sábado, 24 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Gramatigalhas

de 3/5/2015 a 9/5/2015

"Devo enviar-lhe uma carta (Gramatigalhas - 17/6/09 - clique aqui). Para lhe enviar uma carta preciso de conhecer o seu endereço. Eis a diferença exacta e correcta da língua portuguesa."

Pedro Valente dos Santos - 3/5/2015

"Estimado professor, muitas vezes, ao escrever, deparo-me com um problema similar a esse que aqui e agora te apresento: o certo é dizer que 'podem os negócios jurídicos ser principais (de existência própria, desvinculada DE e insubordinada A outro negócio)' ou, em caminho diverso, 'podem os negócios jurídicos ser principais (de existência própria, desvinculada e insubordinada A outro negócio)'? Agradeço previamente pela sua atenção e pelo maravilhoso serviço que presta o Sr. à sociedade e aos cultores e curiosos da Língua Portuguesa."

Wesley Vinicius - 3/5/2015

"Prezado professor, recentemente, adquiri um livro que apresenta 250 questões do tipo certo/errado elaboradas e aplicadas pelo Cespe/UnB. Além das questões, o livro apresenta comentários acerca do gabarito. Não discutindo a qualidade da banca, reconhecida e respeitada em âmbito nacional, bem como respeitando o livro que, certamente, nos motiva a refletir sobre os fatos da língua, chamo atenção para uma das questões cujo gabarito, assim como a explicação do autor do referido livro, expõe um equívoco quanto à aplicação da vírgula. Para ilustrar meu entendimento, reproduzo parte do texto pertinente à análise, a questão propriamente dita, o gabarito e o comentário do autor do livro: Levantamento do Mapa da Violência mostrou que o cenário pacífico ficou no passado. Divulgado no dia 30 de março pelo Instituto Sangari, o documento prova que a criminalidade mudou de endereço. Migrou das capitais e regiões metropolitanas para o interior. Questão: (C) A correção gramatical do texto seria mantida caso o trecho 'Divulgado no dia 30 de março pelo Instituto Sagari' fosse deslocado para depois da expressão 'o documento' da seguinte forma: O documento divulgado no dia 30 de março pelo Instituto Sangari. Justificativa para o gabarito 'C' – Certo. No texto original, a oração 'Divulgado no dia 30 de março pelo Instituto Sangari' vem separada por vírgula pelo fato de ser reduzida anteposta e ter valor explicativo (Divulgado = que foi divulgado); o deslocamento colocaria a oração em sua posição normal e isso dispensaria o uso da vírgula. Então, o deslocamento proposto: 'O documento divulgado no dia 30 de março pelo Instituto Sangari' manteria a correção gramatical do texto. Caro professor, observando que o trecho 'Divulgado no dia 30 de março pelo Instituto Sangari' se trata de uma oração explicativa reduzida de particípio, deveria esta, mesmo após o deslocamento, ser registrada entre vírgulas, de modo que imprimíssemos a seguinte redação: 'O documento, divulgado no dia 30 de março pelo Instituto Sangari, prova que a criminalidade mudou de endereço.' Desenvolvida, tal frase ganharia o seguinte contorno sintático: 'O documento, que foi divulgado no dia 30 de março pelo Instituto Sangari, prova que a criminalidade mudou de endereço.' Ao explicar as orações adjetivas reduzidas, o gramático Rocha Lima nos oferece o seguinte exemplo: 'Quando me acontecer alguma pecúnia, passante de um milhão de um milhão de cruzeiros, compro uma ilha'. (Carlos Drummond de Andrade). No livro Novas Lições de Análise Sintática, de Adriano da Gama Kury, encontramos o seguinte exemplo: 'Acudiram cartas do nosso arcebispo a miúde, escritas com muito calor, e pedindo a Sua Santidade declarasse a preeminência.' (p.81). Ressalto que o artigo 'o' a anteceder o termo 'documento' comprova se tratar de item do qual o leitor tem conhecimento, ou seja, o artigo definido atua como elemento anafórico. Desse modo, longe está de se considerar o trecho divulgado no dia 30 de março pelo Instituto Sangari como restritivo. Dada a questão aqui exposta, solicito a análise e colaboração do respeitável professor. Desde já, agradeço a ajuda."

Marco Aurélio Mello - 4/5/2015

"Prezado senhor, em que pese a riqueza de detalhes e a louvável coleta de exemplos, ousaria discordar de suas conclusões, em particular, os itens 17 e 19 (Gramatigalhas - 8/8/07 - clique aqui). A separação artificiosa entre a preposição 'de' e o artigo ou a palavra que se segue imediatamente (desde que iniciada por vogal), ficou na tradição da língua por má compreensão de gramáticos portugueses, se não me engano, do século XIX, que imaginaram que o fato da preposição se apresentar exatamente à frente do sujeito do infinitivo significava que o sujeito estaria sendo regido por ela. Uma vez que a explicação não procede, a tradição equivocada deixa de fazer sentido. Percebe-se que o espaço é curto para uma discussão dessa natureza. Muito obrigado por suas observações, com as quais por vezes discorde, mas ajudam a iluminar o tema."

Marcos Gomes - 5/5/2015

"Por favor, qual o significado da expressão 'por outro viés'? Seria o mesmo que 'por outro lado', 'por outro olhar'? Ex. Estaria corretamente empregada no exemplo a seguir: 'No aspecto formal, não assiste razão ao impugnante. Por outro viés, no mérito, procede suas alegações..."

Rafael Soares Pacheco - 7/5/2015

"Professor, qual a diferença entre dilatar e delatar?"

Alane F. Gonçalves - 9/5/2015

"Saudações, mestre. Acerca do uso da partícula 'se' como pronome apassivador, em que modo deve estar conjugado o verbo? Pode-se registrar tanto 'cumpra-se' como 'cumpre-se' ou 'esclareça-se que' e 'esclarece-se que'? Grato."

Rafael Lima Stepanski - 9/5/2015

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram