Células-tronco

1/6/2005
Adriana Bonk - estagiária do Escritório de Advocacia José Henrique Dal Cortivo, OAB/SC 18.359

"Afinal, onde estamos? ...tantas crianças hoje são geradas, e por elas nada fazes... pais sem trabalho... todos doentes, e neles não credes... crianças e pais, nas ruas, sofrendo, morrendo... "Uma Adin contra o artigo da Lei de Biossegurança que permite pesquisas com células-tronco embrionárias congeladas por pelo menos três anos". Eu só espero que o procurador-geral da República Claudio Fonteles consiga, com tal proeza, assegurar por pelo menos "três anos" a "vida" de pacientes que sofrem de doenças degenerativas e dependem das pesquisas autorizadas por tal lei. A propósito, que saiba conscientizar os familiares e toda a comunidade científica de que "este é o melhor caminho para assegurar a vida"."

Envie sua Migalha