terça-feira, 20 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Operação "Esperança Equilibrista"

de 3/12/2017 a 9/12/2017

"Manifestar sobre o roubo (o desvio) de 38 milhões ninguém fez (Migalhas 4.251 - 8/12/17 - "Esperança Equilibrista" - clique aqui). Interrrantes."

Jader de Souza Santos Junior - 8/12/2017

"E quanto aos subversivos, autênticos terroristas travestidos de 'guerrilheiros' que assaltaram bancos, explodiram bombas em aeroporto, mataram gente inocente, sequestraram, cooptaram estudantes ingênuos para suas organizações comunistas e até matavam os incautos quando percebiam a armadilha na qual tinham caído (Migalhas 4.251 - 8/12/17 - "Esperança Equilibrista" - clique aqui)? Deixavam-nos sair, partir, ou simplesmente fugiam, depois eram vítimas de tocaia, ceifavam-lhes a vida e a culpa depois caía nas forças de repressão. Os militares, se não foram santos, também não foram tão demônios como tentam pintar. Houve sim, alguns destemperados que praticaram abusos, mas, do lado dos terroristas os abusos não foram poucos também. Muitos presos, eram doutrinados para dizer que foram barbaramente torturados. Estão bem vivos e com muita saúde, salvo um ou outro que realmente apanhou mesmo. Graças ao movimento de 1964 que temos hoje uma democracia, capenga, mas vai indo. Tivesse o comunismo vencido, como há ainda gente querendo, estaríamos escrevendo e publicando apenas o que o sistema pode permitir. É preciso conhecer os dois lados da 'guerra' e não apresentar essa gente, inclusive muitos artistas, como vítimas. Muitas dessas vítimas receberam imensas indenizações e recebem excelentes valores de 'aposentadoria'. Outros, verdadeiros corruptos estão aí a responder pelos seus crimes de ladroagem. Heróis? Autênticos ladrões e vendilhões da pátria. É bom que se conheça muito bem a história!"

Luiz Guilherme Winther de Castro - 9/12/2017

"É assim mesmo (Migalhas 4.251 - 8/12/17 - "Esperança Equilibrista" - clique aqui)! No Brasil sempre que se descobre um ato de corrupção aparecem os defensores do cidadão. Da conduta policial, o interessante que ninguém comenta daquilo que está sendo roubado, ou seja 'nosso dinheiro'. Até parece que iam receber uma parte do quinhão. Tenha dó seu João Bosco, ladrão é ladrão seja como reitor, professor, presidente, ex-presidente. Não importa."

Ademir Franco da Cunha - 9/12/2017

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram