domingo, 25 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Igreja do PT

de 24/4/2005 a 30/4/2005

“O braço eclesiástico do PT está impossível. Boff, Beto, Casáldiga, Arns e tutti quanti não cessam de proferir "opiniões" com a bovina complacência da mídia. O breque que levaram do Cardeal Ratzinger ao tentarem criar uma "Igreja Universal do Reino de Marx" dentro da Igreja Católica ainda não foi digerido pelos amigos de César em detrimento do amor a Cristo. O que leio nas entrelinhas das charlas do  Beto (frei?), do Boff, do Casáldiga, Arns e companhia não tão bela, traduz-se em algumas palavras: Despeito, soberba, vaidade, inveja. Pergunto-lhes se isso é ser cristão católico.”

Alexandre de Macedo Marques - 25/4/2005

"Que pena que a última eleição para Papa ainda tenha dividido a Igreja Católica entre "conservadores" e "progressistas", tanto entre os cardeais eleitores como entre os católicos de todas as partes do mundo! Que pena que a Teologia da Libertação tenha deixado de ser uma teologia para ser apenas uma doutrina social, tudo pela ação de alguns padres e bispos! Que pena que o ideal de uma igreja voltada preferencialmente para os pobres tenha morrido! Que falta faz um bispo como Hélder Câmara, que abandonando a suntuosidade do seu palácio episcopal, foi residir em uma casinha de porta e janela nos fundos de uma pequena igreja, onde todos os dias, pela manhã, antes da missa, distribuía pão aos pobres! Que falta faz um bispo como Augusto Carvalho em Caruaru, outro exemplo de dedicação aos pobres! E as comissões de justiça e paz? E a pastoral da terra? Como esquecer que foram os padres e bispos progressistas que denunciaram os horrores do regime militar de 1964, o qual trouxe não somente fuzis e baionetas, mas também alguns generais truculentos que mancharam de sangue o honrado verde-oliva do nosso Exército? E a denúncia dessa situação no exterior, atraindo o ódio dos militares, quem teve a coragem de fazer? Seria até muito cômodo para os religiosos adeptos da Teologia da Libertação, ficarem ao lado dos poderosos, afinal não foi isto o que a Igreja sempre fez? D. Hélder Câmara, condenado ao silêncio na imprensa brasileira, dizia: "quando dou pão aos pobres dizem que sou santo, mas quando pergunto as razões da pobreza, aí dizem que sou comunista!". Nem isto podiam discutir! Que pena não poder discordar do Dr. Alexandre Marques, se o MST é o modelo de "luta" adotado pelos seus seguidores pra resolver as questões dos sem-terras! Mais ainda, se o seu modelo completo e acabado de católico é o Sr. Presidente Lula, o mesmo Lula que esteve presente no funeral do saudoso Papa João Paulo II, na Praça de São Pedro, com o semblante risonho de um operário que chegou ao Paraíso! E que na saída da praça, sendo entrevistado, declarou-se um homem sem pecados! Quem implantou o rodízio de UTI dos hospitais públicos, quem fixou os irrisórios valores dos benefícios mínimos pagos pelo INSS, e criou a facilidade para que os velhinhos consigam empréstimos bancários para reduzir a zero o que recebem, sabe quanto Lula não é pecador! Completando o quadro só falta a FEBRABAN erguer um monumento cópia fiel de Lula em frente à sua sede, reconhecendo o que ele faz pelos pobres! Pra encerrar, estivesse Lula presente à cena da adúltera em que o Mestre Jesus desafiando os presentes, ordenou que quem estivesse sem pecados atirasse a primeira pedra, ai da pecadora, porque uma pedrada, não garanto, mas uma garrafada (vazia logicamente) de "doze anos" com certeza seria arremessada! Que pena que a Igreja Católica por obra e graça dos seus ministros tenha ainda dois cordões feito um pastoril, o azul e o encarnado!"

Abílio Neto - 27/4/2005

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram