quarta-feira, 21 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Caso Banco Santos

de 30/7/2006 a 5/8/2006

"Li a nota 'Usos e costumes' da edição 1.464 de 28/7 sobre a nota sem conteúdo jurídico inverídica publicada no noticioso jurídico Consultor Jurídico sem o cuidado de observar dois mandamentos importantes, como manda a ética do bom jornalismo – o fato de tratar-se de um jornal jurídico é um agravante: (i) informar sua originação e (ii) ouvir a parte que está sendo atacada com falsas alegações. Um segundo agravante que coloca sob suspeita as infundadas ilações daquele noticioso é o fato de coincidir com a juntada nos autos do relatório da diligência realizada pelo comitê de credores do Banco Santos contendo o diagnóstico e novas constatações documentais que podem ter levado alguns a vestir a carapuça e, sem argumentos, usar a mídia para retaliações infundadas.  Com efeito, o escândalo Banco Santos é um dos maiores da história nacional e é compreensível que aqueles eventualmente envolvidos com possíveis irregularidades não tenham interesse que um trabalho sério de recuperação de ativos dos credores seja levado a cabo."

Jorge Queiroz - 31/7/2006

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram