Artigo - Delação premiada versus Delação avacalhada

18/2/2016
Alexandre de Macedo Marques

"Um malfeitor, padrão colarinho branco, tipo dos capturados na operação Lava Jato, decide colaborar com as autoridades, abrir o bico e contar os detalhes da trama criminosa dentro dos parâmetros e critérios estabelecidos em lei (Migalhas 3.801 - 16/2/16 - "Delação" - clique aqui). E aí vem um gozador e afirma sem o menor pudor que o delinquente ao assim proceder 'renuncia a toda e qualquer atributo atinente à honradez... (e torna-se) um ser despetrechado (sic) de amor próprio e respeito a seus pares'. Francamente, que disparate. Quer dizer que mesmo pertencendo a uma quadrilha, tendo cometido atos graves como suborno, ativa e passiva, corrupção, desvio, formação de quadrilha e quejandos o sujeito era um cidadão honrado, com amor próprio, respeitado pelos seus pares. Dá vontade de perguntar, como um antigo personagem do Jô: 'Que tem... loco'?"

Envie sua Migalha