STF - Prisão - Decisão de 2ª instância

26/2/2016
Luiz Francisco Fernandes

"Com a reverência da Suprema Corte, sugiro que ao invés do 'julgado' que transite mais ágil e célere o andamento processual, máxime nas instâncias superiores onde os feitos costumam cochilar em média de três anos a um lustro (Migalhas 3.808 - 25/2/16 - "Moeda inconversível" - clique aqui)."

Envie sua Migalha