terça-feira, 20 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Desagravo migalheiro

de 10/7/2005 a 16/7/2005

"Quero me associar ao desagravo migalheiro ao colega Marcelo Leonardo (Migalhas 1.206 – 11/07/05 - "Inferência"). Advogado brilhante e íntegro, professor de Direito Penal, líder de classe e confrade do Movimento Anti-Terror penal, Marcelo Leonardo não tem impedimento algum para assumir a causa que abraçou com tanta coragem e combatividade. Tentar denegri-lo é um ataque covarde que merece a repulsa de todos."

Arnaldo Malheiros Filho – escritório Malheiros Filho, Camargo Lima e Rahal – Advogados - 12/7/2005

"Dr. Marcelo Leonardo é Procurador da Assembléia, (segundo li), e apresenta-se como criminalista. Desconhecia que um Procurador da Assembléia seja Advogado Criminal. Dá para conjugar as duas coisas? Não entendo o motivo de Migalhas sair em defesa de Sua Excelência, única e exclusivamente por eventual conotação que possa ter sido dada pela FOLHA. Mas que é estranho, convenhamos que é!"

Antonio Cândido Dinamarco - OAB/SP - 32.673 - 12/7/2005

"Essa maluquice de se confundir a figura do advogado com a do seu cliente nós a devemos ao marketing depredatório da imagem dos advogados que passou a existir com essa enxurrada de faculdades, formadoras de bacharéis-vítimas, e infelizmente a falta de preocupação da OAB em defender na plenitude o exercício da advocacia, sem interesses demagógicos ou de política de classe. Associo-me, portanto ao desagravo do advogado Marcelo Leonardo (Migalhas 1.206) e já faço uma profecia: preparem-se migalheiros amigos para outros desagravos porque todos os advogados que forem defender a turma do mensalão do lulão ou das patifarias das estatais serão acusados de fazerem parte das supostas quadrilhas. Por falar em mensalão, sugiro que uma dessas CPIs ou CPMIs em andamento procurem indícios de fraude no sorteio milionário da última mega sena acumulada e também vasculhem a existência de eventual mensalão jornalístico. Ufa! Deu PT, perda total!"

Alexandre Thiollier - escritório Thiollier Advogados - 13/7/2005

"Já que certas múmias, que em tempos tardios, se mostraram amigos de Marcelo Leonardo, se encontram com a boca suturada, vou levantar uma corrente de solidariedade no que toca ao desagravo. Marcelo Leonardo não é só bom advogado e professor, é antes e acima de tudo um guerreiro! Mas como neste país hipócrita ainda há ranço de certos moralistas, além da mídia nojenta sensacionalista que insistem no estereótipo delinqüente=pecador, advogado=do diabo, devo ressaltar que se é bem certo que a impunidade é algo inadmissível, o cerceamento quanto a todo e qualquer direito de defesa também o é! E parabenizo a bela colocação do colega Alexandre Thiollier."

Tathiana Lessa - 13/7/2005

"O ilustre e combativo advogado Alexandre Thiolier está absolutamente equivocado quando registra que a OAB não está interessada no prestígio dos advogados no da própria advocacia. A violência que se abateu sobre o caríssimo Marcelo Leonardo é a mesma que se abateu sobre José Carlos Dias quando defendeu Naji Nahas, Márcio T. Bastos, quando defendeu Antonio Carlos Magalhães e eu mesmo quando defendi o juiz Nicolau. O fato não é novo e não está diretamente ligado a proliferação de profissionais. A história dá exemplos de advogados que foram degolados por exercer a defesa. Penso que Mallesherbes na Revolução Francesa é exemplo retumbante disso. No mais a OAB no âmbito estadual, ao menos em São Paulo, e no Conselho Federal está atenta e atuante. Abraço,"

Alberto Zacharias Toron - Vice Presidente da Comissão Nacional de Prerrogativas - 15/7/2005

"Prezados, a grafia correta é Malesherbes, e não Mallesherbes como escreveu o Sr. Alberto Zacharias Toron. Abraços,"

Antonio Carvalho Cabral - 15/7/2005

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram