quarta-feira, 21 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Lava Jato

de 19/11/2017 a 25/11/2017

"Malgrado louvável o ato do grupo de advogados, lamento que Inês já é morta; os que agora lembram de defender o Estado Democrático de Direito, pagam pesadíssimo preço pelo silêncio que mantido durante o processo de impeachment; lamentável dizer, muito pouco há a fazer depois que a boiada brasiliense arrombou a cerca da constitucionalidade (Migalhas 4.238 - 21/11/17 - "Sigilo advogado-cliente" - clique aqui)."

Luiz Francisco Fernandes - 21/11/2017

"Vivemos num caos público nos três Poderes (Migalhas 4.240 - 23/11/17 - "TV Migalhas" - clique aqui). Judiciário abarrotado de milhões de processos e comete erros que geram outros milhões, além de frequentemente usurpar as funções do legislador."

Abdala Abi Faraj - 23/11/2017

"A Veja não possui qualquer credibilidade no ramo do jornalismo, somente no ramo da difamação, vide as inúmeras condenações que possui (Migalhas 4.241 - 24/11/17 - "Certas coisas" - clique aqui). Aliás, está na hora do Judiciário acordar e perceber que os valores das condenações não são suficientes para inibir o ilícito."

Rodrigo Bueno Ramos de Oliveira - 24/11/2017

"Atrevo-me a alterar, ou criar outro, adágio popular: O crime não compensa. Diria eu: No Brasil, desde seu descobrimento, o crime dos que usam colarinho branco, ou punhos rendados, compensa; senão para o criminoso pelo menos para seu(s) defensor(es); às vezes, muitas infelizmente, para ambas as partes (Migalhas 4.241 - 24/11/17 - "Certas coisas" - clique aqui)."

Claudio B. Marques - 24/11/2017

"De repente o Lula poderá autorizar a liberação das gravações (Migalhas 4.238 - 21/11/17 - "Sigilo advogado-cliente" - clique aqui). Afinal ele é o cara mais honesto do planeta. Isto seria possível? Ou os advogados teriam algo contra constarem como amigos do homem mais honesto que habita nosso planeta?"

Claudio B. Marques - 24/11/2017

"É dinheiro do Palocci, é nosso (Migalhas 4.241 - 24/11/17 - "Certas coisas" - clique aqui). É bom gastar o dinheirinho do Palocci, pena que não sou eu o beneficiado. Torra, mas torra mesmo, saboreando, tirando sarro. Obrigado Lava Jato por tirar ao menos um pouquinho desse."

Wilson Gealh - 24/11/2017

"A não ser que o advogado esteja perdendo o juízo, é improvável que ele tenha se deixado fotografar nesse momento (Migalhas 4.241 - 24/11/17 - "Certas coisas" - clique aqui). O fotógrafo clandestino cometeu um crime, assim como quem divulga a fotografia infamante. Se não houver retorção é porque esse país virou uma zona descarada e o jeito é nos armarmos para defender o nosso direito mínimo."

Eduardo W. de V. Barros - 24/11/2017

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram