sábado, 24 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Artigo - Assédio a advogados, advogadas e trabalhadores

de 31/12/2017 a 6/1/2018

"Discurso pífio de quem utilizava-se da Justiça do trabalho para enriquecimento ilícito (Migalhas 4.267 - 3/1/18 - "Assédio - Advogados e trabalhadores" - clique aqui). Tanto por parte de advogados trabalhistas quanto de juízes que ganham muito mais do que entregam. Este comentário serve para esta postagem e a do dia anterior da ilustre magistrada que diz ser ilegítima uma lei feita pelo parlamento. Legítima é só a lei que concede direitos e benefícios? Por que? Gostaria de saber. Já que o parlamento é um só. Se querem diferente, votem, não fiquem dando chilique."

Vander Fernandes - 3/1/2018

"Concordo plenamente com a dra. Silvia e me permito acrescentar que estas atitudes intimidatórias não são novidade é não ocorrem apenas em relação aos direitos dos trabalhadores, mas também são dirigidas às empresas e advogados de empresas a depender do viés ideológico do magistrado que por vezes direciona a prova para aquilo que ele já pré-julgou antes mesmo da dilação probatória (Migalhas 4.267 - 3/1/18 - "Assédio - Advogados e trabalhadores" - clique aqui). Por isso é como a única forma que há de provar estes desmandos e abuso de autoridade que temos que lutar pela obrigatoriedade da gravação em áudio e vídeo das audiências. Só assim se poderá de fato enfrentar os abusos de todos."

Vivyanne Patricio - 3/1/2018

"Sempre que faço um parecer sobre a 'reforma trabalhista' lembro o interessado que a lei não é a única fonte do Direito, como exposto pela dra. Silvia Burmeister em seu belo texto (Migalhas 4.267 - 3/1/18 - "Assédio - Advogados e trabalhadores" - clique aqui). E digo mais, o objetivo do Direito não é buscar o fiel cumprimento da lei (esta que não é a única fonte do Direito) mas sim a Justiça."

Henrique Passos - 3/1/2018

"Não se pode negar que já se anteve o fim dos abusos que se cometia no âmbito da JT, e normal a chiadeira agora que acaba desaguando nas entidades de classe (Migalhas 4.267 - 3/1/18 - "Assédio - Advogados e trabalhadores" - clique aqui)."

Claudio Urenha Gomes - 3/1/2018

"O texto da advogada reflete a realidade discursiva do estado de exceção (Migalhas 4.267 - 3/1/18 - "Assédio - Advogados e trabalhadores" - clique aqui). Todos devem se insurgir como fez a advogada denunciante contra as legislações de exceção bem como os resíduos discursivos produzidos em discursos irresponsáveis, comprometedores nos espaços públicos, principalmente por quem deveria ater-se a impessoalidade."

Maria da Graça Marques Gurgel - 3/1/2018

"Dra. Silvia (Migalhas 4.267 - 3/1/18 - "Assédio - Advogados e trabalhadores" - clique aqui)! Quando se tem a oportunidade de ler uma matéria igual a esta, o ânimo de continuar advogando se renova. Parabéns pelo excelente artigo."

Waltair Costa de Oliveira - 4/1/2018

"Acerca da famigerada reforma trabalhista, que foi enfiada goela abaixo dos trabalhadores, tento 'mas não consigo entender' porque as Confederações Sindicais e Entidades de classe, bem como o Conselho Federal da OAB, ainda não propuseram ADIN contra diversos artigos da lei que a instituiu (Migalhas 4.267 - 3/1/18 - "Assédio - Advogados e trabalhadores" - clique aqui). Que é estranho é."

Lúcia Alecrim - 4/1/2018

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram