoje, é o mocinho e o psicopata. A pessoa não têm mais direito de ser bandido, é de cara rotulada de psicopata. É uso indevido de uma caracterização que se pretende científica. Há psicopatas de fato, e eles têm características que são um transtorno de personalidade. É uma forma disfuncional de se relacionar que é permanente, refratária a modificações. Se você pega uma pessoa que cometeu um crime, por mais bárbaro e bizarro que seja, e fala que ela é psicopata, está dizendo que ela sempre foi assim, que desde muito cedo é fria e indiferente ao sentimento alheio, que nunca vai mudar. O pior é o telediagnóstico : você vê uma cena na TV e fala que o cara é psicopata. É tratar o diagnóstico de forma muito leviana. Não são necessários crimes violentos, o cara pode ser um político, um médico, não um criminoso comum, ele vai exercer a sua frieza e sua crueldade em outros contextos."

Arlete dos Santos Travasso da Costa - 4/8/2010

"Já que estamos falando de perfis psicológicos patológicos que tal avaliar o nosso presidente (Migalhas 2.442 - 3/8/10 - "Frio e calculista" - clique aqui) ? Que ele tem uma conduta bizarra, critérios éticos anômalos,referências ególatras e egocêntricas, discurso delirante frequente, mendacidade compulsiva, gestual histriônico, não há dúvida. E então ? Pelos comentários - palpites exarados pelos migalheiros quanto ao perfil do Bruno, este e o Lula são dois 'brasileiros normais'. Como resultante concluo que estamos num país 'normal'. Afinal quem é 'anormal' nesta Pátria mãe gentil ? Estou achando que sou eu e mais uma dúzia!"

Alexandre de Macedo Marques - 5/8/2010

"Interessante (Migalhas 2.442 - 3/8/10 - "Frio e calculista" - clique aqui). Acho um pouco difícil detectar um psicopata no dia a dia, porque imagino que o convívio com tal elemento nos leva à culpa. A culpa por longo período leva ao desespero, e nesse momento pode ser que o doente seja detectado, quem sabe !"

Maria Amélia C. Soares - 5/8/2010

"Ele é sim! Não convivo, não (Migalhas 2.442 - 3/8/10 - "Frio e calculista" - clique aqui)."

Conrado de Paulo - 5/8/2010

"Impressionante. A liberdade que a internet nos proporciona (Migalhas 2.442 - 3/8/10 - "Frio e calculista" - clique aqui). Tenho visto o 'imoral' orkut desmoralizando profissionais do Direito, todos os dias, em nome de uma Justica retrógrada. Tenho visto dois pesos e uma medida. O caso Eliza Samudio tomou conta das comunidades justiceiras que lincharam recentemente o casal Nardoni, na porta do Fórum de Santana, onde o espetáculo era a principal atração, e o julgamento apenas um pano de fundo. Tambem o casal foi taxado de psicopata. Banalizaram demais a vida, as patologias, assim como as pessoas abrem comunidades para julgar, sem terem o conhecimento e o estudo necessário para tal, sem sequer conhecer processos ou provas técnicas, essas principalmente, assim também outras pessoas entram na esfera das doenças mentais, e saem atualmente chamando todos os que cometem atos cruéis de psicopatas. Ninguém se referiu até hoje a Pimenta Neves de psicopata porque ? Temos que ter cautela, psiquiatras são os profissionais preparados para dar tal diagnóstico, essa é uma esfera do Compêndio de psiquiatria. A pergunta : Voce viveria ao lado de um psicopata ? Eu respondo, é uma pergunta capciosa, onde qualquer um de nós poderia viver ao lado de uma pessoa que tenha esse transtorno, até mesmo porque não é fácil ao senso comum detectar esse transtorno de personalidade. Como disse o colega em seu comentário sobre o Presidente, no meu entender e já dando palpite, pois não tem diagnóstico assistido, a mim ele parece ser um megalomaníaco, mais e daí ? Algum psiquiatra deu esse diagnóstico ? A prudência é uma 'arma' que deveria ser usada todas às vezes em que entramos em uma 'caverna' desconhecida. Acho que diante de tudo isso, é a sociedade que está doente."

Arlete dos Santos Travasso da Costa - 6/8/2010

"A meu ver, não acho que Bruno seja um psicopata. O que aconteceu na vida dele é algo muito simples e que acontece aos montes por aí: falta de estrutura (Migalhas 2.442 - 3/8/10 - "Frio e calculista" - clique aqui). Falta de estrutura emocional, cultural, familiar, religiosa. Quando algo se desenvolve, ou seja, cresce, seja lá o que for, ou uma empresa, ou uma cidade, ou um projeto, ou uma carreira profissional, ou o corpo de um adolescente, é preciso que esteja preparado para. Crescer, progredir, prosperar, se destacar, requer planejamento, direcionamento, posicionamento e, principalmente, pés fincados no chão. E no caso do Bruno faltou boa parte disso. O cara, como tantos outros, não teve estrutura emocional para receber tudo o que a vida lhe ofertou. Deslumbrou-se, deu cabo de uma vida, permeou o caminho da escuridão. O que conseguiu com tudo isso? Matar-se apenas, mesmo ainda estando vivo."

Claudia Corrêa - 7/8/2010

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram