quinta-feira, 22 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Exame de Ordem

de 9/8/2015 a 15/8/2015

"Sem entrar no mérito da questão, acredito que o exame não será extinto (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui). Os valores pagos às Associações movimenta uma máquina em que há inúmeros 'beneficiários'. Quanto se arrecada em cada exame realizado. Há muito mais em jogo, baby!"

Alessandra Darino R. Octavio - 11/8/2015

"Extinguir (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui)? E aí qualquer pessoa que não levou os estudos a sério, e por vezes cabularam aula pra encher a cara no buteco do lado da faculdade, e pensar que será esse tipo de gente que estará a frente de processos, sem experiência alguma colocarão um placa gigante 'sou advogado'. Para né! Deveria exigir exame das outras classes e não tirar o filho que hoje existe."

Renato Ribeiro - 11/8/2015

"Deveria ter um curso preparatório para credenciar certos animais que colocamos no Congresso (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui)."

Marcelo Brito Milanez - 11/8/2015

"Com a devida venia, discordo em gênero, número e grau de quem procura depreciar o exame de Ordem (Migalhas 2.928 - 1/8/12 - "Causa própria" - clique aqui). Este exame é necessário em todas as profissões organizadas com suas entidades de classe e quem ganha com isto é toda a sociedade brasileira. Argumentar que as demais profissões são livres, sem exames, aferir qualificação, é desconhecer nas profissões médicas, engenharia civil e outras os trágicos serviços profissionais prestados: são mulheres mutiladas e mortas por falsos médicos em cirurgias plásticas, muitas pontes, prédios e viadutos que desabam, milhares de pessoas ficam sem dentes devido a equívocos (imperícia e negligência) de dentistas (odontólogos) e por aí vai, pelo Brasil afora. Se houvesse exames de proficiências em todas as profissões não haveriam estes descalabros e trágicas ou funestos acontecimentos em nosso país. Trata-se de uma atitude eleitoreira do nobre deputado presidente da Câmara Federal, eis que no Brasil existem milhões de bacharéis em Direitos, cujos diplomas foram auferidos por meio de 'colas' em provas individuais e obtenção de boas notas 'nas costas de colegas' quando as tarefas são feitas em grupos (em salas de aulas). Após pegar o diploma nem sabem fazer uma procuração, uma petição inicial ou contestação, o que dirá outras ações, recursos ou vias jurídicas mais complexas. Triste país e nação brasileira! Se milhares conseguem ser aprovados nos exames de Ordem por que outros não conseguem? Já respondido em linhas anteriores, e se acabar com os exames de Ordem o nível da advocacia brasileira vai despencar e emperrar o Poder Judiciário; serão milhões e milhões de petições ineptas, e, como corolário, milhões de despachos para emendar as petições iniciais ou extinguir o processo sem resolução de mérito. Quem perde com isto? A maioria da sociedade jurisdicionada .Que tremendo descalabro!"

Joaquim Caetano de Almeida - 11/8/2015

"Vergonha de nível nacional em pleno 11 de Agosto (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui)! Pior presente não poderia haver aos advogados sérios desse país!"

Marjory Fornazari Pace - 12/8/2015

"Com todo respeito a esses dignos representantes do povo brasileiro, mas a insistência em eliminar o exame de Ordem, para mim, é desserviço aos advogados e ao país (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui). Mesmo com o filtro feito pelo exame, lamentavelmente, vimos o grande número de advogados sem condições mínimas de exercer a profissão. É, infelizmente eles não apresentam propostas para cobrar mais investimentos e estrutura nas centenas de milhares de faculdades espalhadas pelo Brasil, muitas delas, sem nenhuma condição de funcionamento. Esse é o cenário aterrorizador do atual Congresso Nacional!"

Joseval Rodrigues Moreira - 12/8/2015

"Eu acho esta decisão justa, porque quem faz o profissional é ele, não um exame, pois um estudante passa cinco anos em um curso e ainda ser submetido ao exame, que muitas vezes é como o deputado disse um exame para arrecadar (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui)."

José Ivalter Barbosa Dias - 12/8/2015

"A extinção do exame da OAB só interessa para aqueles que não conseguem ser aprovados, por terem feito um péssimo curso e, portanto, querem nivelar a atividade profissional por baixo (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui). Quem fez um bom curso não reclama."

José Rocha Lima - 12/8/2015

"Lendo a manchete desta matéria e seu respectivo texto e o comportamento da imprensa em geral fico a me indagar a quem serve a imprensa neste país (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Cunha x OAB" - clique aqui)?"

Antonio Carlos Carraro - 12/8/2015

"O exame da OAB é essencial para a qualificação do profissional da advocacia, bem como as posições do Eduardo Cunha totalmente circunstanciais (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Cunha x OAB" - clique aqui). No entanto a proposta do controle externo da OAB pelo TCU é em muito salutar. A falta de transparência com o dinheiro da caríssima anuidade paga pelos advogados é absurda."

João Aurélio Paula Pessoa - 12/8/2015

"Concordo, não deve apenas a OAB possuir exame (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui). É desproporcional, porém, o certo seria instituir exames para todas as profissões a ser realizado pelos respectivos órgãos de classe."

Jader de Souza Santos junior - 12/8/2015

"Meu Deus do céu (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui)! Aguentar essa alcateia que vive na Câmara, ainda mais seu líder, o tal de Cunha, é pra quem tem estômago de camelo! Quer dizer que para ser médico não poderá mais haver a 'residência médica'? Por favor, as OAB's e amigos, façamos um coro nacional contra esses espúrios e ignorantes que se dizem representantes do povo. Que a OAB não é um grupo de santos todos sabem, mas isso não é motivo nem pano de fundo para aprovarem o fim da profissão, pois isso não será nem mais nem menos do que o fim da classe!"

Bruno Roveri - 12/8/2015

"Sou advogado e acho certo acabar com exame de Ordem (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui). Acho mais, tem que acabar com todos os cartéis, a OAB, o CFC, CFM, e todos os 'conselhos reguladores'."

Daniel Flávio de Lima - 12/8/2015

"Sommeliers precisam de habilitação específica e advogados não (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Cunha x OAB" - clique aqui). Cunha é realmente de uma incoerência que desafia a inteligência de qualquer um. E pensar que ele preside o nosso Parlamento. É de chorar!"

Fábio M. B. Trombetti - 12/8/2015

"Sou advogado, prestei o concurso de Ordem e estou plenamente de acordo com ele, portanto, não concordo com o sr. presidente da Câmara (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui). Que Pena!"

Claudio B. Souza - 12/8/2015

"De fato, alguns congressistas querem sepultar de vez essa tão nobre profissão que é a advocacia (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui). Suprimir o exame de Ordem, é colocar no mercado profissionais do Direito 'estilo paraguaio', parece que sabem, mas nada sabem. O exame é uma forma legítima de peneirar esse enxame de profissionais que são jogados no mercado a cada ano. Não há nada de antidemocrático e muito discriminatório pretender avaliar os melhores para exercer tão expressiva atividade de advogar. A advocacia é sacerdócio, é sublime, é algo que se aloja na estrutura da sociedade, isso porque, sem advogado a democracia enfraquece. Pretender suprimir o exame de Ordem, é querer, fatalmente, enfraquecer o regime democrático. Enquanto membros dessa respeitável Ordem dos Advogados do Brasil, devemos conclamar a sociedade para refletir acerca da importância e do papel que o advogado exerce na comunidade social, sendo a única categoria de profissionais referidas na Carta Política como essencial a administração da Justiça. Advogado fraco (sem conhecimento), é Justiça medonha. É democracia perneta. Avante colegas. Não vamos comungar com tamanha aberração. Senhores deputados reflitam o seguinte: a extinção do exame de Ordem é o mesmo que atirar no escuro. É jogar poeira para todos os lados. Desejamos, enfim, que a sociedade absorva profissionais de qualidade e comprometimento com a arte de advogar na defesa da Justiça e das pessoas carentes. Reflitam!"

Cláudio Pinheiro - 12/8/2015

"Sendo e exercendo de fato a advocacia há mais de 30 anos, e tendo me debruçado sobre essa questão e auxiliado alguns bacharéis em fases recursais com logro de êxito em aprovações, sou da opinião de que o exame na forma como é exigido, tem que ser extinto, em razão da sua inconstitucionalidade, e ponto. Isso não significa negar como válidos, os argumentos que defendem a sua permanência, esses que sem dúvida possuem mais a feição de defesa da qualidade do ensino, de maior fiscalização por parte do MEC, quanto ao cumprimento das funções e formação dos acadêmicos pela nossa escola jurídica, as quais denominamos de Faculdade de Direito. Penso que tudo isso deve ser submetido a uma grande intervenção, a uma grande reforma, desde a estrutura programática dos cursos de Ciências Jurídicas e Sociais, em cujo corpo docente não se encontra advogados em labuta, mas sim mestres e doutores, sem o suor e a vivência da prática jurídica forense. E ainda, falando nessa reforma estrutural, tem que haver o deslocamento dos semestres de Prática Forense, para o segundo ano do curso, ou 3º semestre em diante, e duplicar a carga horária atualmente exigida, e por último, assim de pronto, tem que haver ensino independente da disciplina de Direito Probatório, a espinha dorsal da existência do Direito, as provas e sua hierarquia, sua produção e importância para o esclarecimento e solução dos litígios humanos, não pode ser tratada como um simples apêndice da disciplina de Direito Processual, afinal, 'a gente sabe que o Direito é prova, mas é necessário aprender como é que se prova o Direito', simples assim. Ao cabo, me obrigo a declarar que o registro dessas impressões e convicções, são heranças do convívio acadêmico, como professor das disciplinas de Direito Processual Civil e Direito do Trabalho, de cuja missão - mais do que profissão o professor é um missionário - fui afastado pela acolhida de um 'abaixo-assinado', de alunos. Enquanto persistir o estelionato acadêmico, dos professores fazendo de conta que ensinam e os alunos disfarçando que aprendem, os cursos jurídicos no Brasil, continuarão mais deformando do que formando. E o que é pior, ficaremos cada vez mais longe da inauguração da primeira Faculdade ou curso de Jurisprudência, ficando os operadores cada vez mais distantes de compreender a magia e o significado da construção da ponte entre a hermenêutica e a terapêutica jurídica, para que as decisões judiciais, possam trazer em seus ditames, o aponte de soluções pacificadoras e de verdadeiro amortecimento do choque, na guerra social, entre os exércitos dos que tem tudo, e não querem perder, contra os que não tem nada, e necessitam possuir, ter, para poder existir. Ao cabo, um escólio da sabedoria oriental, 'saber e não fazer, ainda não é saber!'."

Cleanto Farina Weidlich - 12/8/2015

"Mas já não existe um pronunciamento de um tal de STF dizendo que o exame de Ordem estava de acordo com o Livrinho (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui)? Onde foi mesmo que eu vi algo parecido?"

Thiago Custodio Pereira - 12/8/2015

"Cunha deve estar certo e países como Estados Unidos e Alemanha - onde há exame mesmo com muito menos cursos de Direito - errados (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Cunha x OAB" - clique aqui). Acabar com o exame é acabar com a advocacia, jogando pessoas despreparadas (dentre elas milhares de semi-analfabetos) dentro dos tribunais, para ingressarem com lides incabíveis e atulharem ainda mais o Judiciário."

Matheus Lacerda - 12/8/2015

"Cunha e suas cunhisses (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui). Na busca por votos ele atira para todo lado. O exame de Ordem garante advogados preparados apra exercer a advocacia. Quiçá tivéssemos exames de Ordem para Medicina, Odontologia, Economia e até mesmo para Política e Administração Pública. Acho que Cunha seria reprovado."

Ozeias Teixeira de Souza - 12/8/2015

"Simplesmente, simples: isso é Justiça e Liberdade (lei 4.125/63): exame de Ordem ou estágio para obtenção da inscrição como advogado na OAB (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Cunha x OAB" - clique aqui). Isso é injustiça, ditadura e outra coisa (lei 8.906/94): Apenas o exame de Ordem."

Leandro Roque de Oliveira Neto - 12/8/2015

"Para manter a coerência, o Eduardo Cunha (não o chamo de sr. porque não é digno do meu respeito) certamente contratará um bacharel para defender seus interesses na Lava Jato, afinal qualquer advogado com OAB seria barrado na entrada de seu escritório ou casa, certo?"

Simone R. Santos - 12/8/2015

"O fim do exame de Ordem será um divisor de águas na democracia brasileira (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Cunha x OAB" - clique aqui). O derradeiro reduto da Era de Chumbo vai por água abaixo. O Brasil vai mudar, e muito. A corrupção do Poder Judiciário sofrerá um golpe mortal. Juízes vão contar até mil antes de proferir sentenças teratológicas. Bons advogados aparecerão no mercado. O respeito à Constituição será restabelecido e, por conseguinte, a dignidade da pessoa humana (cláusula pétrea na Carta Magna). A OAB perde seu objetivo mercantilista e se volta aos seus objetivos precípuo. A Academia jurídica dará um alto salto de qualidade. As leis aprovadas pelo Poder Legislativo deixarão de ser letra morta ante a Ordem. O mundo verá o Brasil com outros olhos. Os investimentos internacionais voltarão. Quem mais ganha: a Democracia, a Justiça e o povo. Enfim, o país respirará aliviadamente dando o último adeus ao terrível resquício da ditadura. A pátria-mãe, que geme no leito da morte, levantar-se-á e dirá: meus fllhos, agora que a ditadura foi embora, em nome de Deus, abençoo a todos!"

Pedro Cassimiro de Souza - 12/8/2015

"Parabéns! Afinal estamos em um país democrático de Direito, quem está contra é no mínimo interessado duvidoso (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui). Minha opinião! A OAB, já passou da hora de refletir nesse seu 'exame', pois existem muitos bacharéis em Direito proibidos de trabalharem por não ter passado nesse 'tal' exame. Vai algumas perguntas: Só a OAB faz esse 'tal' exame? Só a OAB, não deixa esses bacharéis em Direito trabalharem, isto é, exercerem o seu ofício, que já passaram no mínimo cinco anos na Faculdade, estudando, perdendo noites e noites estudando, para concluir o curso de Direito. Pasmem, passam mais três anos, quatro anos ou oito anos fazendo esse 'maldito' exame e não conseguem passar. Eu 'não' diria 'cartel', preferia falar outra coisa pior. Vou mais longe, esse 'exame' é um caso de 'Polícia Federal' ou mesmo do 'Ministério Público Federal' acompanhar. Observar o tempo que alguns fazem essa prova e, em duas terminam um verdadeiro absurdo, mais que um absurdo 'passam'. Só podem ser 'superdotados'. Bastam fazer um levantamento da hora que entregaram, bem como fazer uma apuração se não existe um laço de parentesco dentro da 'OAB' (quem sabe um tráfico de influência) ou mesmo quem sabem uma propina, pois nesse país pelo que estamos vendo tudo é possível. Considerações 1: estava recebendo o jornal da Ordem, vejam essa, depois que fiz alguns comentários, deixei de receber. 'Represália', quem não mandou ficar de boca fechada. Você bacharel em Direito, não tem o 'direito de dar opinião', durma com barulho desse. Considerações 2: deixa esse infeliz aprender a trabalhar e o próprio mercado que vai absolver ou eliminar, pois pode muito bem ser um bom profissional, ou alguém tem alguma bola de cristal?"

Carlos Alberto P. Paz - 12/8/2015

"Sou totalmente favorável ao fim do exame da OAB, já era tempo dessa aberração acabar (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui). Agora quero ver para onde vai tanto dinheiro."

Helena Marques - 12/8/2015

"Sou advogado há 35 anos, OAB/SP 62.100, passei no 1º exame da Ordem que fiz, e concordo com o presidente da Câmara quanto a extinguir essa exigência, salvo se adotada para todas as carreiras."

Ronaldo Tovani - 12/8/2015

"Absurdo é a OAB aprovar nos seus exames alunos que nem ortografia do português correto sabem, como assim (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui) ? Se não tem que fazer uma petição a próprio punho?"

Sara Varela - 12/8/2015

"O exame da OAB não tem transparência (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Cunha x OAB" - clique aqui). Ninguém sabe o número total de candidatos, ninguém sabe o total arrecadado e principalmente ninguém sabe qual o índice de reprovação. Esse exame é uma verdadeira máquina de fazer dinheiro."

Antonio Carlos de Souza - 12/8/2015

"Sou estudante de Direito e temo pelo fim do exame da OAB, porém, a forma como são formuladas as questões, não com intuito de escolher pessoas qualificadas, mas de forma perniciosa e mercenária, devido o valor da inscrição. Não digo que seja extinta a prova, mas que seja mais branda e tenha uma taxa de inscrição bem mais barata."

Sebastião A de oliveira Nogueira - 12/8/2015

"Considerando o monte de fábricas de vítimas que são essas centenas de faculdades de Direito que nada ensinam, o exame da OAB não é só necessário como indispensável, porque os humildes são defendidos, na sua imensa maioria, por advogados recém-formados (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui). Ao que parece, o deputado Eduardo Cunha quer parecer que é diferente, e trazer para si todos os conflitos do país. Factoides e mais factoides. Afirmar que a OAB é um cartel é muito divertido, porque 'cartelzaço' mesmo foi montado por aqueles que receberam propinas e mais propinas no petrolão. Quem sabe, com certeza, S. Exa. adotada esse comportamento, porque já sabedor de que ficará brevemente sem mandato. Alguém já disse, e com razão, que político sem mandato é como mulher da vida sem cama. No caso, talvez com cama de alvenaria, porém sem sofá, TV, geladeira, etc."

Alexandre Thiollier - escritório Thiollier e Advogados - 12/8/2015

"Mas um de nós, que fez o exame da Ordem, o está defendendo na pré-Lava Jato não é mesmo, ou ele andou peticionando sozinho junto ao STF no caso de sua citação por delator na referida operação (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Cunha x OAB" - clique aqui)?"

Fernando Paulo da Silva Filho - 12/8/2015

"Sinto muito informar a OAB/PR que o exame de Ordem não é um filtro tão eficiente para aferir o exercício qualificado da advocacia, pois, muitos que estão portanto a carteira da Ordem não sabem nem utilizar as ferramentas jurídicas (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui). Passando com colas nas coxas, principalmente candidatos do gênero feminino, sem falar em candidatos apadrinhados. Acredito que o mercado é um excelente filtro, melhor do que qualquer exame. Sou a favor da Ordem no sentido de fiscalização dos abusos e erros grosseiros no exercício da profissão. E na defesa dos seus credenciados."

Erasmo Vieira - 13/8/2015

"Aproveitadores esses dois políticos (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui). Se aproveitaram do Dia do Advogado para aparecer e com isso, querer agradar e angariar votos para si, por vários motivos. Vergonha!"

Valdomiro Albini Burigo - 13/8/2015

"Em vez de se tentar acabar com o exame de Ordem, deveríamos cobrar exames para as outras áreas, tais como Engenharia, Odontologia, Medicina, etc. (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui). E mais que isso deveríamos cobrar que no mínimo todo funcionário do governo fosse concursado para cada área com uma prova compatível com o cargo, que todo parlamentar tenha no mínimo um curso superior completo!"

Davidson Gondim Dantas - 13/8/2015

"Se a OAB é contra então o exame também deve acontecer para aqueles que já advogam servir como reciclagem de conhecimentos (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui)! E fechar as más instituições de ensino."

Elisio Antônio Ferreira - 13/8/2015

"Cunha é um analfabeto jurídico praticando a dança dos famosos 'Programa do Fausto Silva' (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Cunha x OAB" - clique aqui). Quer dançar, mas primeiro precisa aprender. Ele não é advogado, por isto pensa como aprendiz de bailarino. Assim como existe por parte dele a repulsa à OAB, a recíproca não é verdadeira, pois para ser advogado é preciso cursar a faculdade de Direito e prestar o exame de Ordem, agora, para ser político e politiqueiro, ah! Para isto não precisa passar por nenhuma faculdade e nem fazer exame de 'Ordem'. A melhor forma de destruir o que presta, é criar uma lei para que deixe de prestar. (Prestar no sentido de ter valor). Cunha é um aprendiz de bailarino."

Galdino Otanel da Silva Leite - 13/8/2015

"Sou completamente a favor de Eduardo Cunha (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Cunha x OAB" - clique aqui). Quantos adolescentes já se formaram e não conseguem exercer a profissão! Esse é mais um cabide de Q.I. (quem indica)."

Elisabeth Interlandi - 13/8/2015

"É uma verdadeira piada modo nobre parlamentar falar sobre credibilidade de instituições dessa forma, não (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Cunha x OAB" - clique aqui)? E ele vai querer retirar da OAB a legitimidade para propor ADI (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Cunha x OAB" - clique aqui)? Que tempos esses nossos, não?"

José Domingos Moreira Neto - 13/8/2015

"Será que cobrar 50% +10 de sucumbência é legal (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Cunha x OAB" - clique aqui)? A OAB concorda com honorários abusivos? Eu sou uma vítima desse abuso."

Sebastião Marcelino de Araújo - 13/8/2015

"Só uma pergunta a respeito da atitude do presidente da câmara (assim mesmo em letras minúsculas) em fechar as portas aos advogados: Em caso de ser processado, por crime ou crimes, na Lava Jato, sua excelência se socorrerá de quem para defende-lo (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Cunha x OAB" - clique aqui)? Será que pedirá socorro aos 'irmãos' de igreja? Um prêmio a quem responder."
 

Ademir R. de Andrade - 13/8/2015

"Concordo com a extinção da OAB (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui). Também da CNH, CLT, CPF e STJ. No lugar proponho instituir o Cunhismo S.A."

Umberto Gamba - 13/8/2015

"Sem dúvida, com toda razão dr. Ives Gandra, que, aliás, dispensa qualquer elogio (Migalhas 3.679 - 14/8/15 - "Exame de Ordem - I" - clique aqui). Acho, também, que deve haver exame nas demais áreas citadas, e em outras, para, pelo menos, colocar no mercado não só os preparados, mas os profissionais menos ruins. Quanto ao exame da OAB, o estudante de Direito já sabe que terá que enfrenta-lo, por isso não entendo a irresignação."

José Marcos da Cunha - 14/8/2015

"É, a coisa anda tão avacalhada que ninguém acredita no que deveria ser objetividade (fatos que dão origem a direitos) (Migalhas 3.679 - 14/8/15 - "Exame de Ordem - I" - clique aqui). A independência dos três Poderes (harmônicos?) virou cascata para com o cidadão. Vamos que vamos. O cidadão paga qualquer conta! Virou tudo questão de luta de classes! Qual o próximo passo da luta fratricida?"

José Domério - 14/8/2015

"O mais interessante de tudo, é que o dr. Ives Gandra Martins e outros ilustres de sua época, também não fizeram o exame de Ordem, e são o que são, pois apenas o tempo diz e vai dizer 'quem é quem' no mercado, e não, o exame de Ordem (Migalhas 3.679 - 14/8/15 - "Exame de Ordem - I" - clique aqui). Para quem não sabe, antigamente, além, do exame, era possível fazer o estágio na própria faculdade, ou seja, o aluno também pagava o estágio durante os dois últimos anos do curso, diminuindo assim, a arrecadação da OAB com o exame, pois a maioria optava pelo estágio, ou seja, muito dinheiro para as faculdades, e pouco para a OAB, e por isso, em 1994, resolveram acabar com o estágio, ou seja, arrecadação total para OAB, e agora, sem concorrência. Resumindo: eis o verdadeiro motivo da importância do exame de Ordem, ou alguém ainda acredita que existam outros?"

Leandro Roque de Oliveira Neto - 14/8/2015

"Ele é favor do exame da OAB porque com certeza ele não fez pela idade (Migalhas 3.679 - 14/8/15 - "Exame de Ordem - I" - clique aqui). Se fosse fazer garanto que nao passava."

Nair Dge Souza Kosaki - 14/8/2015

"Opinião dos senhores advogados, e por quer não saber, dos 'bacharéis em Direito', visto que são a 'maioria', os 'excluídos', os 'descriminados', de uma nação podre pela corrupção."

Carlos Alberto P. Paz - 14/8/2015

"E então? Achar que o exame de Ordem deve ser extinto porque as outras profissões não exigem é retrocesso (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Presente de Cunha" - clique aqui). É estar nivelando por baixo. O certo é defender para que todas as profissões o tenham. Eu defendo o exame de Ordem, haja vista os ensinos paupérrimos nas faculdades e a demanda na escolha da profissão, servindo o exame de filtro. Ademais, ninguém se forma em 'advocacia' pra já sair advogando e sim, em Direito, onde do Direito saem delegados, promotores, magistrados e advogados. E para todos existe uma prova de ingresso, sem, é claro, entrar no mérito dos concursos públicos, pois o exercício da advocacia privada é tão importante quanto os cargos provenientes de concursos públicos."

Rafaela dos Reis Baldissera - 15/8/2015

"O Cunha poderia dispensar o seu advogado e fazer sua própria defesa no roubo da Petrobras (Migalhas 3.677 - 12/8/15 - "Cunha x OAB" - clique aqui)."

Flavio Almeida - 15/8/2015

"A extinção do exame de Ordem, trará, de tal forma, uma nova modalidade de advogados menos preparados para o exercício profissional (Migalhas 3.679 - 14/8/15 - "Exame de Ordem - I" - clique aqui). Já vimos que o exame não garante profissionais qualificados, mesmo assim, garantir conhecimentos básicos aos profissionais é importante. O que os nobres deputados têm tentado irresponsavelmente, capitaneados pelo eminente deputado Eduardo Cunha, é fazer prevalecer interesses pessoais, à revelia da população, juntamente com o Judiciário que sofrerão os maiores impactos com a extinção do exame. Em suma, trata-se de uma irresponsabilidade legislativa sem precedentes!"

Alexandre Souza Viegas - 15/8/2015

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram