sexta-feira, 23 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Eleições

de 5/9/2010 a 11/9/2010

"Diante das violações conhecidas (e, segundo declarado ainda são muitas as não conhecidas), o ministro da Fazenda Guido Mantega declarou, em alto e bom som, com palavras precisas e inequívocas para todo o Brasil, que 'NÃO HÁ SISTEMA INVIOLÁVEL'. Portanto, segundo o ministro o controle das declarações do imposto de renda é vulnerável (inadequado, pois). A extensão da vulnerabilidade não foi indicada pelo ministro, de forma que, por enquanto, a violabilidade se resume no empréstimo de senhas pelos funcionários indignos das funções que exercem. Mas o pior é que não podemos esquecer que uma eleição eletrônica também é um 'sistema'. Ora, circulam pela internet dúvidas sobre a lisura das próximas eleições no tocante ao uso das máquinas eletrônicas para votar. Diante da declaração do ministro Guido Mantega a inviolabilidade do sistema de votação é uma coisa incerta e duvidosa."

Pedro Luís de Campos Vergueiro - 8/9/2010

"O mestre Miguel Reale Júnior, em recente artigo na mídia impressa, nos brinda com um retrato fiél, do comportamento do brasileiro, face à quase total imoralidade de nossos governantes : ele não se importa com princípios morais. Tenho repetido, inclusive aqui mesmo desta tribuna, que a maioria do nosso povo, prevarica e prevaricará se tiver oportunidade. Finaliza o professor, que os políticos de bem, devem ter a coragem de resistir à eventual tomada do poder pelos macunaímas do século 21. Neste ponto dicordo, infelizmente, completamente dele : a tarefa será quase imposível, eles já estão no poder !"

Eduardo Augusto de Campos Pires - 8/9/2010

"Ao falar das propostas, do programa da candidata Dilma, o Luiz Inácio não faz outra coisa senão passar um atestado de incompetência para si próprio : afinal, se ela precisa fazer tantas coisa como diz, é porque ele, que teve tempo suficiente para isso, não fez (e parece que nem pretendeu fazer). Há quase oito anos ele cogitou de reformas estruturais – eleitoral, tributária, dentre outras; porém nada propôs que mudasse aquilo que disse que herdou. Ao revés : os lucros dos bancos passaram a ser cada vez maiores (astronômicos... segundo as notícias sobre os balanços semestrais e anuais). E é notório que a tributação, que está atingindo o patamar dos 45%, tomou caráter extorsivo. Quem vem perdendo, pois, é o trabalhador que está obrigado a sustentar essa situação. Por um Brasil melhor, cabe (sempre coube) aos cidadãos tomar atitudes : foi o que ocorreu, no âmbito eleitoral, com a Lei da 'Ficha Limpa'. Foi o povo eleitor que se movimentou e exigiu moralidade e decência para os futuros integrantes do Poder Legislativo. Esse, a duras penas e muita resistência, é o começo para se eleger apenas candidatos com reputação ilibada."

Pedro Luís de Campos Vergueiro - 8/9/2010

"Às vezes, realmente, eu não entendo essa pseudo-democracia brasileira, quando um candidato vê-se obrigado a disputar um cargo. Refiro-me ao José Serra. Ele sabia assim como os demais do Partido que sua luta para obter a presidência era difícil senão impossível (vê-se pelas estimativas). Contudo ficou obrigado  a disputá-la praticamente sabendo–o perdida. Por que ? Se se recandidatasse a governador seria eleito. Seu colega de partido, o mineiro tirou o corpo e prefere disputar senador praticamente eleito. Deu preferência ao certo. Que democracia essa ?  Serra ficará fora da disputa por vários anos. Se disputasse com Alckmin ganharia na certa. E sua carreira de político ? Por que não dar a Serra probabilidade de um ou outro, mesmo porque Alckmin não ganharia contra ele e não satisfez quando governador. Foi um desastre para a educação, para os aposentados do Estado, além de propor terra do Estado serem vendidas para esbulhadores do Pontal  do Paranapanema, ilicitamente, que não sei se não vendeu, ao preço de 20% delas. Não se falou mais isso; privatizar o seguro do Estado etc... Eu não compreendo como Serra, inteligente como é, aceitar a situação, nitidamente prejudicial a ele."

Olavo Príncipe Credidio - OAB/SP 56.299 - 8/9/2010

"Não acredito que há políticos de bem..."

Conrado de Paulo - 8/9/2010

"Pelo que as pesquisas estão a indicar, algo errado está acontecendo com minha família : será a única a votar em José Serra ?!"

Eduardo Augusto de Campos Pires - 9/9/2010

"Em época de eleição - mas não somente em época de eleição, é bom que se diga -, é importante refletirmos acerca de nossas instituições, de nossa classe política, enfim, é salutar debatermos sobre o aperfeiçoamente de nossa jovem democracia. Nesse sentido, alguns números comparativos : a nossa Câmara dos Deputados possui 513 deputados federais e a nossa população é da ordem de aproximadamente 200 milhões de habitantes; os EUA, por seu turno, têm 415 deputados e uma população de 300 milhões de habitantes. O nosso Senado é composto por 81 Senadores, sendo que temos 27 Estados; nos EUA há 100 senadores e 52 Estados. Ao que parece, guardadas as  peculiaridades de cada país, numericamente se percebe que há ou um excesso de políticos no Brasil ou uma baixa representatividade nos EUA."

Armando Bergo Neto - OAB/SP 132.034 - 10/9/2010

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram