domingo, 25 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Papa

de 24/4/2005 a 30/4/2005

"Escrevo pra agradecer, ...
aos migalheiros primeiro,
pelo respeito e carinho,
depois ao meu poeta parceiro.

Se o Conclave se demora,
nem o céu me segura,
e de a cavalo ou a pé,
eu me mando campo em fora.
Agradeço ao Migalhas,
seu conselho e diretor,
pela oportunidade de refúgio,
pois com o mundo em tantas guerras é ruim cantar amor.

Se habemus Papam alemão,
que caiam todas fronteiras,
ecoando o galardão,
se hasteiem todas bandeiras,
em nome da paz entre irmãos.

E me despeço rezando,
pois quem reza sempre alcança,
para o 'Poeta Canônico' continuar afinando,
são bonitos os seus versos,
e traduzem tanto amor,
que até o índio sem valor,
se atreve e enfrena carreira,
e trovando a noite inteira,
surge o sol no horizonte,
c' a luz fresteando à janela,
encerro a trova paissano,
ajoelhado e afirmando,
vai trovar noutra capela."

Cleanto Farina Weidlich - Carazinho/RS - 25/4/2005

“Dias atrás suscitaram uma polêmica acerca do ordinal do Papa João Paulo "Segundo". Agora, o novo Para é Bento Dezesseis. Não seria Bento Décimo Sexto. Ou então, porque até então não fora João Paulo Dois?”

Marcelo Witt - 25/4/2005

"Perfeita a análise que faz o articulista Sérgio Roxo da Fonseca (Clique aqui). Talvez fosse preferível termos o Papa dos ateus como sucessor de João Paulo II, ao contrário do que, sabemos agora, termos um Papa que não considera possível a salvação senão nos limites da Igreja Católica, discriminação injustificada neste alvorecer do novo milênio."

Aureliano Monteiro Neto - escritório Monteiro, Dotto e Monteiro Advogados Associados - 25/4/2005

"Embora não tenha lido os pequenos livros a que se refere o autor Sérgio Roxo da Fonseca (Clique aqui), e sem me aprofundar muito nas questões religiosas, posso afirmar por experiência de vida, que a moral vinculada ao conceito de certo e errado do Vaticano é completamente viciada. É só pedir uma opinião a quem foi criado fora da religião dos países subdesenvolvidos da américa, que se perceberá que a ética e a moral estão diretamente ligadas a pureza de intenção dos atos dos inocentes, e não ao conceito de crime e castigo do renascimento. Maquiavel neste caso passa a ser um mero escritor de folhetim e a necessidade sem dúvida deixa as fronteiras do real para atravessar as portas do novo século, que mais do que nunca necessita de novos líderes... As luzes foram acesas para sempre, e o iluminismo foi apenas a chama que as acendeu."

Ana Maria Viegas da Silva - 25/4/2005

"Pois muito bem... um alemão papou o papado! Como filha do holocausto devo ficar preocupada? Ou como afirma meu amigo Gerald Thomas: isto não passa de política? Fico com a segunda com toda certeza! Braço direito do que se foi, tinha brasileiro que ainda torcia (leia-se 'contorcia') para a entrada triunfal um dos nossos como CHEFE DO VATICANO. É cediço por muitos que o Brasil sempre foi (e será) a escória ante o G7, não? Kuss. Der Segen!"

Tathiana Lessa - 25/4/2005

"O Novo Papa: Foi por demais importante a aclamação do Cardeal Joseph Ratzinger como Papa. Acredito que Bento XVI fará um pontificado voltado para a manutenção dos valores morais do cristianismo em detrimento de alas ditas liberais que apregoam o ódio entre as classes, casamento de pessoas do mesmo sexo, aborto, entre outras aberrações. Queira Deus, que o novo Pontífice, seja iluminado pelo Espirito Santo e continue a marcante obra de João Paulo II."

Pedro Jorge Medeiros - Escritório Medeiros, Araújo e Morais Correia Advogados Associados - 25/4/2005

"Neste alvorecer do novo milênio, impressiona-me a falta de sobriedade daqueles que gostariam que fosse eleito um Papa descrente do Catolicismo, para que, assim, as demais religiões não fossem “discriminadas” dentro da Igreja Católica. De efeito, deve-se partir de uma premissa para iniciar a discussão; qual seja: a de que alguém só pode ser discriminado se fizer parte de determinado grupo, que poderá vir a discriminá-lo. Se se raciocinar com o mínimo de coerência, logo se perceberá que não há a possibilidade de alguém que professe outra fé ser discriminado no interior da Igreja Católica, por um singelo motivo: ninguém que não seja Católico estará no interior da Igreja Católica, porque não faz parte do grupo dos Católicos. Direi o óbvio: Só é Católico quem acredita no Catolicismo, e ninguém é obrigado a ser Católico. As pessoas podem ser Judias, Muçulmanas ou seguir qualquer outra Religião, que, no convívio social, serão tratadas com todo o respeito e a dignidade que merecem; mas, certamente, se não professarem fé no Catolicismo, não farão parte da Igreja Católica, e, por decorrência, nunca virão a ser discriminadas, porque da Igreja não fazem parte. Conseqüentemente, posso afirmar que jamais haverá um único homem descrente que será discriminado dentro da Igreja Católica. E sugiro que os que não acreditam na Igreja deixem a eleição do Papa, assim como quais posições a Igreja adotará doravante, à discussão daqueles que crêem que a Igreja Católica seja a ligação do Homem com Deus. Aos que não acreditam na Igreja, peço para que, gentilmente, releguem os problemas do Catolicismo para os que nela crêem."

Tiago Bana Franco - 26/4/2005

"Compreensível a consideração do migalheiro Tiago Franco. Contudo, e infelizmente, as atitudes da Igreja Católica já reverberam, e muito, entre aqueles que não professam tal religião. É só lembrar dos anos de estrago causados pelas Cruzadas e pela Santa Inquisição, da Noite de São Bartholomeu, etc. etc. etc... "

Emília Campos - escritório Viseu, Castro, Cunha, Oricchio Advogados - 27/4/2005

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram