sábado, 24 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Copa do Mundo

de 2/7/2006 a 8/7/2006

"A Copa!? Ficou melhor para o Zinedini. E o Brasil que Zidane."

Arnaldo Xavier Junior - 3/7/2006

"E agora vão dizer o quê? Em 1986 disseram que foi a fraqueza de Zico ao perder um pênalti quando o jogo estava empatado em 1 x 1. Em 1998 alegaram a convulsão de Ronaldo poucas horas antes do jogo, o que teria desestabilizado toda equipe. E em 2006? Até que apareçam as explicações oficiais, a verdade é que adquirimos um complexo de vira-lata frente à França. Mas desde já culpem-se também pela derrota deste sábado passado, a vaidade de alguns, a teimosia da comissão técnica e a vilania de outros: estrelas que não brilham, craques que não entram em bolas divididas, ou que não partem pra bola como faminto em busca de comida. Todos são milionários e estão à espera de novos contratos. Cafu queria o recorde de 20 jogos em Copa. Conseguiu. Ronaldo, o fenômeno de cara redonda, que chegou na Suíça pesando dez quilos a mais que na Copa de 2002, queria bater o recorde de Pelé, como artilheiro do Brasil, e de Gerd Muller, como maior artilheiro das Copas. Conseguiu. O Brasil, como equipe, pretendia atingir a marca de 200 gols. Conseguiu. Aí resolveram entregar o jogo à França em nome de uma estranha solidariedade a Zidane para que ele tivesse uma despedida honrosa do futebol. Estranhos craques esses 'europeus brasileiros'. Cafu com 36 e Roberto Carlos com 33, não tinham mais condições de defender e apoiar o ataque nesse sombrio futebol moderno onde se aboliram os pontas. Sem querer defender os dois (porque não merecem), mas o macaco, o macaquinho, deixou de namorar a girafa porque é muito cansativo ir lá em cima dar um beijinho e voltar. Ir de novo e voltar. Ninguém agüenta fazer isso o ano todo nesse calendário estúpido dos jogadores. O resultado? No gol da França, Cafu fez falta porque cansou e não conseguiu acompanhar o francês. Roberto Carlos, esgotado, ficou com as mãos no joelho na risca da grande área enquanto a bola esticada de Zidane viajava até Henri, livre e solto pra marcar o gol francês. No banco, porém, os reservas estavam com todo gás, mas só entraram no jogo quando a Pátria-Mãe já estava comprometida com tenebrosas transações. Acompanho futebol desde 1965, vi Pelé e Garrincha brilharem em campo. Vi seleções medíocres como a de 1978, de Cláudio Coutinho e a de 1990, de Sebastião Lazaroni, porém nenhuma tinha sido tão ridícula a ponto de só chutar uma cafofa em gol durante 90 minutos. Somos penta campeões do mundo, é verdade, mas também somos fregueses da França!"

Abílio Neto - 3/7/2006

"Circula no território livre da internet que alguns argentinos sem ingresso para o jogo contra o México alugaram cadeiras de rodas para se passar por paraplégicos e comprar entradas mais baratas. No estádio, lá pelas tantas... goooooooollll da Argentina! No que um deles não se segurou e pulou da cadeira. Foi posto para fora, enquanto, a seu lado, um cadeirante de verdade repetia: 'Miráculo! Miráculo!'."

Iracema Palombello - 3/7/2006

"Tudo acabou: acabou o passeio, acabou o recreio, a estrela apagou, nosso time não se achou, acabou a esperança. Zidane entrou na dança com classe e desenvoltura e entregaram a rapadura pra seleção da França."

Mano Meira - 4/7/2006

"Falta caráter ao povo brasileiro, porque torcer para mercenários não é nada convincente! Sou Alemanha. Tenho dito."

Tathiana Lessa - 4/7/2006

"Caro redator, Henry, jogador francês, colocou o dedo na ferida nacional levando os patriotas de chuteiras a desqualificar o crítico, por falta de argumentos para discutir seriamente a questão levantada. Nossos meninos sonham em jogar bola, ficar rico e se casar com modelo, de preferência loira. Nossas meninas querem ser modelos e bem magras, casar com jogador e, de preferência, que milite no futebol europeu. Estudar, para quê? Para ser professor em São Paulo e ganhar R$ 1.200,00, por 40 horas semanais, e ainda ter que agüentar auto-ajuda do Chalita? Ser médico e receber R$ 1.500,00 em hospitais públicos sem equipamentos necessários? Ou então, ser advogado, e acabar nas garras da polícia por defender bandido? Obrigado Henry por despachar Pindorama e nos obrigar a refletir sobre nossos problemas, principalmente, o apontado por você."

Armando R. Silva do Prado - 4/7/2006

"A manchete argentina 'merdeamarela' é justa? Quanto a mim, futebolisticamente, rejeito-a. Agora, diante da intensão manifestada pela maioria dos brasileiros de reeleger a mula sem cabeça e os gafanhotos petistas que assombram, e devastam, o impávido colosso, acho-a justíssima."

Alexandre de Macedo Marques - 4/7/2006

"O que nos deixa inconformados não é o fato de termos perdido, é o fato de que poderíamos ter ganhado, e não só esse jogo, todos os jogos dessa Copa. O Brasil mereceu perder todos, não perdeu pelos adversários manterem 'respeito' pela nossa seleção, mas você ter um Ronaldinho (melhor do mundo), um Ronaldo (não sei quantas vezes eleito também) um Kaká, que sempre está ali disputando o título de melhor também, um Zé Roberto, eleito o melhor em campo não sei quantos jogos, e fazer um vexame desses, e ainda por cima com um monte de jogadores novos com todo o gás querendo mostrar trabalho como Robinho, Cicinho... E o nosso Parreira... 94 já tinha sido um sufoco e agora o que faremos?"

Luis Felipe Steckert Victório - 4/7/2006

"Aquele símbolo, o da bolinha, sobre a letra M - creio - a esta altura, pelo menos para nós, em termos de Copa, não faz mais sentido, infelizmente!"

Jose Heitor Machado - 4/7/2006

"Prezados Redatores de Migalhas. Esperei que Migalhas fizesse algum comentário sobre a grande vitória que o Brasil teve ao perder para a França, qual seja, o fim da era Parreira/Zagallo, oriunda da Ditadura Militar. Agora, se o novo treinador for um novo mercenário, teremos nova derrota em 2010. Atenciosamente,"

José Maria Filardo Bassalo - Belém do Pará - 4/7/2006

"Eu disse pra minha véia

que time desenxabido

cabras que não jogam nada

ainda assim são metido

parece que aquelas peste

estava tudo é vendido!

Mas pra ser justo, eu retiro alguns: Dida, Lúcio, Juan, Zé Roberto e Gilberto Silva. Pra mim, esses são machos!"

Zé Preá - 4/7/2006

"O professor Parreira repetiu, por diversas vezes, que dar show é ganhar. A França nem tomou conhecimento: ganhou e deu show!"

Eduardo Augusto de Campos Pires - 5/7/2006

"O Brazil que Zidane

Tudo acabou:

Acabou o passeio,

Acabou o recreio,

A estrela apagou,

Nosso time não se achou,

Acabou a esperança.

Zidane entrou na dança

Com classe e desenvoltura

E entregaram a rapadura

Pra seleção da França.

Depois a decepção,

A tristeza, o choro,

Surge até desaforo

Contra a seleção,

Falam em rendição,

Que foi um vexame,

O Parreira um infame,

E um gringo empolado

Grita meio enrolado:

O Brazil que Zidane!"

Mano Meira - 5/7/2006

"Deu no Migalhas (1.446 – 4/7/06 – "Migalhas do Macaco Simão"): 'aliás, "Parreira é burro" tem 13 letras' - Quem é mais burro: o Parreira ou quem fez essa soma?"

Adauto Suannes - 5/7/2006

"Eu não ia falar nada. Sei que sou chato. Mas depois de saber que existe um Projeto de Lei (PL 7.283/2006) que proíbe jogadores brasileiros que jogam no exterior de serem escalados para a seleção brasileira, eu não agüentei... Tomaram e tomaram feio! Vai torcer pra Alemanha agora! Levaram logo 2 gols para não ficarem choramingando roubalheira! Vai torcer agora para aquele povo cheio de caráter e socialmente superior que logo depois de perder para a Itália foram para as ruas e depredaram diversos restaurantes italianos (como noticiado pelo Folha Online de 5/7/06)! Enquanto os sem-caráter daqui não esboçaram nem uma torção de nariz para os franceses! Aliás eu queria muito que os jogadores que tanto acusam fossem mercenários. Pelo menos eles teriam um problema muito simples de resolver. Os políticos roubam bilhões do povo brasileiro e não fazem porcaria nenhuma. Vale muito mais dar algum desse dinheiro para os jogadores para eles trazerem a Taça Copa do Mundo! Pior seria se eles fossem um bando de 'intelectuais' que falam alemão e acham que futebol é alienação, mas, hipocritamente, não conseguem ficar quietos e acompanham todos os eventos do futebol inclusive ouvem o que jogadores dizem para fazerem comentários 'socialmente relevantes' e querer passar lições de moral decorrente de um assunto que é 'alienante'! Vocês deveriam entender que jogadores de futebol não são deputados do mensalão! Não precisam sofrer a pressão que sofreram, os comentários que receberam e a ojeriza de um bando de apátridas 'engajados'! O dinheiro que eles ganham se deve única e exclusivamente a habilidade, o suor e o empenho de cada um! Deixem de ser invejosos! Eles não devem explicação pra ninguém sobre o que fazem ou deixam de fazer com o dinheiro deles! Alguns jogadores não deram o melhor de si, é verdade. Mas eles foram parar na seleção porque eles têm uma história de sucessos. Nenhum deles foi indicado por parente que é político, juiz, procurador ou outro jogador de futebol! O Brasil jogou mal e perdeu de 1 x 0 pra França. Grande coisa: Portugal que era 'fenomenal', fez um jogo maravilhoso, tinha um técnico brasileiro também perdeu de 1 x 0. E agora, vão falar o quê de Portugal? Que foi uma pena? Vocês não deveriam nem ter aberto a boca. Agora que abriram, deveriam no mínimo ter humildade para pedir desculpas pelas besteiras que falaram! Sempre torci e vou continuar torcendo pelo Brasil! O fato de um jogador ou outro ter jogado mal vai me deixar irritado com esse jogador (ou técnico), não com a seleção! Querer torcer pra outra seleção só porque o Brasil perdeu... francamente... vocês só reforçam a idéia de que o Parreira estava certo: o importante é ganhar!"

Daniel Silva - 7/7/2006

"Tudo leva a crer que não é de todo impossível que o Brasil possa ter se vendido, assim como, à boca pequena, corre o boato que o mesmo teria ocorrido em 1998, na França."

Conrado de Paulo - 7/7/2006

"Os 10 indicados à 'Bola De Ouro'.

Itália (4):

Gianluigi Buffon

Gianluca Zambrotta

Fabio Cannavaro

Andrea Pirlo

França (3)

Patrick Vieira

Zinedine Zidane

Thierry Henry

Alemanha (2)

Michael Ballack

Miroslav Klose

Portugal (1)

Maniche,"

Conrado de Paulo - 7/7/2006

"De um lado, a 'Marseillaise', um convite à guerra, feito sob o calor da queda da Bastilha. 'Aux armes, citoyens!' Do outro lado, a 'Fratelli d'Italia', não menos guerreira, lembrando as glórias até da sanguinária Roma. 'Siam pronti alla morte. L'Italia chiamò. Si!' Só um será coroado. Fico com a seleção multirracial de Henry e Zidane."

Armando R. Silva do Prado - 7/7/2006

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram