quarta-feira, 21 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Gilmar Mendes - Hostilizado em voo

de 28/1/2018 a 3/2/2018

"Lamentável que o ministro Gilmar Mendes passe por esse espetáculo comandado por ignorantes do Direito brasileiro (Migalhas nº 4.285 - 29/1/18 - "Ainda uma vez" - clique aqui). Tem muita decisão arbitrária tomada por juízes ,que não passariam numa prova da OAB, mas que jogam para uma platéia desinformada. Segurança jurídica está desaparecendo em nosso país e isso é a ante sala de uma ditadura, que se instalará claramente em nossa nação."

Lindalva Amorim - 29/1/2018

"E a boçalidade nacional, ampla, geral e irrestrita (Migalhas nº 4.285 - 29/1/18 - "Ainda uma vez" - clique aqui). Turbinada pelo politicamente correto e o petismo esquerdóide babando no colarinho. As bobagens do ministro Barroso, as forçadas de barra agredindo a Constituição dos doutos Marco Aurélio, Fux, Fachin, Lewandowski, Rosa Weber, as escorregadas baba de quiabo do decano e as barbaridades 'me segura' da presidente do STF passam incólumes. Tempos em que os idiotas tem direito à opinião e à sacralidade na grande cloaca das redes ditas 'sociais'. Caramba! Que tempos!"

Alexandre de Macedo Marques - 29/1/2018

"Não importa o quanto este informativo se insurja contra a vontade soberana do povo brasileiro (Migalhas nº 4.285 - 29/1/18 - "Ainda uma vez" - clique aqui). A força da Justiça verdadeira não pode ser contida. Gilmar Mendes é mais um câncer a ser combatido. Ou fazemos isso ou logo teremos nosso próprio Bashar Al Assad nos bombardeando com armas químicas. Porque é só isso que nos falta. Todas as demais violações de direitos do povo brasileiro já foram cometidas."

Cibele Giuzio - 29/1/2018

"A manifestação popular é um exercício de cidadania e é democrático (Migalhas nº 4.285 - 29/1/18 - "Ainda uma vez" - clique aqui)."

Gustavo Adolfo Dabian - 29/1/2018

"Às vezes penso que este rotativo não é imparcial (Migalhas nº 4.285 - 29/1/18 - "Ainda uma vez" - clique aqui). Qual o problema das manifestações de reprovação ao cidadao presente? Por acaso voltamos ao tempo da monarquia, onde as pessoas descontentes não podiam se manifestar contra o rei?"

Margarete Lisboa da Silva - 29/1/2018

"É fato que não é uma atitude urbana, ocorre que a recíproca é absolutamente a mesma, o magistrado citado tem tomado atitudes de absoluto desatino, por vezes injustificáveis (Migalhas nº 4.285 - 29/1/18 - "Ainda uma vez" - clique aqui). Suas decisões tem sido, todas, em um único sentido: beneficiar quem tem alto poder financeiro ou político. Atitudes que passam muito longe do livre convencimento, ao que parece. Assim, acaba recebendo de volta manifestações e pouco apreço. O juiz deve primar pela discrição e coerência. Quando isto não ocorre, fica exposto, sua posição fica comprometida, ainda mais quando decide apenas para um lado. Nunca o de quem o está criticando no momento."

Elias Silva - 29/1/2018

"O constrangimento sofrido pelo ministro Gilmar Mendes é consequência de uma exagerada exposição pública (Migalhas nº 4.285 - 29/1/18 - "Ainda uma vez" - clique aqui). A fama é como a moeda, tem dois lados: um é 'caro", o outro é um 'barato'!"

Paulo Benedito Netto Costa Junior - 29/1/2018

"Nós fundamos e estamos querendo dar vida, voz e força em Brasília  - o Instituto de Garantias Penais, nosso IGP, que é presidido pelo nosso querido colega Ticiano Figueiredo, brilhante e combativo - para estarmos juntos nesta nossa luta pelas garantias constitucionais neste momento tão punitivo (Migalhas nº 4.285 - 29/1/18 - "Ainda uma vez" - clique aqui)."

Antônio Carlos de Almeida Castro, Kakay - 29/1/2018

"Eu, ignorante em relação ao Direito, não só brasileiro, vejo como causadores de insegurança jurídica nossos próprios tribunais (Migalhas nº 4.285 - 29/1/18 - "Ainda uma vez" - clique aqui). Não me refiro, unicamente, ao Direito Penal mas em relação a todas as áreas do Direito. Foi-se o tempo em que decisões dos Tribunais Superiores prevaleciam às circunstâncias. Hoje, são decisões efêmeras e de ocasião. Insisto, opinião de ignorante do Direito brasileiro."

José Roberto Raschelli - 29/1/2018

"Fico impressionada com o corporativismo (Migalhas nº 4.285 - 29/1/18 - "Ainda uma vez" - clique aqui). O direito de livre manifestação encontra respaldo na Constituição Federal. Não acredito que a forma de manifestação da sociedade foi agressiva ou deixou o sr. dr ministro em defesa, considerando que ele, ao seu bel prazer e não respeitando os ditames da lei constitucional, vem mantendo comportamento que corresponde ao que se espera legalmente de um ministro o STF, quanto às suas decisões, que mudam conforme lhe convém."

Glória Regina Dall Evedove - 29/1/2018

"Não concordo com este tipo de atitude, mas se queres respeito, conquiste-o (Migalhas nº 4.285 - 29/1/18 - "Ainda uma vez" - clique aqui)!"

Agnaldo Santos Costa - 30/1/2018

"Gilmar Mendes é vítima da lei natural chamada boomerang, aquela mesma da música de Renato Russo, grande poeta, 'Boomerang Blues': tudo o que você faz, um dia volta pra você (Migalhas nº 4.285 - 29/1/18 - "Ainda uma vez" - clique aqui)."

Abílio Neto - 30/1/2018

"Mesmo que o habeas corpus dado ao monstro Roger Abdelmassih, o vexame no julgamento da chapa Dilma e seu amigo Temer e de muitas outras decisões em benefício de bandidos permaneça entalado na garganta, caso encontre Gilmar Mendes seja tolerante (Migalhas nº 4.285 - 29/1/18 - "Ainda uma vez" - clique aqui). Apenas repito as palavras do então ministro Joaquim Barbosa em sessão plenária no STF, durante o mensalão: Vossa excelência envergonha o Judiciário!"

José Renato Almeida - 2/2/2018

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram