quarta-feira, 21 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Fogo!

de 22/5/2005 a 28/5/2005

"Resposta ao Zé Preá (Migalhas 1.171 - 19/5/05)

Ratos existem muitos,
lhes digo com certeza,
tem o ratão de igreja
e também do banhado,
esses que foram apanhados
com a isca do governador,
transmitem peste, é um horror
na câmara dos deputados.

Se pega-rato! gritar,
tudo se perde na carreira,
por isso o uso da ratoeira
de Zé Preá é a sugestão,
ainda assim meu irmão,
acho melhor a fogueira."

Mano Meira - 23/5/2005

"Prezado Diretor: encerrando o debate com o querido Mano Meira sobre a melhor maneira de acabar com os ratos, aqui vai a minha réplica:

Triste País meu irmão
A constatação do fato
Que o progresso da Nação
Dependa do fim do rato
Uma gente tão sabida
Que eles dão a mordida
E a gente paga o pato

Pra extinguir os agentes
Que causam a roubalheira
Se o fogo mata inocentes
Eu prefiro a ratoeira
Fogo se alastra ligeiro
E depois cadê bombeiro
Pra apagar a fogueira?

Quando essa gente morrer
Vai aos pés do Pai Eterno
E Deus há de lhes dizer
Com roubo não sou materno
E o que vai acontecer?
Todos eles vão arder
Lá no fogo do Inferno!"

Zé Preá



(Capa desta semana)

- 23/5/2005

"Ao Mano Meira e Zé Prea - Fogo ou Ratoeira?

Viu no que deu paisanos,

com "Fogo ou Ratoeira",

isca de queijo ou mola,

em favor da plebe e dos cartolas,

sou também pelo fogo,

esse que sai das urnas,

e também, pela ratoeira,

essa prá utilizar no rescaldo,

e viva a 'república das bananas',

pois hoje, como diria o Lobato,

já podemos dizer as verdades,

na lata dos safardanas."

´Troveiro dos conclaves´ - Cleanto Farina Weidlich - 24/5/2005

"Resposta ao Migalheiro Cleanto Weidlich - Troveiro dos Conclaves:

Aqui no extremo garrão

da pátria continentina,

a peste campeia malina,

tem até algum ratão

fugindo pelo ladrão

enquanto falta ratoeira,

chega a ser até brincadeira,

uns querem ser candidatos,

há até parelheiros ratos

querendo correr carreira.

O fogo das urnas!

Sábia metáfora Troveiro,

se escapa desse entreveiro

não foge das puas,

em noite clara de lua

cai na mola da ratoeira,

e no alevantar da porvadeira,

em agonia estrebuchando,

ainda escuta alguém cantando

uma coplita migalheira."

Mano Meira - 25/5/2005

"Ao início, diga-se entre parêntesis: (É impressionante o 'olhar humano que se percebe no ratão da capa de Veja'. Não estariam esses bichanos, lá em seu mundo animal, pesquisando alguma fórmula que o distanciem um pouco mais do DNA humano, só por cautela?) Ao Mano Meira, antes Poeta Canônico, e agora 'Payador dos Roedores do Erário', recebo bem o recado, cumprimento pelos teus chasques, mas não posso ficar calado:

Misturando Clero e Nero,

viemos viemos nessa toada,

onde o taura arrisca a vida,

só prá honrar a pataquada.

Festejamos o 'Papa brasileiro',

deu Bento XVI,

nossa sorte anda negra,

eu digo prá ti de perto e vou contar prá vocês.

Desde a época do Império,

existem registros na história,

os fiscais não eram sérios

e agiam contra a oratória.

A caça aos ratos do erário,

é missão de fino trato,

sempre arrumam algum falsário,

um assessor,... alguém, prá pagar o pato."

´Troveiro dos conclaves´ - Cleanto Farina Weidlich - 25/5/2005

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram