terça-feira, 20 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Política Internacional

de 9/7/2006 a 15/7/2006

"Evidente a escorregadela que o migalheiro Tiago Bana Franco deu ao ter usado a corretíssima expressão 'justiçaram' e mutilaram muitas e muitas pessoas com atos de terror...' (Migalhas dos leitores – "Política Internacional" – clique aqui). Cometendo o deslize de trocar repressão militar ditatorial por terrorismo. É só o inverso. Lembrem-se das sessões de tortura, denunciadas pelos que conseguiram sobreviver!"

Conrado de Paulo - 10/7/2006

"Nossa política internacional é a mais entreguista e covarde de nossa história. Um Evo Morales bate o pé, rouba patrimônio do povo brasileiro e o Lula, paz e amor, capitula. Que vergonha, atitude igual à da Seleção. Não sou comunista e nem socialista, mas certo é que o Hugo Chávez, em face da covardia do governo Lula, merece ser o líder da América do Sul. E é!"

Osmar Pedroso dos Santos - 10/7/2006

"Com extrema razão o Dr. Tiago Bana Franco, ao responder ao Dr. Conrado de Paulo (Migalhas dos leitores – "Política Internacional" – clique aqui). Israel não deve se curvar às pretensões dos terrorista - Hamas e companhia bela -, pois se o fizesse seria varrido do mapa. São favas contadas. Ora se os palestinos têm o direito de bombardear Israel com foguetes, Israel tem o direito e o dever de fazer cessar a agressão. É elucubração mental achar que Israel deva capitular em face da violência proposta pelos terroristas. Será que os defensores dos terroristas concordam com a capitulação de Lula em face de Evo Morales, que se apoderou de patrimônio do governo brasileiro. Não será atitude de Morales um balão de ensaio. Senhores defensores dos terroristas, olhem para seu pé."

Osmar Pedroso dos Santos - 10/7/2006

"Dr. Tiago Bana Franco, não perca tempo em dialogar com terroristas e comunistas. Com eles é no pau. Esses senhores, comunistas e ex-terroristas, não imaginam como é útil exporem suas idéias publicamente. 0s militares, em 1964, tomaram o Poder, por vontade da maioria do povo brasileiro, pois, uma minoria desclassificada, tentava impor ao povo, um regime igual ao do Fidel. O Brasil não é Cuba, e nem será uma Cuba. Aliás, os que defendem o terrorismo e o comunismo devem partir para Cuba, pois lá é um oásis. Só que deverão cortar cana."

Osmar Pedroso dos Santos - 10/7/2006

"Em uma cine-comédia, Cantinflas, excelente comediante mexicano dos anos 50,  disse que a situação não estava boa por três razões e explicou. Por causa da primeira, por causa da segunda e por causa da terceira... Agora, este senhor 'Obrador', que bem poderia ser confundido com 'o homem que defecta a todo instante', exige uma recontagem de votos, o que já foi feito e que demonstrou a vitória do Sr. Calderon, e não satisfeito convoca manifestações populares para tentar ganhar no grito uma posição política que as urnas dizem ser de seu oponente, desrespeitando todo o sistema de apuração de seu país, mas ao qual daria o maior  respeito caso a contagem dos votos lhe tivesse sido favorável. A esquerda é realmente mui amiga, como diria o Jô Soares ou mui democrática, como diz 'el anjel Fidel Castro, (apenas 46 anos de ditadura)', já que a ela, esquerda, evoca todos os direitos e aos outros, quando lhe convém os nega desavergonhadamente. E.T. Pouco me importa quem seja o novo presidente do México. Estou apenas preocupado com a verdade."

Arthur Vieira de Moraes Neto - 10/7/2006

"Seria muito interessante que o migalheiro Osmar Pedroso dos Santos pudesse nos explicar por que os EUA financiou a ditadura na Nicarágua e em El Salvador, e derrubou Allende no Chile, com a intervenção da CIA, e tudo mais. Claro que entendemos que eles têm que achar mercado para venderem seu excesso de armamento que fabricam. Mas provocar genocídio com esse fim se justifica? E olhem que isso vem ocorrendo desde os tempos da fatídica guerra do Vietnã. Como explicar que os cidadãos americanos abjuram, até hoje, essa malfada empreitada?"

Conrado de Paulo - 10/7/2006

"Prezado Dr. Conrado, a expressão 'justiçamento' foi cunhada dentro do próprio movimento esquerdista, e correspondia à pena capital aplicada por um 'tribunal revolucionário' aos dissidentes da causa. Poderia citar inúmeros comunistas que foram 'justiçados' por seus camaradas porque ousaram discordar das diretrizes do partido, mas, para tornar mais fácil sua pesquisa, dê uma olhada no site Ternuma (clique aqui). No que atine às sessões de tortura supostamente sofridas pelos esquerdistas presos, não se esqueça de que foram denunciadas por homens como José Genoino, que, ao se defrontar com o comandante do Exército que o prendeu, enfiou o rabo no meio das pernas porque sabe que entregou seus companheiros sem levar um único tapa. Além disso, essas sessões de tortura correspondem, hoje, a milhões de reais em contas como a do advogado e deputado federal Greenhalgh."

Tiago Bana Franco - 10/7/2006

"Obrigado pelo apoio, Dr. Osmar Pedroso dos Santos. Só não seguirei sua recomendação. Continuarei dialogando com os comunistas, socialistas e sociais-democratas, ao menos enquanto ainda respeitam a democracia brasileira, para demonstrar que alguns são simplesmente bobos; e outros, mentirosos, ladrões e assassinos."

Tiago Bana Franco - 10/7/2006

"Caro Dr. Tiago, saiba que sou mais do 'In médio virtus' que da direita ou esquerda. Poderia dizer socialista. Todo radicalismo tende a ser tendencioso demais, e míope. Sou mais Bélgica e Escandinávia toda, que EUA ou Coréia do Norte. O meu negócio é Paz! O resto é farofa! Gostei muito do site Ternuma, apesar de certos exageros... Fraternal abraço."

Conrado de Paulo - 10/7/2006

"Vira-e-mexe e, lá vem historinhas, sobre o golpe militar de 1 de abril de 1964, sim foi no dia da mentira, conversas que buscam justificar, de um lado os golpistas, e de outro os esquerdistas que mudaram de lado e/ou se arrependeram do seu passado. Toda mídia, exceto o bravo 'Última Hora', apoiava o golpe que, diga-se a bem da verdade, aconteceu por precipitação do general Mourão, auto-intitulado 'vaca fardada'. Foi a 'vaca fardada' que movimentou tropas de Minas, decidindo pelos covardes – militares, empresários, mídia, e padres golpistas - que continuavam vacilando. Outra falácia é a de que foi um golpe 'preventivo'. Não foi, pois estavam preparando há 10 anos, e só não aconteceu antes porque Vargas se suicidou, senão os sem-votos teriam golpeado ainda em 1954. Estavam decididos a acabar com a democracia para garantir os seus privilégios seculares. Ao contrário do que aconteceu no Chile, Argentina e Uruguai, aqui não houve resistência, o que demonstra que a esquerda não pensava em golpe, mas lutava por uma 'revolução democrático-burguesa' liderada pela burguesia nacional, o que desgostava os mais radicais. Finalmente, a esquerda lutou pelo fim da ditadura durante 20 anos, pagando um preço muito alto em termos de vidas, principalmente, de jovens. O restabelecimento da democracia era a palavra de ordem que unificava todas as lutas. Era a idéia da 'democracia como valor universal', defendida pelo PCB. Divulgar o contrário, lembra o que fazem os neonazistas que, ainda hoje, negam o holocausto de Hitler, como forma de justificar o nazismo. É simples: é preciso embaralhar a verdade para justificar os fascistas criminosos de 1 de abril de 1964."

Armando R. Silva do Prado - 11/7/2006

"O migalheiro Armando R. Silva do Prado está certo. Os comunistas brasileiros nunca pretenderam dar um golpe de Estado para aqui implantar a ditadura do proletariado. Só queriam mesmo defender a democracia contra os tiranos de farda. Eu só não consigo explicar, adotando esse ponto de vista, o que foi a Intentona Comunista de 1935? O que foram as ligas camponesas comandadas por Francisco Julião na década de 1950? Por que, em plena ordem democrática, o PCB teve seu registro partidário cassado? Aliás, agora não sei mais se Carlos Marighela realmente existiu, e se essas não foram suas palavras numa entrevista concedida à revista francesa Front em 1969: 'Estive na China em 53-54, o partido (PCB) que me enviou (...) Na China estudei muito a revolução. Mas, falando de inspiração, a nossa vem especialmente de Cuba e do Vietnã. A experiência cubana, para mim, foi determinante, sobretudo no que respeita a um pequeno grupo inicial de combatentes'."

Tiago Bana Franco - 11/7/2006

"Petróleo. Hugo Chávez, em artigo publicado no jornal britânico The Guardian, de 10/6, questiona o excesso de carros nas grandes cidades do mundo. Diz que: 'Em 96% dos veículos – carros para seis pessoas e os menores, para quatro – você só vê uma pessoa, a que está dirigindo. Todo mundo quer ter um carro e dirigir pelas ruas feito um idiota: sozinho no seu carro, queimando litros e litros de combustível, poluindo a atmosfera'. Para ele, a culpa é da 'propaganda capitalista' com a qual somos bombardeados pela TV desde crianças. 'A TV nos mostra que pessoas decentes são bem vestidas e têm carros de luxo. O setor automotivo dos EUA sozinho consome muito mais combustível que todos os países do Caribe juntos'. E olha que Chávez é um dos maiores interessados em vender petróleo, hein! No mínimo, revelou bom senso com estas declarações, ao menos nesta questão ambiental."

Conrado de Paulo - 11/7/2006

"Dr. Tiago, um pequeno detalhe: em 1969 Marighela estava na ALN, fora do PCB. Aliás, os que divergiram do 'Partidão' foram para a guerrilha, formando partidos muito à esquerda do PCB. Na época o PCB era contra a luta armada e, por isso mesmo, era acusado de pacifismo e revisionismo."

Armando R. Silva do Prado - 12/7/2006

"Dr. Tiago B. Franco, os ataques irônicos desse migalheiro Armando R. Silva do Prado, são o exemplo de como se portam os comunistas e terroristas. Esse senhor, mostra-se um intolerante. Não respeitam quem quer que seja. Se Vossa Excelência não comungar de suas idéias, dele e de seu partido, será tratado como um ser abjeto. A intolerância e a violência são as marcas dos comunistas e terroristas. Mas se esquecem de que o mundo dá voltas e o maior exemplo é a queda do império soviético. Quem diria! E esse migalheiro, Armando Rodrigues Silva do Prado, deve se achar mais inteligente, culto e estadista de que Gorbachev. Bem andaram as Forças Armadas ao tomarem o Poder em 1964, pois os tipinhos que tentavam tomar o poder naquela época são os mesmos que hoje atacam a torto e a direito. Ora, bem de ver que a direção desse site deveria impedir opiniões ofensivas e irônicas de migalheiro a migalheiro."

Osmar Pedroso dos Santos - 13/7/2006

"Caro Dr. Armando R. Silva do Prado, não entendi. Não foi você mesmo quem disse que, antes de 1964, a 'esquerda não pensava em golpe'? Agora remenda esclarecendo que alguns esquerdistas tinham essa intenção, tanto que saíram do PCB. E ainda por cima cita o caso do próprio Marighela! Rememoro que Carlos Marighela foi enviado à China, na década de 50, pelo Partido Comunista Brasileiro, e não pela ALN (que sequer existia). E, na China, Marighela tinha um único objetivo, por ele próprio declarado: estudar a revolução. Ora, por que um partido pacífico e revisionista mandaria um de seus líderes estudar a revolução com o Professor Mao? Certamente, Dr. Armando, não era para que plantasse flores quando voltasse ao Brasil. Talvez esteja lendo algum livro de história escrito à moda de Stalin, que tinha o salutar hábito de alterar fotografias e modificar os fatos ao seu bel-talã. Ou talvez esteja lendo alguma historieta composta por jornalistas como Carlos Heitor Cony, que hoje ganha do Governo Federal a bagatela de R$ 19.000,00 (dezenove mil reais) por mês, depois de receber uma indenização de R$ 1.400,00 (um milhão e quatrocentos mil reais), porque na época dos militares foi preso só por fazer propaganda de grupos terroristas. Sugiro que altere seus hábitos de leitura, começando pelo simples e clássico 'A Revolução dos Bichos'."

Tiago Bana Franco - 13/7/2006

"Dr. Tiago, o 'problema' levantado se resolve com leitura / estudo da história. Mas, como o doutor não se dispôs nem a ler o livro do fundador do Opus Dei, a quem admira, então fica difícil."

Armando R. Silva do Prado - 13/7/2006

"Dois pesos e duas medidas: Dona Condoleezza Rice condena os Palestinos pela captura, em combate, de dois soldados judeus, mas nenhuma palavra sobre o estado terrorista que assassina crianças brasileiras e inocentes no Líbano. O Itamarati deve exigir explicações."

Armando R. Silva do Prado - 13/7/2006

"14 de julho de 1789. Nesta data, culminando as 'jornadas populares' de lutas, o povo parisiense toma de assalto a Bastilha – símbolo do absolutismo dos Bourbons. Com esse ato o Velho Regime entra em agonia, parindo um novo mundo onde, se pensava, não haveria lugar para os parasitas (clero, nobres e alta burguesia). 'Só seremos livres quando o último nobre for enforcado nas tripas do último padre'. Sieyes, ao responder a celebre pergunta 'Qu'est-ce que le Tiers Etat?', disse : 'Tudo. É uma nação completa'. Que tem sido até agora? 'Nada'. O que busca? 'Tornar-se algo'. A revolução Francesa significou a ascensão do 3º Estado ao Poder, derrotando definitivamente o feudalismo. A Assembléia Nacional aprovou poucos dias depois, em agosto, a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, da qual tomo a liberdade de citar trecho do Preâmbulo: ...'fundados de agora em diante sob princípios simples e incontestáveis, ...os representantes do povo francês, ...considerando que a ignorância, o esquecimento ou o desprezo dos direitos do homem são as causas únicas das infelicidades públicas e da corrupção dos governos, resolvem expor'... A Revolução Francesa, 'filha das luzes e do entusiasmo' se situa no coração da História Contemporânea, representando, ainda hoje, sonhos de liberdade, igualdade e fraternidade. Admirada, temida e odiada, permanece viva, como alerta para os que teimam em não aprender com a História. Fraternalmente,"

Armando R. Silva do Prado - 14/7/2006

"Quando se quer embaralhar a verdade confunde-se até os anos. 53 e 54 são diferentes de 64 e 69. A política, os partidos e as pessoas mudam de um dia para outro, o que dizer de uma década? Lacerda, o comunista convicto do final dos anos 30 não é o fascista do começo dos anos 40. Evidente que o PCB dos anos 50 não é o partido da metade da década dos 60. Ler um bom livro de história ajuda, não importando a coloração ideológica. Fanatismo e intolerância levam à cegueira. Simples assim mesmo."

Armando R. Silva do Prado - 14/7/2006

"Prezado Armando R. Silva do Prado, conheço um bom oftalmologista. E também um bom livro de lógica, aliás, escrito pelo Professor Goffredo Telles Júnior. Pegue meu e-mail aí com o pessoal do Migalhas que eu lhe dou essas e outras dicas."

Tiago Bana Franco - 14/7/2006

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram