sexta-feira, 23 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Corrupção

de 5/6/2005 a 11/6/2005

"A manchete da Folha de S. Paulo de sábado ("Lucro dos bancos aumenta 52% no primeiro trimestre") e os resultados do chamado "Radar Social", divulgados pelo IPEA na quarta-feira passada, lidos em conjunto com o artigo de Fernando Gabeira também de sábado ("De volta ao apartamento de Roberto Jefferson")  e com a coluna de Gilberto Dimenstein deste domingo ("Assassinato Zero"), ambos do mesmo jornal, revelam, de um lado, que Lula talvez estivesse certo quando, na oposição, dizia simplesmente faltar vontade política ao Governo FHC para resolver os grandes problemas do país; de outro lado, relevam que, se o Governo Lula tem vontade política, não parece ser exatamente para resolver esses grandes – tampouco os pequenos – problemas do país. Ainda bem que à desilusão com a postura governamental muito bem apontada por Gabeira ("A experiência do poder quebrou mais nossa vontade do que todos os paus-de-arara; os holofotes e o cordão dos puxa-sacos nos confundiram mais do que choques elétricos..."), se contraponha a esperança em soluções comunitárias para tais problemas, revelada por Dimenstein."

Gastão Meirelles Pereira - advogado - 6/6/2005

"Se a corrupção no governo tem sido a maior fonte da decepção popular, e 65% dos brasileiros acham que o atual governo é corrupto, não há como negar que a reeleição de Lula será puro milagre. De nada adiantará abafar a CPI dos Correios. Somando o caso Waldomiro, os indícios de suposta evasão de dólares de Henrique Meirelles, as mutretas de Romero Jucá, e agora o escândalo da CPI dos Correios, o eleitor certamente vai  mostrar seu descontentamento nas eleições de 2006."

Iracema Palombello - 6/6/2005

"Informo à distinta classe dos migalheiros que diante do esgotamento da capacidade da antiga tabela usada para medição da irresponsabilidade, desvario, bizarria, bisonhice, delírio e leiguice nacionais - o chutômetro - entra em vigor um novo padrão, o "lulômetro". Cada unidade do novo padrão, o"lula", equivale a 100 chutes da antiga tabela. Agradecem-se, publicamente, as inestimáveis colaborações dos srs. José Genoíno, Aloísio Mercadante e Prof. Luisinho."

Alexandre de Macedo Marques - 6/6/2005

"Aprofundadas investigações nos conduzem à constatação de que os escândalos brasileiros não são obra do acaso. O protagonista do escândalo anterior é sempre o mais importante suspeito por fazer vir à tona o fato novo, já que esse país não tem mesmo memória. Assim, quem explodiu o Shopping em Osasco foram os Anões do Orçamento; a queda do Palace II, no Rio de Janeiro, é obra dos engenheiros responsáveis por aquele Shopping; e o Sérgio Naya afundou o Bateau Mouche... Cada novo escândalo esconde o anterior e garante total impunidade aos protagonistas. Ou não? Saiu da mídia, tá limpo! Tem gente que ainda se escandaliza mas a amnésia coletiva se incumbe de insensibilizar a opinião pública. Cadê a Jorgina e o Hilton? E a grana? Onde foram parar o João "Deus-Me-Ajudou" Alves, o Genebaldo e os outros Anões (já esquecemos até os nomes, tá vendo?)? E o Sérgio Naya, por onde anda? Estranho, ninguém fala mais nada do Luiz "OK" Estevão, né? Cadê os nomes dos fraudadores que se utilizavam da conta "Beacon Hill"? Até o Maluf, parece que está na muda: não pia! Curioso...! O Lalau deve ter abocanhado, no máximo, uns míseros 20%, mas responde pelos 100%, ou não? E os outros? Na última safra, só para ficarmos nos doze meses pretéritos, tivemos a Anaconda trazendo à luz as patifarias do Rocha Matos e dos Irmãos Metralha; o propinoduto palaciano operado pelo assessor do Zé Dirceu; a tentativa de rapinagem nos Correios e Telégrafos; agora também tem o "mensalão" criado pelo PT, para comprar, a peso de ouro, consciências que não valem nada. Claro que deixamos de nos referir aos "pequenos" escândalos, coisa mínima, apenas com enfoque regional, como o desmatamento da Amazônia, a produção de notas frias dos prefeitos de Alagoas, o legislativo achacando o executivo no Centro-Oeste... Penso que o "Migalhas" prestaria um excelente serviço ao país se mantivesse no ar uma relação dos escândalos e o acompanhamento, ainda que sucinto, das apurações e punições dos culpados. De qualquer forma, a cada nova pouca vergonha, olho vivo nos responsáveis pelo escândalo anterior. O mordomo nem sempre é o culpado."

Paulo R. C. Lara - advogado – OAB/SP 52.348 - 6/6/2005

"Paulistas e brasileiros, estourou o escândalo envolvendo o PT, respingando de forma violenta sobre o Planalto. Sabíamos que um mar de lama encobria os porões do Planalto, e sabíamos que outro tanto de lama estava se acumulando no Congresso nacional. Agora, até os porões do Congresso Nacional foram cobertos pela lama, que foi levada pelo PT, que na ânsia de deter o poder nas mãos, usou da mais letal das armas, a corrupção. E não arma de fogo ou arma branca, que matam pessoas. A corrupção mata uma nação. E ensinou deputados de baixo nível moral a se corromperem. Aliás, imorais no trato da coisa pública e que dela devem ser banidos para sempre, após exemplar julgamento. O Ministro Marco Aurélio, do STF, disse em alto e bom som, que se restar provado que Lula ficou ciente do pagamento do "mensalão" e não tomou as providências cabíveis, poderá sofrer processo de impeachment pelo Senado Federal e ser processado pelo STF. Bem de ver que o PT está envolvido em dezenas de casos de corrupção até da morte de Celso Daniel. Esperamos que nosso mui digno Ministério Público averigúe todas as denúncias e mande para a cadeia seus autores e quem com ela estiver conivente. A coisa pública está sendo tratada pelo PT, como se fosse dele. E a 1ª dama tem o desplante de na residência oficial da Presidência da República, colocar no jardim a estrela do PT. Basta. Chegou a hora. Toda a sociedade, deve se erguer e pedir, publicamente, a renúncia de Lula, ou seu impeachment, como os caras pintadas fizeram com Callor."

Antônio Orlando de Almeida Prado - advogado - 7/6/2005

"Que alívio para o governo Lula! O fórum a ser encenado em Brasília, a partir de 7/6, é o "Fórum Global sobre a Corrupção". Imaginem o forrobodó nas hostes petistas, et alii, se fosse o "Fórum Global contra a Corrupção". Os companheiros podem estar sossegados! "a luta continua...", à vontade. Oh! Que delícia de lambança! Agora entendo o que o Lula e os petistas queriam dizer quando bradavam, "Sem medo de ser feliz"."

Alexandre de Macedo Marques - 7/6/2005

"Srs. Senadores Jose Agripino, Arthur Virgilio  e  Tasso Jeressaiti. Antes que seja tarde! A democracia brasileira corre perigo graças à incompetência de V.Exas e outros milhares de políticos e governantes brasileiros, que pouco cumprem com a palavra empenhada nas campanhas eleitorais e fazem da política um jogo para que os benefícios sejam levados ao bolso de cada um, e nada parecem estar  preocupados com o interesse do bem-comum, ou até mesmo da Nação brasileira! V.Exas. estão deitando e rolando em cima das denúncias do Dep. Jefferson, a respeito de corrupção no PT e no governo Lula! Pergunto: V.Exas. tiveram este mesmo comportamento quando houve denúncias de corrupção no governo FHC e tentou-se formar a CPI da Corrupção? Srs. Senadores Arthur Virgilio e Jeressaiti: V.Exas. foram a favor ou contra à expulsão do Sen. Álvaro Dias do PSDB, à época, por este ter assinado a CPI da Corrupção?! E a CPI do Banestado? Uma vergonha hein? PSDB e PT, em excelente atuação, maravilhosa, conseguiram arquivar a CPI, sem sequer ter sido votado o relatório, entre o Natal e Ano, em um dos atos mais vergonhosos desse Congresso Nacional! Senador Heráclito Borges menciona isto em aparte ao Sen. Sibá Machado (PT-AC), nessa mesma sessão do Senado, alertanto-o que o PT em muito contribuiu para o arquivamento sem as investigações devidas na CPI do Banestado! Imaginem a indignação dos cidadãos brasileiros que esperavam que a CPI do Banestado fizesse um trabalho ético e honesto, mas o que se verificou foi a maior prova de hipocrisia e desprezo pela opinião popular, reinante em parlamentares tanto do PT quanto do PSDB! Uma esculhambação! Como V. Exas entendiam que seria o "sentimento do povo", o "sentimento popular" acerca da CPI do Banestado? Àquela época a voz das ruas do Brasil foi pela instalação da CPI do Banestado e as conseqüentes investigações honestas e decentes. O PT e o PSDB pouco se importaram com tudo isso! V.Exas. devem fugir deste assunto como o diabo foge da cruz! Longe de V.Exas. pensar que este cidadão é contra o pronunciamento às denuncias envolvendo o PT e o Governo Lula e conseqüente instalação de CPI. V.Exas. realmente  tem o dever de agir assim. Porém, não estão sendo coerentes com os casos da CPI da Corrupção do Governo FHC-PSDB e  com a CPI  do Banestado arquivada, pelo PSDB e PT,  sem votação do respectivo relatório. Esta vai ser a cobrança da História a V.Exas. Mas,  também,  a cobrança poderá vir das ruas... Em resumo: por que alguns casos de corrupção V.Exas. querem que vá para baixo do tapete e outros que sejam investigados à luz do sol? Pergunta ingênua, né? Se V.Exas. e seus companheiros de política tivessem  sido mais corretos, politicamente falando, fossem mais autênticos, mais coerentes e menos hipócritas a democracia brasileira estaria funcionando bem mais a contento e talvez não estaríamos vivendo esta desgraceira de hoje! A História está registrando tudo. Infelizmente parece que tem pessoas que apreciam que seus nomes sejam jogados na lama! Se este Congresso Nacional realmente fosse composto de grande maioria de parlamentares que  tivessem vergonha na cara, se reabriria a CPI do Banestado, se faria a CPI da Corrupção do Governo FHC, se faria a CPI Waldomiro, a CPI do Correio e do IRB, a CPI Mensalão, todas elas, aí sim, talvez, a opinião popular poderia melhorar seu conceito a respeito do  Congresso Nacional! De um cidadão frustrado com todos os partidos da base aliada deste Governo e do Governo FHC também!"

José N. Genova - Curitiba/PR - 7/6/2005

"Ainda que seja instalada a CPI, o relator deverá ser conivente. Ainda que mesmo assim não acabe em pizza, acharão um laranja para pagar o pato. Ou seja: de um jeito ou de outro, acabará em pizza. Para isso que serve toda CPI. O governo pode ser considerado uma verdadeira pizzaria muito bem azeitada."

Conrado de Paulo - 7/6/2005

"Lá na longínqua Roraima, cada deputado exigiu do governador uma mesada de R$ 50.000,00. Já no congresso nacional, a levar em conta as denúncias do Dep. Roberto Jefferson, cada deputado custa R$ 30.000,00 por mês. Já não é hora de uniformizar a tabela da corrupção em todo o território nacional? A propósito, no Aurélio encontramos o sinônimo de corrupção: Putrefação..."

Wilson Silveira - escritório Newton Silveira, Wilson Silveira e Associados - Advogados e CRUZEIRO/NEWMARC Propriedade Intelectual - 7/6/2005

"Diante das noticiais dos últimos dias, parece-me que o senhor Presidente Lula criou mais um órgão federal, a "Abafadoria Geral da República" - AGR, com sede no Palácio do Planalto e sub-sede na Granja do Torto. Mais uma vez, ao tomar conhecimento da prática de supostas e sérias irregularidades, tratou de encaminhar o assunto como se fosse mero acontecimento corriqueiro, pouco se preocupando com os seus desdobramentos. E, como em outras ocasiões, o "escândalo" só foi confirmado depois de bombásticas declarações de seus próprios correligionários e após desencontros de versões oficiais, ora negando os fatos ora confirmando-os parcialmente, mas todas, sem exceção, isentando o "ingênuo" senhor Presidente da República. Basta de tanta incoerência e inconsistência no trato da coisa pública. Um governo que foi eleito sob o pálio da honestidade e correção de conduta deveria ser o primeiro a cobrar responsabilidades e a dar explicações a todos os cidadãos, não porque haja uma CPI no horizonte ou porque haja um inquérito em curso na Polícia Federal, mas porque, isto sim, a moral e a ética recomendem-no. É inadmissível que a corrupção continue grassando em nosso país e a impunidade seja a regra. Nossa carga tributária é pesada demais e nossas carências como nação também são enormes e, por isto, os corruptos e corruptores merecem ser tratados com rigor, independentemente de seus matizes ideológico-fisiológicos. Mesmo assim, nosso Presidente, cujo lema é "Um governo para todos" nada faz. É lastimável. Posso ser taxado de precipitado, mas sou a favor do impeachment do senhor Luis Inácio Lula da Silva! Para mim, valores morais e retidão de conduta não são passíveis de tergiversação, e não há crise econômica que supere em gravidade a crise moral e institucional que se vislumbra nas nuvens dos poderes executivo e legislativo."

Luiz Fernando Sampaio - 8/6/2005

"A história do deputado Roberto Jefferson sobre a "mesada" aos deputados aliados por parte do PT, somado a todos os fatos recentes envolvendo as práticas fisiológicas do referido partido, até pouco tempo considerado (por mim mesmo) arauto da moralidade e da ética, vem mostrar claramente que a retórica petista de que as elites brasileiras é que destruíram o país, através de corrupção, é uma grande falácia. O PT acaba de evidenciar que o problema da corrupção no Brasil não diz respeito à capacidade financeira do indivíduo (rico ou pobre, empresário ou trabalhador), mas é somente fruto da oportunidade e da cultura de um povo leniente com essa safadeza com o dinheiro público: Se estiver num cargo público, roube! É preciso uma mudança de mentalidade, a partir do endurecimento da legislação para enquadrar corruptos. A proposta de tornar atos de corrupção em crime hediondo, com aumento da pena máxima para trinta anos, com perda eterna de direitos políticos e da função pública, é o mínimo que podemos imaginar para aplacar a sede desses lesas-pátrias que se arvoram em disputas por cargos públicos (eletivos ou comissionados) e de servidores públicos corruptos. Vamos levantar nossos traseiros e protestar por uma mudança efetiva!"

Cláudio José Freire Guimarães - OAB/MG - 54.166 - 8/6/2005

"Amado Editor e ilustres leitores. É certo que como disse o editorial de hoje (Migalhas 1.182 - 7/6/05), está "rareando a capacidade de indignação do povo", fato que surpreende os estudantes de outrora que tanto lutaram pela democracia do País. Mas o correto, o justo e o que proponho é o lançamento da Campanha "Renúncia Já". Não uma simples campanha pela renúncia do Presidente e sua corja, mas sim pela renúncia em massa de todos os deputados e senadores, além, evidentemente de todos os membros do Governo. Se nós brasileiros já temos que passar pela vergonha internacional da corrupção aceita pela sociedade, que pelo menos tenhamos que sofrer com uma corrida eleitoral geral e antecipada dando a oportunidade ao povo (mais uma vez) de escolher melhor seus representantes e expulsar definitivamente os Dirceu's, Jefferson's, Magalhães e outros elementos que mereciam cadeia e não cadeira parlamentar. RENÚNCIA JÁ!"

Marcelo Duarte - escritório Hodama, Duarte, Chiachio, Kayo - Advogados Associados - 8/6/2005

"Gay na Avenida Paulista
De batom e salto alto
No Rio, o bandido-artista
Brinca de fazer assalto
Mas balaio de deputado
Cheio de voto comprado
Isso é cuspido e cagado
O retrato do Planalto!"

Zé Preá - 8/6/2005

"É de comezinho princípio que o acusador prove as acusações feitas, como bem demonstrou o artigo "Decoro Parlamentar" do advogado Pedro Serrano (Migalhas 1.182 - 7/6/05 - clique aqui). Vindas de quem vem, passado e presente não recomendam, o deputado Jefferson tem que provar as acusações feitas ao Congresso Nacional, já que ninguém foi citado. O governo, finalmente, concordou com a CPI dos Correios. Demorou. Deveria ter feito isso desde o início. Resta agora às tropas de choque, do PFL e do PSDB, retirarem dos túmulos todos as CPI’s que o governo de FFHH enterrou, fazendo-as vivas e atuantes. Como salientou o jornalista Santayana o presidente Lula deve dirigir-se imediatamente ao povo contando-lhes que não está sitiado e que não aceita ultimatos dos que contribuíram para a "decadência dos costumes políticos". Cadê o Lula que denunciou os 300 picaretas do Congresso? Os políticos honestos e a imprensa idem, devem denunciar que toda essa espuma visa desviar a atenção do verdadeiro problema do governo petista: a política econômica que reproduz o que tinha de pior no governo anterior. Privilegia os especuladores, mina o setor produtivo e castiga os trabalhadores. Esse é o "calcanhar de Aquiles" de Lula. Por que desviam a atenção? Porque são beneficiários dessa política econômica neoliberal. Ainda dentro do governo: que conversa é essa do Ministro do Agrobusiness, digo da Agricultura, pedir dinheiro do FAT para socorrer o setor agropecuário? Já não foi suficiente FFHH tê-lo usado para as privatizações? Que história é essa do BNDES financiar a construção de loja de grife (Daslu) aqui em S. Paulo? Precisa apurar e punir o(s) engraçadinho(s) que permitiram. O presidente continua com crédito junto ao povo, mostram as pesquisas. Que use esse crédito para fazer uma limpeza junto a alguns companheiros e membros do governo (boa parte dessa espuma é provocada por gente de "confiança"). Precisamos de menos radicalismos nos discursos, dos dois lados: que idéia é essa de golpismo ministro Aldo? Por enquanto, nenhuma viúva do regime de exceção foi bater às portas dos quartéis. Estão apenas espalhando "factóides". No mais é choro de quem sabe que não tem candidato para enfrentar 2006, ou o Brasil "precisa de um gerente", como se fosse uma das empresas dos tucanos? Fraternalmente,"

Armando Rodrigues Silva do Prado - 8/6/2005

"Não há como acabar com a corrupção no Brasil! Não adianta endurecer as leis, pois quanto maior o risco maior a propina. Podemos tão somente diminuir os locais onde ocorrem tais atos. Para isso é imperioso, talvez a única saída, reduzir o tamanho do Estado. Privatizar tudo, os Correios, o IRB, a Petrobrás, o Bando do Brasil, a Eletrobrás, enfim toda e qualquer empresa pública na qual o Estado tenha participação. Para os casos que ainda inevitavelmente ocorrerão algumas medidas simples podem trazer a sociedade justiça, quais sejam, devolução em dobro aos cofres públicos do que foi desviado, apropriado, malbaratado ou dilapidado, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos por 20 anos e proibição de contratar com o poder público pelo mesmo prazo."

Afonso Assis Ribeiro - advogado - 9/6/2005

"Mais um testemunho forte de que Deus é brasileiro. Se conseguíssemos uma vitória contra a Argentina, certamente a euforia dos brasileiros diminuiria substancialmente o interesse e a pressão para que os políticos do nosso país dêem andamento às apurações dos fatos com relação ao "Mensalão" e às falcatruas que correm à solta por todos os lados. Desta vez, mais uma ajuda expressiva para que se continuem as investigações e conseqüentemente mais uma chance de fazermos uma mea-culpa e exigirmos um pouco de vergonha na cara dos nossos representantes. O Brasil perdeu. Fiquei, como todos os brasileiros, magoado com a derrota, mas já está na hora de pensarmos um pouco menos em um único jogo de futebol quando temos um jogo muito mais importante para as nossas vidas em nosso país. Um jogo que estamos perdendo há muito, sem sequer lutarmos para vencer. Vamos ver se a falta do estímulo da vitória, conserva a cabeça dos brasileiros voltada à apuração dos fatos, que têm permitido a alguns políticos indecorosos fazerem fortunas, dilapidando vergonhosamente o erário num acinte absurdo à confiança de seus eleitores. Senhor presidente, ainda não deu, o foco continua o mesmo. Faça cumprir a sua promessa de representar com dignidade o povo brasileiro e exija uma apuração responsável de todas essas questões. Se não quiser fazê-lo, pelo menos, não atrapalhe, para que o nosso País possa, de fato, crescer. Obrigado Senhor, por mais essa oportunidade!"

Oterno Antonio de Souza - 9/6/2005

"Cumprimentando este valioso diário, gostaria de, a respeito do escândalo envolvendo o governo no mensalão de dizer uma frase do meu sábio pai: "isto prova que não existe virgem na zona"."

Luiz Fabiano de Oliveira Rosa - 9/6/2005

"Pense bem, mais vale um PC ou um do PT?"

Alexandre Thiollier - 9/6/2005

"Prezado Editor, confesso que até hoje não havia conseguido entender completamente a etimologia da palavra deputado. Agora não tenho mais dúvidas. E como diria aquele governante: depois de mim, o Delúbio!"

Paulo R. C. Lara - 9/6/2005

"Prezado Diretor, a idéia da ratoeira foi aceita pelo ex-rebelde do PT João Fontes que ontem a exibiu na Câmara dos Deputados, dizendo que era pra pegar os 300 picaretas. Inocêncio Oliveira, agora no PMDB, reagiu indignado e disse: "temos que manter a ética! Retire esse instrumento da tribuna!". Em seguida cortou o som do microfone do deputado João Fontes. A ratoeira já começa a incomodar. Imagine se colocá-la na porta da Petrobrás. Por lá também andam uns ratos desviando dinheiro pro PT e o governo já pensa em "blindar" a empresa como fez com Meirelles. Por isso e outros, PT nunca mais!"

Abílio Neto - 10/6/2005

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram