sábado, 24 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Renúncia - Dilma

de 9/8/2015 a 15/8/2015

"Pedir a renúncia da presidenta, em pleno XI de Agosto, é desonrar a tradição democrática da nossa Instituição. É desrespeitar a garra do presidente João Miguel, que mesmo fustigado pelo Golpe de 64 e preso no DOPS, não renunciou. Não concorda com a presidenta: eleições em 2018. Acha que ela cometeu crime de responsabilidade: art. 85 da CF. Agora, pedir a renúncia é posar de leão e dar um miado tísico. É fazer bravata com discurso fácil. Uma pena ter vindo do sr. ministro Flávio Bierrenbach. Renúncia não é ato de grandeza. Exigi-la de alguém democraticamente eleito, é ridículo."

Ademir Picanço de Figueiredo, ex-presidente do Centro Acadêmico XI de Agosto (2003) - 13/8/2015

"É isso aí Ademir. A presidenta tem que aguentar e ficar até cair de podre e arrastar sua turma. O Brasil do futuro agradecerá."

Ezequiel Bertolazo - 13/8/2015

"Meu caro Picanço, ponha-se no seu papel. Ex-presidente não fala como presidente. Seja feliz. Seja ministro do STF, defensor da lei! Você é capaz disso?"

Jose Domério - 13/8/2015

"A isenção do dr. Ademir Picanço de Figueiredo para criticar o dr. Flávio Bierrenbach, por pedir a necessária renúncia presidencial, era apenas uma suspeita ao vê-lo usar o termo 'presidenta' para se referir à presidente Dilma Rousseff. Essa suspeita virou certeza com uma singela 'googlada'. Está ótimo então! Vamos mais três anos e meio nesta toada, bom proveito. Espero que tenhamos ainda um país para eleger um presidente na próxima eleição em 2018. Ou estou exagerando? Cuidado com o que se deseja, dr. Ademir. Mais algum tempo na vitrine e a sua querida esquerda não elege nem o síndico do condomínio Copan. Quem viver verá!"

Luiz Augusto Módolo de Paula - 13/8/2015

"Que triste caminho trilha Migalhas. Defender a saída  da presidente por renúncia não tem qualquer ilegalidade. Não soube e não sabe governar. Permitiu pela omissão um grande roubo. Assim, deveria sair. E rápido!"

Renato Lainer Schwartz - 13/8/2015

"Li nessa matéria no tópico sobre o impeachment da sra. Dilma vocês explanando sobre golpe de 64. Não me recordo de ter lido nos verdadeiros livros sobre a história do Brasil que ocorreu um golpe, ou seja, tomada de poder a força. Inclusive na biblioteca da Câmara dos Deputados, há livros de história que narram o que verdadeiramente ocorreu em 1964. Houve uma aclamação popular, a imprensa, o empresariado e inclusive com votos do falecido Ulysses Guimarães entre outros pela retirada do presidente na época que queria implementar o comunismo aqui no Brasil. Inclusive tivemos o apoio de um verdadeiro país democrático chamado EUA. Esse mesmo grupo que hoje governa nosso país praticavam assassinatos, sequestros de autoridades, assaltos a bancos, assalto a quartéis. Essa senhora que ocupa o cargo de presidente da República passou sua lua de mel assaltando caminhões de carga na av. Brasil no RJ.  Eu, como um legítimo cidadão jurisdicional, defensor da bandeira do meu país não vejo ilegitimidade nenhuma em aprovar o impeachment dessa senhora que enganou o povo brasileiro e roubou milhões, bilhões do nosso dinheiro. Tenho que esperar até 2018? Tenho que dar o direito de enganarem mais o povo brasileiro e roubar mais as nossas riquezas? Será isso uma verdadeira democracia? Será que essa presidenta ganhou as eleições de forma legítima e democrática? Até 2018 o que mais quebrarão no nosso país? Petrobras falida, BNDS falido, o que mais falta para acabar nesse país? Enfim, meus protestos quanto a pronúncia golpe de 64, mas sim um contra golpe de forma legítima e democrática. Caso contrário estaríamos todos nós vivemos um proletariado. Obs: não sou militar e nem tenho militares na minha família. Apenas um defensor da verdadeira história do nosso país!"

Sandro Costas - 13/8/2015

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram