quarta-feira, 21 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Planos econômicos

de 29/8/2010 a 4/9/2010

"Parabéns a equipe por nos trazer a notícia de forma tão célere (Migalhas 2.460 - 27/8/10 - "Planos econômicos") !"

Felipe Nader - 30/8/2010

"Senhores, na qualidade de Procurador Geral da República, o hoje Ministro Toffoli não havia emitido parecer contra as ações de poupança (Migalhas 2.461 - 30/8/10 - "Planos econômicos" - clique aqui) ?"

Douglas Vinicius dos Santos - 30/8/2010

"É o famoso 'toma lá dá cá' : semana passada o STJ mandou pagar alguns (excluiu poupadores que propuseram a ação civil) e essa semana outro ilustre manda sobrestar todos os feitos (Migalhas 2.461 - 30/8/10 - "Planos econômicos" - clique aqui) ! Um passo para frente e dois para trás ! Como diria o poeta : 'Brasil, qual é o teu negócio...'"

Maria Tereza Paschoal de Moraes - 30/8/2010

"O artigo do Dr. Johan Albino Ribeiro (que, se não me lembro mal, é da turma de 1980 da USP, como eu), é tendencioso e parcial (Migalhas 2.461 - 30/8/10 - "Planos econômicos" - clique aqui). Ele trata preponderantemente da questão da prescrição, mas também insinua que os poupadores não tiveram perdas. Tiveram sim e ele sabe o por que. O que se discute nas ações sobre poupança, no maior número de casos, não é a prescrição (que no caso de lesão de direito de natureza pessoal é vintenária, sem dúvida), mas sim o direito adquirido ao índice vigente no início do trintídeo do depósito feito nas cadernetas, o qual não poderia ser modificado por norma legal superveniente, como foi o caso. Este assunto eu já rebati há anos quando o mesmo colega, representando então o Bradesco, veio com a mesma tese. Quem tem memória, se lembra..."

José Fernandes da Silva - OAB/SP 62.327 - 30/8/2010

"Me desculpem pela sinceridade, mas a reportagem como um todo é de uma estupidez hedionda, notadamente na parte em que dá ouvidos aos 'sólidos' argumentos dos representantes da FEBRABAN, totalmente dissociados do que sempre se discutiu nos Tribunais (Migalhas 2.461 - 30/8/10 - "Planos econômicos" - clique aqui). Que eles fiquem em devaneios, não é de se estranhar, conhecemos a FEBRABAN..., mas Migalhas dar ouvidos a tamanhas 'tonterias', já são outros 500..."

Joel Luis Borsuk - 31/8/2010

"É evidente que as opiniões, uma de um conselheiro do sistema financeiro e outra de membros da FEBRABAM tentam invalidar as centenas de decisões já transitadas em julgado que deram ganho de causa aos poupadores (Migalhas 2.461 - 30/8/10 - "Planos econômicos" - clique aqui). Estaria a Justiça errada em seu julgamento ? A última decisão do STJ foi favoravel aos poupadores, estariam os julgadores errados ? O STJ não sabe o que está fazendo ? Seria democrático que o Migalhas veiculasse a opinião de juristas favoráveis aos poupadores para que se tenha os dois lados da questão. O perigo é esperar decisão do STF aonde os ministros são indicados pelo governo Federal e o Banco Central engrossa o caldo contra os poupadores. Essa decisão sim é que pode carecer de isenção !"

Gustavo José Guimarães da Veiga - 31/8/2010

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram